quinta-feira, 27 de setembro de 2012

CRAQUE DO PASSADO - ZEZINHO IBIAPINO

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Nesta edição, a coluna quem era craque do passado, referencia o ex-atleta e técnico José Ibiapino Filho. Ídolo no futebol do Nordeste nas décadas de 50 e 60. 

Começou sua carreira esportiva pelo Mossoró de sua cidade natal e de lá foi para o ABC de Natal. Depois foi convidado  para jogar pelo time juvenil do Vasco da Gama no Rio de Janeiro, passou alguns meses treinando mas sentiu saudade e voltou para Mossoró. O Treze vinha sempre jogar algumas partidas contra o seu time, e pelo seu desempenho foi chamado pela direção do  time galista para jogar em Campina. 

Ibiapino chegou a Campina Grande no ano de 1952 para reforçar a equipe do Treze.  (conforme foto abaixo):

Em 1955, já arregimentava uma série de fãs no futebol paraibano pelo seu estilo clássico e raçudo de jogar bola. Depois de sua passagem pelo clube paraibano seguiu para o Náutico/PE onde se destacou no alvirrubro pernambucano. Em 1958 deixou o timbu e seguiu para o Ceará Sporting de Fortaleza e se sagrou bi - campeão cearense de 57/58 (foto Abaixo):



Em 1959 recebeu uma proposta da diretoria do Campinense para integrar o elenco rubro-negro na campanha de 1960. Zezinho Ibiapino foi o grande líder do time no primeiro titulo estadual conquistado e de quebra sagrou-se também artilheiro do paraibano com 18 gols marcados. A liderança e experiência do atacante foram essenciais para as campanhas seguintes.

 Com a posse de Edvaldo do Ò foi contratado pela equipe do Treze e foi Campeão Invicto pelo Galo da Borborema conforme foto abaixo:


                                                     Ibiapino é o penultimo em pé 
Daí novamente foi para o Campinense, onde lhe colocaram para treinar o juvenil e depois  o profissional e teve a oportunidade de ser campeãs três vezes pelo Campinense.
Após encerrar a carreira Ibiapino atuou ainda como treinador auxiliar técnico e treinador de futebol. Em 1977, conquistou ao lado do Campinense o Torneio Heleno Nunes e em 1980 ergueu o bi-campeonato estadual comandando o clube. 
Nos anos 80, o treinador se afastou dos gramados para se dedicar a sua função de mecânico. Atualmente um dos maiores ídolos da história do futebol paraibano joga e luta pela vida contra adversários difíceis de superar, uma doença e o esquecimento do público, a quem tantas alegrias proporcionou.

Ibiapino esta hoje  em estado bastante debilitado, fato que limita o seu diálogo, mas vale salientar, que mesmo nas poucas respostas dadas a alguem que lhe faz perguntas, o ex atacante se mantm firme, como quem se esquiva dos zagueiros e busca o gol. A doença enfraqueceu seu corpo, e mantém vivo a esperança de não perder dos seus olhos o brilho de ser um grande craque e ídolo de uma geração.

Algumas outras fotos do grande atleta e desportista Zezinho Ibiapino
                                                                         TRI CAMPEÃO




                                   JOGANDO NOVAMENTE NO TREZE EM 1964
Na  foto  em Pé: Braga, Galego, Edilson, Jorio, Salvador e Tomires, Agachados: Rui, Adeildo, Luiz Garapeiro, Martinho e Zezinho Ibiapino.


CAMPEÃO COMO  TREINADOR


ZEZINHO IBIAPINO ONTEM E HOJE










terça-feira, 25 de setembro de 2012

CONTE SUA HISTÓRIA - MARCILIO MACAIBA

POR:JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Aqui no Museu do Esporte de Campina Grande, os antigos jogadores também tem vez. Por isso, vamos retornar neste pôster a seção Conte Sua História Esportiva em Campina Grande,  onde você vai poder contar suas histórias que tenham o esporte como pano de fundo.

Todo bom esportista  que se preze não gosta apenas de ficar contando sua historia aos familiares e amigos e escutar  várias histórias de superação, de dor e de alegrias! E o Museu  quer saber o que te leva a jogar  ou correr?! Quais vitórias pessoais você já alcançou com o esporte que você praticava? De que maneira você tenta levar os amigos para escutar? Escreva um pouco sobre a sua história  envie sua experiência, que  pode ser publicada e, ainda, convencer outras pessoas a fazer o mesmo. Não esqueça de enviar fotos com as suas medalhas no peito! Participe!

Basta mandar seu texto e algum registro fotográfico como foi feito pelo grande jogador Marcilio Araujo o MACAIBA conforme sua historia e fotos em anexo:

Jóbedis

Iniciei minhas atividades futebolísticas jogando no colégio Pio XI, onde fui artilheiro dos jogos estudantis de 1974. Joguei futebol de campo pelo Corinthians do Centenário onde pude atuar ao lado de algumas promessas do nosso futebol de pelada como, Nego Fio, Celso, Capilé, Edmundo (in memória) e outros que me falta a memória: Atuei durante um bom tempo pelo Futsal da AABB, onde fomos campeões em 1979, com grandes destaques no time, como Mario (in memória), irmão de Paulo Cesar, Larry, Toinho, Joba, Edmundo, etc. (foto abaixo):




Tive uma breve passagem pelo Futsal do Campinense, numa época de gloria do nosso futebol, pois alem de voce (Jobedis), despontava Marcilio Soares, Chó, Tadeu, Nego Gilson, Wagner. Foi num período de transição desta geração de ouro.

Em 1979 fomos Campeões de Futsal pelo recém-criado time do Campestre, na época do folclórico Louro, gerente do clube. O time tinha jogadores de qualidade como Genesinho Soares, Nino, Carlinhos Macaco e outros como mostra a foto. (Foto anexo):

Fui sócio fundador do Racha Bola de Ouro, onde pude jogar ao lado de grandes figuras do futebol da nossa cidade, como Sandoval, Paulo Cesar, Guarabira, Wagner, Marcilio Soares, Nenê, Dão, Simplício, Roberto Hugo, Toinho Buraco e tantos outros, sendo inclusive o primeiro artilheiro do mesmo, coincidentemente ao lado do chará Marcilio Soares, lembro inclusive do quantitativo de gols = 32.

Também atuei durante um bom tempo no Racha dos Targinos, tambem com a participação de grandes atletas como citado acima e como mostra a foto.



Há 20 anos que resido em João Pessoa. Sou Cirurgião Dentista, da Secretaria de Estado da Saúde, estando atualmente a disposição da UEPB. Sou casado com Lucrécia Maria de F. Gomes, atleta de vôlei, numa época de ouro das meninas do vôlei e foi durante 10 anos capitão da Seleção Paraibana. Nossa filha Yasmin, tambem desponta como atleta de vôlei de praia, onde foi vice campeã brasileira de 2010, e novamente em 2011 , sendo bolsista da CBV.

Tive o privilegio de estar em duas copas do mundo, sendo a primeira na Itália em 1990, juntamente com Juzénio, Napy, Cassiano, Quinha, Pedrão e outros. Nesta Copa, tivemos um fato inusitado que foi participar do aniversário da esposa de Careca, isto logo após o jogo do Brasil contra a Escócia Conforme foto abaixo).


Estávamos em uma Pizzaria, tocando violão na parte externa da mesma, e ai o pai de Alemão nos convidou para cantar os parabéns pra mulher de Careca, depois disso, a festa rolou pela noite adentro. Careca e Alemão ficaram ate altas horas com agente. Na festa apareceram Bebeto, Zico e outros atletas (foto abaixo).





Outras  fotos do Macaiba:


Em 1994 fui para Copa dos Estados Unidos, com Nego Chico, Mirim Agra, Sergio Refrigeração e Miguel Soares.




Tambem fui as Olimpíadas de Barcelona em 1992, com Eder e Tico Medeiros.
Achei a Copa mais divertida do que Olimpíada.




                                         MARCILIO E ESPOSA
COM OS FAMILIARES
COM AMIGOS NO ENCONTRO 



 Minha Filha Yasmin e a parceira Renata, bi-campeãs brasileiras sub-19 de Volei de Praia (2010 e 2011) com Ricardo campeão Olimpico




segunda-feira, 24 de setembro de 2012

QUEM ERA CRAQUE - EVANDRO

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


São poucos os seres humanos que podem ter a alegria de dizer que possuem amigos de verdade. Eu sou um deles! Tenho a honra de ter em meu quadro da vida, emoldurado por todos os cantos do reconhecimento o nome de grandes amigos que conquistei no esporte de nossa cidade.

Nosso homenageado de hoje é Evandro, atualmente atuando como médico na cidade de São Paulo, um ex-jogador do grande Everton Esporte Clube.   Evandro construiu durante sua digna vida um grande número de amigos, fãs e, sobretudo admiradores sinceros e com os olhos sempre voltados para o Alto.

Uma autêntica formiguinha. Assim pode definir o ponta esquerda Evandro, jogador que atuou no Everton Esporte Clube na década de 70, no mesmo time de outros craques. 

Fazendo parte de uma das melhores equipes de todos os tempos do Everton, Evandro não era driblador ou “ciscador”, suas jogadas eram objetivas e era o seu forte, por isso, companheiros e torcedores da época achavam que rendia muito. Apesar disso, sua facilidade em entortar os adversários impressionava a qualquer um e amedrontava os rivais.

O ponta esquerda chegou ao Everton em 1972. Brilhou e ajudou o clube a conseguir grandes resultados, fazendo bonito nas competições. Depois da longa passagem pelo colorado, sumiu do cenário do futebol.

Hábil, rápido e driblador. Também procurava jogar mais pelo meio, armando as jogadas. Era vítima constante da violência alheia. Quando chegou o time já tinha dois grandes pontas esquerdas:  o Fernando Canguru e Jonas Didi. Fernando foi deslocado para centro avante e depois foi jogar no Treze Fuebol Clube.

Considerado um dos bons jogadores de sua posição na história do Everton Esporte Clube o ponta esquerda Evandro precisou de apenas um pouco mais de dois anos para conseguir a façanha de ser lembrado até hoje.

Apesar de Fernando Canguru ser o mais conhecido até os dias atuais, Evandro também conseguiu manter fãs de seu futebol ao longo de todos estes ano. São quase 40 anos que passaram e, apesar disso, ele segue como referência da posição no time do Everton.

O Evandro conseguiu mostrar um bom futebol e logo conquistou a condição de titular. Para mim seu companheiro de elenco o mais importante nesta sua longa permanência no time titular do Everton foi a sua regularidade nas partidas. Nunca foi um jogador que ia a mil e depois caia para cem. Na hora das decisões, nunca se acovardou. Muito pelo contrário, se superou e lutou o tempo todo. Títulos pelo Everton foram conquistados, sendo o bicampeão Suburbano de 1973 o mais comemorado por ele, pois era um dos atletas vencedores com o amigo aqui.
Conforme Foto abaixo:
Fica aqui, através do Museu do Esporte de Campina Grande minha singela homenagem através de fotos que eternizaram grandes momentos do digno homem, como prova do grandioso ser que tenho a honra de ostentar como AMIGO.

Grande abraço, e, tenho a certeza, que as minhas palavras são as de muitos que também o admiram e respeitam. 

Algumas fotos do ex-atletas e desportista:




OBS: Nesta foto o Evandor esta careca juntamente com Son pois tinham passado no vestibular

                                                                   COM SEUS FAMILIARES

                                                                            SEUS COLEGAS




sexta-feira, 21 de setembro de 2012

100.000 VISUALIZAÇÕES DE PAGINAS DO MUSEU

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Hoje não teremos uma homenagem especial ou uma  foto inesquecível. É com enorme satisfação que anunciamos a ultrapassagem de uma expressiva marca: Mais de 100 mil acessos registrados no Museu do Esporte de Campina Grande e resolvi usá-lo para agradecer a todos vocês pelos comentários, críticas e elogios, enfim, por frequentarem esse blog simples, mas feito com muito carinho. 

Em apenas um ano de existência, obtivemos expressivos registros de acessos ( até o momento deste post mais de 100 mil conforme mostrador ). Em diversos momentos, atingimos a casa de mil acessos em apenas um único dia, o que nos coloca entre os blogs mais acessados da Paraíba sobre o tema.

Neste período, recebi e-mails e alguns comentários de internautas de todos os Estados do Brasil e até de internautas dos Estados Unidos, Argentina, Uruguai, México, Portugal, França, Reino Unido, Irlanda, Rússia, África do Sul. Angola, Cabo Verde, Japão entre outros. Alguns são brasileiros que moram no exterior, outros estrangeiros, que por algum motivo se identificaram com o Museu. Conforme gráfico de acessos no mundo nos paises onde o Museu é mais acessados abaixo:




Só tenho que agradecer muito, a todos vocês que sempre prestigiaram o que pra mim é uma honra, ainda mais com a variedade de blogs disponíveis na internet.

Peço que continuem comigo, sempre deixando suas opiniões, críticas e sugestões, pois dependo desse feedback para melhorar.

Os que me conhecem mais de perto sabem que não vivo do futebol, mantenho esse blog apenas como um hobbie, pois sempre gostei de escrever, ver que meus textos ser  lidos e comentados por outras pessoas, me traz uma grande satisfação.

Estou muitíssimo satisfeito, diria até deslumbrado. Não dá para ficar imune a uma brincadeira que começou há apenas um ano. Nascido no dia 12 de agosto de 2011, o Museu Virtual do Esporte de Campina Grande começou publicando textos semanais, a fim de verificar a aceitabilidade do público leitor. A recompensa foi a melhor possível: além dos comentários e elogios, os textos começaram a ser republicados por outros blogs e sites, uma prova de que o caminho traçado não teria mais volta.

Nunca tive a pretensão de criar algo grandioso e sofisticado. Pelo contrário, sempre quis um blog marcado pela simplicidade, inclusive no visual. Queria apenas um espaço para falar de esportes e desportistas de nossa terra do passado e de outras coisas relacionadas sobre o tema para quem também gosta desses assuntos.

Um espaço onde eu pudesse escrever e compartilhar com vocês leitores, minhas opiniões, fazer homenagens aos grandes atletas e desportistas de nossa terrinha, além de recordar grandes times e também trazer sempre que possível, a possibilidade de homenagear pessoas ligadas ao esporte de nossa Campina Grande.

Até agora foram mais de  1787 comentários, embora eu nunca tenha ligado muito para isso, pois meu objetivo sempre foi escrever para as pessoas lerem. É claro que fico feliz quando comentam alguma postagem, mas não escrevo pensando só nisso, porque sei que a maioria dos leitores da nossa época gosta de ler, mas não de comentar.

Fico feliz só de saber que o que escrevo está sendo lido. Sei que mais de 100 mil acessos não é quase nada comparado aos acessos de outros blogs e sites mais populares, mas já é alguma coisa, é a prova de que ele está sendo acessado. Fico feliz com os elogios recebidos pelo blog e pelas críticas também, pois sei que não é um blog perfeito e nem tenho essa pretensão.

Quero apenas compartilhar com os outros os meus interesses no esporte de nossa cidade. Agradecemos de coração a todos os que já passaram um dia por aqui, e a todos que nos brindam com comentários e manifestações democráticas, anônimos ou não, porque esta é a essência deste blog, a liberdade de opinião e a garantia do espaço democrático para que todos possam interagir.


Agradeço aos visitantes que passaram para ler um post através de pesquisa no Google; aos amigos do face book, twitter, Orkut; MSN. Aos leitores cativos, os que acessam de vez em quando e até aqueles que passaram por curiosidade e não mais voltaram; aos que comentaram ou criticaram alguma postagem de maneira construtiva e contribuíram para o engrandecimento do blog. Estamos felizes em compartilhar este momento com vocês, nossos únicos parceiros neste sucesso.




Muito obrigado a todos e rumo aos 200 mil acessos.



quarta-feira, 19 de setembro de 2012

QUEM FOI CRAQUE - ADILSON BARROS

 POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Nesta longa carreira já tive o prazer de jogar a favor e contra com alguns craques de nossa cidade. Muitos jogadores que fizeram história no esporte de Campina Grande poucos tiveram a felicidade de ser jogar em um time considerado um dos melhores de todo o tempo de nossa cidade,  o time do Everton Esporte Clube entre eles o jovem na época Adilson Barros ou simplesmente Adilson Vein.

Na história do nosso futebol amador de Campina Grande são poucos os jogadores que romperam a barreira do tempo, a longevidade nesta atividade esportiva mesmo no amador ou profissional. O caso de Adilson Barros é um desses exemplos de continuidade ininterrupta de quase 45 anos atuando nas equipes do amador do nosso município e região.

Este nosso homenageado de hoje esse hoje senhor que antes tinha uns cabelos grisalhos e hoje apresenta um visual Black (uns retoques de preto de fumo como os amigos: Toinho Buraco, Antônio Marcos Barbosa, Guarabira, Keka Clemente, Keka das Tintas Lux,  Fernando Canguru, Décio, Glauco Kardec entre outros) conforme foto ao lado.

De fala mansa com sotaque nordestino da gema. Muita conquista esse bom jogador conseguiu jogando por algumas equipes de nossa cidade.

Iniciou sua trajetória ainda pequena O defensor começou jogando nos campinhos de pelada das ruas do bairro da Liberdade onde morava e na Rua Felipe Camarão onde morava sua avó e seus primos e amigos.

Foi convidado para jogar pelo time do Auto Esporte do bairro da Liberdade começando nas equipes aspirantes do alvirrubro treinado pelo saudoso seu Nezinho. Não demorou pra que Adilson logo subisse de categoria fazendo parte do elenco titular, teve boas oportunidades e não decepcionou e fez parte time por algumas temporadas.

Ainda nos anos 70, o lateral esquerdo que gostava de curtir uma de meio campista e fazer lançamentos, foi para o Everton Esporte Clube do Bairro do São José. Atuou na equipe por três anos depois foi jogar no 11 da Vila no começo da década de 80.

Atleta de bom condicionamento físico, grande resistência, muito fôlego e velocidade Edilson foi bem, enquanto defendeu as camisas dos times citados e ficou na mente dos torcedores, que admiravam também sua raça e vontade de ganhar as partidas, além de sua exaustiva marcação e seu incrível poder de recuperação nas jogadas.

Um lateral esquerdo que sabia sair jogando e que tinha um pé esquerdo competente. Esta é a melhor maneira de explicar quem era o lateral esquerdo Adilson Barros, o Adilson Vein.

Segundo meu amigo de infancia Adilson - " Jobão sou nascido e criado praticamente entre o bairro da liberdade (próximo a antiga SANBRA) e o bairro do São José (Rua: Felipe Camarão), meu pai era filho de Dona Ritinha (Figura admirada nesta rua) minha vô, que recebia constantemente minha visita como moleque e daí me juntava com Romero (meu primo), Zé Firmino, os imbigão, Ivam e outros amigos para praticar travessuras diversas e a principal era jogar  pelada com bola dente de leite em vários lugares como: Bacião, dentro do grupo Clementino Procópio (onde estudei o primário até o admissão), perto do SESI, em frente ao IPASE, ao lado do campo do Paulistano (campo da cobra) dentre outros. Fui crescendo e convivendo com a galera do São José através de meu irmão Vicente (esquerdinha), coisa que até hoje, Bará as vezes também me chamava. Com o passar dos tempos participando da vida diária no bairro do São José, com presença inúmeras para assistir filmes no cinema São José, onde a galera prestigiava sem faltar os belos faroeste e o canal 100 com jogos dos melhores times do Brasil, isto tudo sem antes de adentrar ao cinema comprar confeito rasga boca a vô de Elcio.

Considerado um dos bons jogadores de sua posição na história do futebol de pelada de nossa cidade, o lateral esquerdo Adilson jogou em muitos times de nossa cidade entre eles: Auto Esporte, Flay Back, Everton, 11 da Vila, Leonel, Santa Cruz da Castelo Branco,  entre outros conforme fotos abaixo desta homenagem.

No amador time não faltava, e sempre com destaque, nas formações de boas equipes Adilson era sempre lembrado. Bom marcador acabou decidindo por encerrar a carreira nas pelada e continuou só nos rachas de finais de semana , Quatro décadas no futebol amador e agora vive tranquilo, filhos criados, agora aproveita a folga do serviço e nos fins de semana vai até o Clube Campestre no Bola de Ouro, quando pode bater uma peladinha com os amigos dos velhos tempos. Não fechando em definitivo sua trajetória no futebol.

Adilson concluiu o curso de Agronomia, fez  no Mestrado na UFCG, anteriormente UFPB e Trabalha ainda no na universidade. 

Edilson Barros foi mais um dos atletas que marcou época no futebol campinense.

Algumas fotos do Adilson nos times que jogou e nas atividades sociais:


                                                                             FLAY BACK

                                                               FLAY BACK












                                                                           LEONEL



                                  ADILSON, GUARABIRA E DÃO