sábado, 23 de fevereiro de 2013

CANTINHO DA SAUDADE - FUBA VÉI

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES



Quem é em Campina Grande das décadas de 50 ate a decada de 90 que não conheceu a figura carismática do desportista José Francisco da Silva – o Fuba Véi. Fuba é paraibano de Pedra Lavrada e veio morar na nossa cidade na década de 40.

Para mim, considero-o como um dos maiores desportistas do esporte amador de Campina Grande de todos os tempos. Muitos também têm a mesma opinião. Teve um bom passado no esporte. Comentar sobre a sua vida e seus causos, não é fácil. Um comentário só, é pouco demais. O seu currículo no esporte é invejável.

Quando chegiu para trabalhar em Campina Grande Fuba Véi no seu momento de folga participava de um racha famoso em Campina Grande o "Racha do Bordeu" que ficava perto do Açude Velho.

Ainda na adolescência, no inicio da década 60, quando iniciei praticamente a minha vida esportiva, tive o prazer de conhecer o “Fuba Vei” na equipe do Everton e com ele joguei vários anos (conforme fotos abaixo):

 



Adicionar legenda
Fuba depois foi elevado a categioria de “Treinador” do time de aspira conforme foto abaixo:

Depois foi elevado na década de 70 para ser o treinador da equipe titular. Tinha ele um poder invejável, comandando garotos lançados por ele e com eles levantou muitos títulos. Tri- Campeão Suburbano da cidade, Campeão do Tabelão da Liberdade, Vice Campeão da Copa Arizona (perdemos a disputa final nos pênaltis, onde nosso atleta Dão perdeu uma penalidade).
Fuba era uma liderança de fazer inveja. Nasceu com uma estrela na testa para o esporte amador Campinense. Tinha uma voz de comando dentro dos estádios de futebol e nas viagens era o mais animados e ficava dando as notas dos atletas durantes as viagens de volta, respeitado por todos os jogadores que passaram pelos seus ensinamentos. Fuba Vei tinha uma personalidade fora de série. Entre os seus comandados, dirigia sempre palavras de ordem que significavam vitória.

Pela sua bravura no esporte amador campinense o “professor” José Francisco – o Fuba Véi” merecia ser homenageado pela Camara Municipal de Campina Grande dando o seu nome a alguma Rua ou recantos esportivos de nossa cidade, por tudo que ele fez no esporte amador da cidade. 

O velho Fuba foi o homem dos sete instrumentos no time do Everton; foi jogador, entregador de camisa, auxiliar técnico, Tecnico, Chamador dos bingos na sede do clube, Analista das notas dos jogadores, propagandista, promotor artístico, bilheteiro, porteiro, a, tesoureiro,e até acertador dos jogos, e o que mais fosse necessário. Se isto não bastasse, ele próprio cuidava da manutenção dos jogos de camisas e outros equipamento do clube. Trabalhava na Casa Esporte de seu Mamede e com seusos conhecimentos de futebol, tinha oportunidade de oferecer sempre o melhor naquela inesquecível casa produtos esportivos que marcou uma época na cidade.

Em sua homenagem, republico aqui umas postagens sobre ele e alguns causos e histórias envolvendo o Fuba Véi . Vai deixar muitas saudades! O bom é que enquanto esteve entre nós, ele só distribuiu bolas aos seus “Meninos” e alegria aos nossos corações com a sua presença de espírito e as suas histórias engraçadíssimas. Que DEUS o acolha bem.

Causos com Fuba Vei - A Tática - O técnico do Everton (saudoso ), pessoa de origem simples mas que deu alguns títulos ao time de futebol que dirigiaÀ beira do gramado, vendo o ataque adversário pressionar a defesa do seu time, Fubagritou uma das máximas que ficou na história de nosso esporte:“...Arrecoa, Jobão, não se abaseia nisso não...”

Antes uma partida decisiva entre Everton x Botafogo da Liberdade pelo torneio suburbano de 1973 um dos clássicos de então, reuniu seus jogadores e na preleção disse que iria reformular a tática naquele dia, e anunciou:“Nosso time hoje vai jogar com um trio de quatro armadores no meio de campo”.


O Fuba Vétem várias histórias e causos a contar que daria a edição de um livro. Uma delas foi como quando o time do Evertonfoi jogar na cidade de Serra Branca diante Vasco da Gama local. O Juiz (cujo nome prefiro omitir ) fez de tudo para que seu time não fosse goleado pelo nosso time que no primeiro tempo já estava vencendo de 3 x 0 ( no terceiro gol nosso atleta Tonheca ao vibrar ele expulsou de campo ensinuando que o nosso atleta esta gracejando de sua arbritagem0, Enventava faltas,, arranjou um penalte e quando empatou a partida encerrou a partida). Durante o trajeto da viagem de volta o centro da cidade, um dos jogadores (Nego Gilson), com raiva do referido juiz começou na fazer uma presepada. O mesmo tirou o short e fez “strip-tease” dentro do onibus mostrando a bunda as pessoas das ruas da cidade, parando totalmente o trânsito. O jogador não estava bêbado, era o seu jeito de ser, brincalhão por natureza. Mas não sabia ele que no ônibus estava o delegado da cidade que tinha pedido uma carona. O referido queria prender o Gilson por desacato. Não foi fácil para “Ze Nogueira , como chefe da delegação, contornar o problema”.

Fuba Véi era conhecido por todos os recantos esportivos de nossa cidade conhecia todos os bastidores do esporte amador campinense. Depois de sua morte e sua participação no esporte Campinense ficou “órfã” em todos os aspectos. Infelizmente, outros “Fuba Veí” não têm aparecido.

Por estes motivos e por muitos mais que aqui não mencionei, é que aproveitando para contar outros causos do Fuba com forma singela de homenagem ao meu grande amigo.

Ele até conseguiu depois de se aposentar um emprego na Prefeitura quando o prefeito era Ronaldo Cunha Lima, mas o seu forte mesmo era o Time do Everton onde ele tinha como extravasar seus dotes profissionais. E foi o que ele fez em toda sua vida, e a comunidade. Hoje, de acordo com o mais novo jargão criado principalmente pela Internet, ele bem que poderia ser chamado de “ O CARA”!

OUTRAS FOTOS DO ATLETA E TREINADOR VENCEDOR FUBA VÉI


Adicionar legenda
Adicionar legenda

Adicionar legenda




FUBA MOSTRANDO UM TROFEU DAS MUITAS CONQUISTA DO EVERTON

Festa de confraternização do Everton













.

3 comentários:

Hildeman disse...

Comentar sôbre o Fuba Veí não é muito difícil, primeiro, porque o Fuba Vei era uma pessoa que estava em todas, segundo, porque sem o Fuba Vei nos jogos amadores e, ou, nas comemorações festivas das peladas de nosso bairro do São José, não havia graça, Lembro-me bem de quando o Fuba foi trabalhar na Casa dos Esportes. Ribeirinho trabalhava lá e, com o ingresso dêle no Futebol profissional, Ribeirinho indicou o Fuba ao seu Mamede para lhe substituir, o patrão disse, Ribeirinho, será que vai dar certo, êle falou, seu Mamede, o Fuba vai ser uma boa referência para o esporte aqui na sua loja. Não deu outra, O Fuba trabalhou muitos anos na Casa dos Esportes, agradando a todos, com muita responsabilidade, dentro da sua função. Eu o estimava. Que Deus o abençoe.

Anônimo disse...

Jobão...parabéns,
Olha amigo, que coincidência...hoje quem visitou a minha página do Face pode aqui confirmar, uma imagem que posso até dizer que é símbolo dessa grande figura humana Fuba Véi..."um campo de pelada"...precisa falar mais.
Bem aqui eu posso e devo dizer sobre esse grande amigo:
Ausência física, Ausência da voz e das rizadas, Fuba Véi...você veio, ficou e nos proporcionou muitas alegrias, mas teve que partir antes de nós...saudades da amizade que ficará na lembrança e nessas fotos aqui.
Que Deus o tenha em um bom lugar!!!

Jonas didi...

Anônimo disse...

Fubá vei, uma figura de pessoa. Amigo, carismático, irreverente e um excelente “copo”. Ainda cheguei a jogar com ele no “aspira” do Everton. Amigo fiel e auxiliar do treinador Oberdan (memoriam), revezava a ponta direita com Calango (memoriam), cada um atuava um tempo. Com a ida do treinador para trabalhar em JP, tornou-se efetivo como treinador dos aspirantes. E foi o responsável pela ascensão de todos nós ao time titular. Formamos uma grande equipe e o Veio ganhou vários títulos para o Everton.
Uma pessoa que fazia parte do cotidiano de Campina Grande. Às fotos são um documentário extraordinário daquela época, nelas vemos vários colegas que faz tempo que não nos encontramos. E ai bate uma saudade enorme.
Jobedis, parabéns pela justa homenagem, José Francisco ficou para a história do Everton.
Vadinho

Postar um comentário