quinta-feira, 29 de novembro de 2012

TUNEL DO TEMPO - VASCO EM CAMPINA GRANDE

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Quando iniciei minhas matérias no Museu do Esporte de Campina Grande, a prioridade era fazer, rever e relembrar aos leitores as histórias do esporte amador, porem não esta havendo muita interação por parte de antigos atletas em remeter fotos e historia. Para não correr o risco de descontinuidade, fui pesquisando e encontrando materiais históricos e fotos marcantes do nosso futebol do passado, que com certeza o jovem de 20 anos nunca visualizou ou só escutou nos relatos dos familiares mais idosos. Recebi algumas fotos do amigo GILVANDRO GUERRA da vinda do Vasco da Gama na década de 60 para jogar uma partida amistosa em nossa cidade contra a equipe do Treze.


A chegada do Vasco da Gama  para jogar contra o Treze na década de 60

Eram muito comuns as excursões de grandes clubes pelos gramados do Brasil e do exterior. E a Paraiba e em especial Campina Grande não ficava fora do mapa. Por aqui passaram grandes times e muitos ídolos, sem a necessidade do torcedor paraibano ficar esperando, uma vez por ano, quem vai ser o adversário que vem jogar pela Copa do Brasil.

O Vasco da Gama jogava pela primeira vez em Campina Grande. No Presidente Vargas, antes da bola rolar, a confraternização foi a ponto dos dois times posarem juntos para a fotografia. O Zagueiro campeão mundial Belini (Foto) que não pode jogar porque estava contundido posou com a réplica da taça Jules Rimet.

Além de Beline, o Vasco trazia outros ídolos do futebol brasileiro, como o Campeão do mundo Orlando, os Ponteiros, Pinga e  Sabara, o centro avante Delém, o ponteiro Pinga entre outros conforme foto abaixo:

            TIME DO VASCO DA GAMA QUE JOGOU CONTRA O TREZE

Após o apito inicial, acabou a cortesia e o time do Treze quase não deu chance para o time vascaíno. O time do Treze, pelo fato de reunir seu grande elenco de grandes jogadores, já era uma grande atração. Pela primeira vez, o Vasco enfrentava um time paraibano e na cidade de Campina. Sem falar que os torcedores paraibanos do Vasco também teriam a oportunidade de ver, juntos, do mesmo lado, seus principais ídolos.

Quando a bola rolou, diante de 10 mil pagantes, o que se viu foi um jogo bem equilibrado no primeiro tempo, quando o Treze tomou conta do jogo e abriu a contagem com o grande jogador Ruivo. O Vasco buscou o empate e conseguiu seu objetivo através de Delém, a apenas 9 minutos do final.

Quem foi a campo assistiu a um espetáculo grandioso, no qual o excelente planejamento dos componentes da diretoria do Treze todos não mediram esforços para executar tarefas e mostraram para todas as pessoas que com união, organização qualquer outro tipo de evento pode ser realizado com grande êxito como foi esse que foi denominado pela imprensa na época como a “Uma grande Festa” em nossa cidade.

OUTROS CRAQUES QUE JOGARAM ESTA PARTIDA:

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

REENCONTROS DOS AMIGOS DE CAMPINA GRANDE

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


O primeiro em 16 de dezembro

Estamos convidando antigos jogadores e a velha guarda do bairro do São José a se fazerem presentes em nosso reencontro como de costume há mais de 45 anos, para celebrarmos o contexto poético dos bons tempos do querido time do Everton Esporte Clube.

Atenção: Tom Jorio, Fernando Canguru, Roosevelt, Seu Futenta, Maribondo, Tonheca, Valdinho Carapuça, Menonca, Picolé, Bian, Cho, Glauco, Son, Nego Gilson, Mestre, Zeca, Chininha, Nezuca, Marcos Vinicius (Katita), Jonas Didi, Sabará, Sassá, e quem mais puder prestigiar este momento de galhardia.

(O local, é o aconchegante Espetão, (antigo Boião) no Bairro da Prata no dia 16 de Dezembro) a partir das 12 horas. Vocês podem estender o convite a outros saudosistas e desportistas do glorioso verde rubro do São José

Reencontrar amigos de infância e juventude,  aviva o sentido da nossa já longa trajetória. E nos faz lembrar, felizes, que tivemos infância e adolescência, sem economizar fantasias e sem precisar de grana alta – contra valor pelo qual tanta gente estúpida mata e morre.

Graças a Deus mantemos, como tesouros mais preciosos, amigos/irmãos desde então. Aqueles de quem a gente tem a prazer de ficar do lado,  iguais e desarmados.


 O SEGUNDO ENCONTRO  22 DE DEZEMBRO

IV ENCONTRO DOS AMIGOS DOS ESPORTES DE CAMPINA GRANDE-versão 2012"", vimos avisar aos amigos que ainda não adquiriram sua camisa, que antecipem a compra das mesmas e como todos sabem existe um número limitado.

- Para o pessoal que mora em Campina Grande, as camisas estão sendo vendidas naLOJA TOTAL INFORMÁTICA, localizada à Rua João Lourenço Porto(antiga Floresta), em frente ao INSS.

-  Ao pessoal que mora em João Pessoa, estamos disponíveis durante toda semana, basta ligar para 8829.0729 – falar com Marcílio e acertaremos.

-  Aos amigos que moram em outras cidades, façam depósito na conta abaixo, não esquecendo de apresentar o comprovante do referido depósito,  no dia 22 de dezembro no local do evento onde  receberá a camisa e mais a credencial.

Avisem por e-mail o tamanho desejado (P – M – G – GG – EGG) para que possamos fazer a reserva da mesma.

Banco do Brasil

Agencia:   1636-5

Conta:   300.743-X

Valor  R$  70,00  (setenta reais) individual.

- Estamos nos empenhando com afinco para evitar congestionamentos e transtornos no dia do Encontro, portanto, antecipem a compra de sua camisa;

Importante 1:

Estamos usando a mesma tecnológica do ano passado. Tem um MICRO-CHIP implantado nas camisas que a fará leitura numérica através de um detector a ser instalado na portaria do Clube, visando tão somente dar maior segurança aos participantes.

Importante 2:

A organização do IV ENCONTRO está promovendo uma Ação Social durante este Evento: solicitamos de todos os amigos participantes que levem no dia do Encontro 1 quilo de alimentos não perecíveis ou um kit de higiene pessoal (escova de dentes-pasta dentária-sabonete-shampoo-etc). Sabemos que vamos ali participar de um Encontro num clima de muita alegria, reencontrar com vários amigos, mas não sabemos o que há do outro lado, das dificuldades existentes dos mais necessitados, por isso apelamos para que façamos essa doação de beneficência, tornando o Natal dos necessitados mais FELIZ.

Abraço meus amigos

Marcílio Soares



segunda-feira, 26 de novembro de 2012

AVISO IMPORTANTE

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES

Caros amigos 



Como você já notou, nosso site está passando por mudanças estruturais. Na verdade, ele está sendo totalmente refeito e reinstalado em uma nova plataforma de hospedagem de sites. Isso nos dará a possibilidade de transmitir muito mais conteúdo: . Agora também será possível agendar consultas, fazer perguntas e interagir com a nossa equipe com mais rapidez e agilidade.

Exatamente por causa dessa mudança, nosso site está  com alguns links indisponíveis, ou dando erro, ou redundantes. Mas essa fase de instalação deverá durar apenas alguns dias e ainda essa semana você terá um site novíssimo, um verdadeiro portal!
Agradecendo a atenção de todos,

Jobedis

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

QUEM ERA CRAQUE - CHICO CATETA

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Freqüentemente perdemos contato com nossa história. Alguns amigos e as belas experiências do passado se distanciam inexplicavelmente e tornam paginas que dificilmente folheamos, por esse fator negativo procuro escrever e enaltecer aqui no Museu do Esporte de Campina Grande pessoas e atletas que no meu ponto de vista merecem destaques pelas suas atuações em prol do esporte e que se destacaram e marcaram época em nossa comunidade.


É bom contar histórias e lembrar-se de vários nomes que marcaram época e gerações, que através de suas virtudes alcançaram grande expressão no quesito futebol. O nome Francisco Moreira é desconhecido dos esportistas atuais de Campina Grande, só os mais próximos o reconhecem, mais quando anunciamos “CHICO CATETA” logo à memória de todos os torcedores do nosso futebol de salão ou de campo do passado fixa na imagem daquele jogador  que sabia sair jogando e colocava ela onde queria. Esta é a melhor maneira de explicar quem era esse atleta do passado. 

O defensor começou jogando nos times do bairro do São José entre eles o Cacareco Portuguesa, Trezinho, e no futebol de salão no Estudantes e no Treze e em outros times formados em nossa cidade conforme fotos anexadas a esta homenagem,  mas arrebentou mesmo foram anos depois, no futebol do Everton Esporte Clube.


Chico Cateta apelido que os amigos o chamam foi um dos fundadores do time rubro verde do bairro do São José e participou do jogo inaugural no dia 18/06/1966 contra o Comércio da Liberdade. Conforme foto Abaixo:


Se sagrou Campeão em vários torneios em nossa cidade com destaque para o Tabelão da Liberdade e o Campeonato Suburbano de nossa cidade, competição muito disputado e ganha pela equipe do Bairro no ano de 1971 (conforme foto abaixo):

Um dos grandes ídolos do Everton  na década de 60 e começo de 70. Habilidoso, de refinada técnica, chamava a atenção pela visão de jogo, a facilidade em dar passes, a boa condução de bola.

Jogador de personalidade forte mas ajudou a equipe do Everton a brilhar em várias competições, ficou por muito tempo no time ate se aposentar da bola e foi ser diretor do time de futebol, deixando o esporte depois , mas entrando para a história do Everton  da mesma forma.

No futebol ainda contribuiu também como técnico de alguns times de futebol de salão de nossa cidade e depois como dirigente do Everton e ajudou esta agremiação com sua experiência,  mais por problemas particulares se afastou dos gramados, mas deixou uma marca positiva no esporte, os saudosistas relembram o potencial desse que foi uns dos maiores laterais esquerdo do Bairro do São José e fez parte de uma das melhores histórias do futebol querido time do Everton Esporte Clube.


Pois é amigos para qualquer pessoa exceto os esportistas passar dos 60 anos pode ser momento gratificante, pois é exatamente ai que se inicia o processo de amadurecimento e se a juventude ficou pra trás, surge enfim a certeza de que se passa entender melhor os mistérios da vida e o segredo da alma humana. O mais importante é conseguir continuar com as amizades de infância. Tenho crédito para fazer esta afirmativa, pois desde década de 60, convivi e atuei com vários e extraordinários jogadores  e inclusive com o nosso homenageado de hoje o Chico Cateta.


Perto de completar 66 bem vividos, mas o tempo e a hereditariedade retiraram parte de seus cabelos e lhe colocou algumas arrobas no seu peso, mas foi benevolente não lhe retirando a “humildade e a simplicidade”, de continuar  a ser aquela figura amiga, paternal, experiente, ponderado com seus amigos de infância e juventude.


Abaixo algumas fotos do Jogador e desportista Chico Cateta:





Adicionar legenda




 CHICO É O SEGUNDO AGACHADO




EVERTON CAMPEÃO DO TORNEIO INICIO DO CAMPEONATO SUBURBANO DE 1973



CHICO ERA O TREINADOR












quinta-feira, 22 de novembro de 2012

MEMÓRIAS ESPORTIVAS DE CAMPINA GRANDE

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Estas antigas fotografias destas memórias abaixo foram cedidas por estas  fotos   me  foram  repassadas  pelo  Gilvandro Neves Guerra  que recebeu de um antigo jogador do amadorismo de nossa cidade Fernando  Delgado, um  zagueiro  que  jogou  durante  muito  tempo  no  Belenenses  da  Conceição   como  também    no  Nacional  amador de Zezé.

Se alguns amigos tiverem interessados na publicação de algumas fotos de seu tempo de atleta para ficarem na eternidade no Museu do Esporte de Campina Grande. Mostrando parte da história do esporte do passado e especialmente da gloriosa fase do futebol amador campinense, época dos grandes embates futebolísticos na cidade, dos inesquecíveis craques, dos clubes esportivos de futebol de campo e de esportes de quadra dos anos de 1950/1960/1970.





terça-feira, 20 de novembro de 2012

SOU UM SAUDOSISTA E FELIZ

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Acho que serei um eterno saudosista, pois volta e meia fico lembrando momentos do passado. Sim, eu vivo o presente, talvez não como devesse, mas tenho os pés no chão e penso sim no futuro. Mas falar da minha juventude e relembrar os momentos vividos com meus amigos tem um gostinho de saudade e de certa forma alegra a alma. Acho que já escrevi outras saudades, tão verdadeiras que não sai do pensamento. O passado não reconhece seu lugar, está sempre presente.


E nesses últimos dias tenho conversado com amigos de infância, pessoas que não vejo há anos  e outras que vejo sempre no Calçadão da Cardoso Vieira. Alguns há muitos e muitos anos. Não vou dizer quantos, pois isso me faz parecer mais velho…

Então foi inevitável uma volta ao passado e volta e meia eu me pegava rindo sozinho… Nossa, tem coisas que eu nem lembrava mais… Momentos que estavam lá perdidos em algum canto da memória que eu nem sonhava mais lembrar. É como se fosse a uma descida ao porão e abrir aquelas caixas empoeiradas, com teias de aranha. E quando conversamos com velhos amigos algumas palavras funcionam como se fossem as chaves de um velho baú, assim como os cheiros. Quantas vezes a gente sente um cheiro ou um gosto de algo e logo em seguida vem uma memória da infância?

Saudade do Colégio Estadual da Prata onde o Professor e Juiz Assis Martins me indicou diretor de esporte com apenas 17 anos de idade de um colégio com mais de 3.000 alunos e com a responsabilidade de comprar em recife todo material esportivo do colégio, junto a meu amigo de infância Fernando Canguru, infelizmente o Dr: Assis Martins já é falecido, mas guardo com carinho tudo que ele me ensinou. Aliás, estudar Gigantão foi uma ótima experiência, pois tive bons professores e conheci pessoas que mantenho contato até hoje.

Revivo estas memórias pela simplicidade que elas representam. Depois de ter visitado tantos lugares bonitos, exuberantes e grandes, sempre me vem a memória o que eu considerava grande em Campina Grande. E vejo que apesar de hoje parecerem menores, eles ainda continuam exuberantes e bonitos. E nisso não se inclui somente os lugares, mas as pessoas. Foi aqui em nossa "Rainha da Borborema"  onde aprendi a ser gente, tive os melhores professores que eram amigos. A minha verdadeira escola de ser gente foi lá com minha família e todas as pessoas que contribuíram pro meu aprendizado. Fiquei envelhescente, e os cabelos brancos já vem aparecendo. Comemorei de forma simples e também com os amigos que fiz aqui.

O tempo passa e a vida segue seu rumo…

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

RELÍQUIAS ESPORTIVAS DE CAMPINA GRANDE

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


A idéia de fazer este Museu do Esporte de Campina Grande surgiu quando comecei a limpar gavetas e abrir velhas caixas de sapatos. Descobri – quase nem mais se lembravam delas – algumas dezenas de fotos, álbuns e postais, principalmente de Campina Grande, que no decorrer do tempo foram sendo empilhadas sem qualquer critério, pelo simples impulso de “juntar”.

Depois de um breve inventário achei que podia aproveitá-las, não mais apenas guardando para mim, mas divulgando-as na internet. Algumas das fotos não se tratam de raridades nem de material inédito. Estas, porém, têm uma particularidade: são minhas. Fazem parte de meu acervo particular e gosto muito delas. E gosto mais ainda porque grande parte fala da minha “Rainha da Borborema e retrata algumas equipes de nossa cidade e jogadores que - muitos! - nem existem mais.

Assim, se vocês se derem ao trabalho de passar por aqui, vez por outra, provavelmente vão encontrar algumas novidades – mesmo as muito antigas – que, aos poucos, pretendo ir publicando tão logo as termine de escanear.

Ao mesmo tempo, tudo que nos leve de volta àqueles tempos idos quando o esporte em nossa cidade que estava escondido nas brumas do passado, e que eu venha a adquirir (pois continuo um "garimpador impulsivo"), vou mostrar aqui, pois são muitos, ainda, as fotografias antigas existentes aqui no meu acervo (algumas mando para mim por amigos por emails), que resgatam aquela época de ouro do esporte em nossa cidade e que nos dias atuais é totalmente desconhecida da nova geração.

Dito isto, mãos à obra! Se vocês gostarem, tiverem sugestões, críticas ou comentários, sintam-se à vontade para deixá-los registrados em suas visitas. Esforçarei-me ao máximo para responder a cada um, em particular.

Minha saudação a todos.

Algumas fotos inéditas outras não de times e atletas de nossa cidade do passado e alguma sem o nome do time e dos atletas e que de acordo com comentarios serão acrescidos.


                                                                            FLAY BACK





                                                              RACHA DA LIBERDADE

                                                                SELEÇÃO DA LIBERDADE

                                                   
                                                                COMERCIO

ORIENTE DA LIBERDADE







                                                          RACHA DO CAMPESTRE





quinta-feira, 15 de novembro de 2012

QUEM FOI CRAQUE – PEDRO SANDU

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES




No mês de dezembro do ano passado realizamos outra grande festa de confraternização dos antigos jogadores do time do Everton Esporte Clube que já tem mais de 45 anos de história. Por ser no período natalino esperávamos que não tivesse a freqüência de comparecimento de antes muito pelo contrário compareceram vários ex-atletas e torcedores para prestigiar a festa. Na frente uma pessoa que eu sempre queria homenagear aqui no Museu. Esta pessoa foi um dos responsáveis pelo evento. 

Esta minha homenagem de hoje é pra Pedro Araujo e que será uma homenagem especial a um grande amigo que se restabelece de uma complicada cirurgia, que todos nós o chamamos de Pedro Sandu. 

Uma homenagem mais do que merecida a uma pessoa que soube nos seus mais de 30 anos de atividades esportivas como jogador de futebol de campo, em Campina Grande, conquistar o respeito e a amizade de seus companheiros de equipe por onde passou e de seus adversários. 

Eu posso falar do Pedro Sandu como atleta, pessoa e amigo, pois partilhamos os campos de futebol, viagens de carro e ônibus para ir jogar dentro e fora do nosso estado por mais de 10 anos. 

Foram muitos churrascos, jantares e comemorações de vitórias e títulos, tanto no Everton como no time de futebol amador de nossa cidade o Boavistense.

A trajetória de Pedro Sandú no esporte campinense começou no aspira do Everton, depois jogou no Boavistense no campeonato municipal de nossa cidade representamos o time na época Distrito de Boa Vista onde a maioria dos jogadores era do Everton Esporte Clube (neste campeonato fomos vice campeões em um decisão perdemos a final em uma disputa por pênaltis) para o Campinense. 

No Everton, em 1973, começou uma parceria que iria marcar a carreira de Pedro Sandu como jogador de futebol de campo pelo rubro verde do São José. Naquele ano começamos a jogar juntos: O Pedro Sandu, Son, o amigo aqui (Jobao), Fernando Canguru, João Batista, Nenê, Valdinho Carapuça, Evandro, Jonas Didi, Tonheca entre outros grandes jogadores. Jogamos futebol juntos por algumas temporadas. Foram anos de amizade e parceria e vitórias. 


Pedro Sandu foi um jogador sempre decisivo nas disputas de títulos. No Everton foi bicampeão municipal suburbano invicto em uma disputa contra mais de 60 times de nossa cidade. 

No time rubro verde do São José foi ate presidente e já veterano jogou ainda um bom tempo, sempre fez parte da turma que puxava a frente na equipe. Em todos esses anos de atividades esportivas, É muito bom ver que você está se recuperando bem. É bom ter só boas notícias suas mostrando o quanto está feliz, forte, confiante e brincalhão como sempre. 

Para nós que convivemos com ele nesse período, só devemos agradecer por poder partilhar de sua amizade, das suas festas, das piadas e das boas risadas em nossas biritas de confraternização de final de ano, que continuamos a fazer e festejar na companhia deste grande amigo que todos nós chamamos de Pedro Sandú. 

Algumas fotos do Pedro como desportista e atleta:



                                    EVERTON BI CAMPEÃO SUBURBANO DE 1973 








PEDRO ESTA SENTADO NA BOLA