segunda-feira, 30 de abril de 2012

QUEM ERA CRAQUE - CARLINHOS

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES



A história do antigo lateral esquerdo do Estudantes  Carlinhos que atuou muitos anos na nossa cidade é desses casos raros do esporte. Sempre mostrou qualidade e boa  técnica, atuou na melhor fase do nosso futebol (década de 70). Conquistou várias vitorias no futebol amador da cidade pela equipe do Estudantes (a equipe que mas  que atuou na nossa cidade).

Sempre mostrou sua característica de ser um bom lateral esquerdo. Fez parte da fase nostálgica do futebol de pelada de nossa cidade na década de 70, quando resolveu pendurar as chuteiras (depois de se formou) no futebol amador.

Sem duvida nenhuma Carlinhos sempre foi um jogador que mereceu destaque, pelas suas constantes e ótimas atuações num tempo aonde os atletas jogavam muitos anos consecutivos na mesma agremiação.

Agora já aposentado da bola mas não do serviço, apenas ficam as lembranças de seus grandes feitos. Parabéns Carlinhos, pelos belos momentos que teve sua participação na história do futebol amador de Campina Grande.

Abaixo sua historia contada pelo mesmo e algumas fotos para ilustrar sua bela história

Prezado Jobedis

Talvez os amigos não conheçam bem o meu passado como peladeiro. Joguei pelo Estudantes futebol de salão poucas vezes, mais futebol de campo. No Estudantes passei de 1967 a 1972. Fui estudar agronomia na Bahia e lá tive oportunidade de jogar futebol de salão pelo time do nosso grande goleiro Mozart Figueredo e Zacarias Ribeiro vulgo Zaquinha, nesse tempo Mozart, tinha uma gráfica e Zaquinha era agrônomo da antiga Suvale hoje Codevasf. 

Nasci na Rua Frei Caneca e depois em definitivo no final da  Rua Tiradentes, antigo os Coqueiros de Zé Rodrigues. Foi onde começei a jogar pelada, com Gil, Simonal, Lambreta, Peba, Mario Curuja, João Viaco, Ramos, Diromar, Amorim, Caé, Pibo, Sabará,  Zé Maria, Raul e Chico Cateta do São José. Cheguei a jogar poucas vezes pelo Imbirense a convite de Simonal. Meu parente Fernando Canguru que é Aragão e meus parentes por parte de meu pai os filhos de Ivete e o grande Miranda.

No Estudantes cheguei a jogar com grandes peladeiros e profissionais como Gil Silva, Pibo, João Mario, Marcilio, Sobral, Aluisio, Benivaldo, Natal, Simonal, Lulu, Helio, Guerrinha, Betinho, Noba, Paulinho, Ademir, Ademildo, Curura, Guedes, Pedão Humberto, Zé Maria, Iremar, Marcos Soares, Antonio Lídio, China, Beto e tantos que não recordo no momento. Então é o que tenho a  oferecer do meu relacionamento com o futebol e amigos dos esportes. Parabéns mais uma vez pela iniciativa, o seu trabalho traz excelente contribuição ao acervo.Espero que essa nova geração continuem a mostrar-se dignos de sua honrada memória.
Um grande abraço
Carlinhos

Algumas fotos do Atleta:










Ronaldo Soares, Gilvani e Carlinhos


sexta-feira, 27 de abril de 2012

GRANDE DESPORTISTA - GLAUCO KARDEC

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Aproveito o espaço para falar de uma figura impoluta e proeminente do futebol da cidade de Campina Grande. Figura ímpar em se tratando de exemplo de homem público, louvável em todo o cenário futebolístico campinense. Essa figura da qual vos falarei trata-se do ilustre Dr. Glauco Kardec.
  
Devido a sua humildade ser do tamanho de sua grandeza de espírito, tinha me solicitado que eu não o homenageasse, mas, me reservo ao direito de assim fazê-lo, pois o futebol de Campina Grande e em especial o bairro do São José deve muito a esse abnegado filho da terra que, até com sacrifícios financeiros e de relacionamentos pessoais, muito contribuiu e ainda contribui para o seu engrandecimento.

Desde os 15 anos de idade está envolvido com o futebol campinense e mais precisamente com o Everton Esporte Clube, o seu clube de coração. Desportista por natureza, Glauco Kardec começou suas atividades esportivas em 1968 na equipe de infantil do Everton, depois jogou futebol de salão no time do Furacão e no time infantil do Estadual da Prata nos jogos Colegiais de nossa cidade (conforme fotos abaixo).  Jogou por vários anos no aspira do Everton conforme foto abaixo:    
                                    
                          time de futebol de salão o Furacão
Glorim, Hermani, Pai vei eEerimar
abaixo: João Edson, GLAUCO, Jobedis e Paulinho

Quando estudava medicina jogou na seleção da Faculdade de Medicina nos Jogos Universitários de João Pessoa e também jogou na seleção Campinense na cidade de Itaporanga no sertão da Paraíba na semana Universitária realizado na citada cidade.

Medico do Treze
Começou a gostar do Treze Futebol Clube, nos velhos tempos. Foi em 1972 que, conhecendo os desportistas dirigentes do Treze futebol clube e como estudante de medicina ajudou a criou o Departamento Médico do clube. Foi denominado, pelos radialistas, como o “Dr. Glauco”. O apelido pegou. Digno de seu trabalho e dos demais pares de diretoria, o Treze, chegou a conquistar o famoso tri-campeonato.
    o Dr: Glauco esta nesta foto do Bicampeonato do Treze é terceiro  em cima da direita para a esquerda

De lá pra cá, a vida do então estudante era de dedicação exclusiva ao time do bairro do São José, Em 1975, já formado, Doutor: Glauco Kardec foi, pela primeira vez, presidente do Everton. Foi um ano de muita dificuldade, onde botava dinheiro do próprio bolso no clube, que vivia em dificuldades.

Assumiu a Presidência do Everton

Era com muita dificuldade que o médico Glauco Kardec de Brito Neves cuidavade atletas do Everton, ex-atletas profissionais e seus familiares. Até a data atual, ele continua prestando seus brilhantes serviços aos amigos que o procuram no Calçadão da Cardoso Vieira e no seu Everton Esporte Clube do querido Bairro do São José. e Institui na sede o programa do Governo Federal o Mobral, que ensinava as pessoas a lerem e escrever.

Na sua longa gestão na frente do Time do Everton fez com que o time fosse o primeiro e unico a ter um bloco e desfilar pelas ruas de campina Grande na Micarande conforme fotos abaixo:



                                         


Gastava boa parte do dinheiro recebido como médico na compra de material esportivo para os jogadores do time do bairro onde foi  era jogador, medico, diretor, presidente, interventor, coordenador de eventos e mais algumas coisas. Pagava até almoço e birita todos os Domingos para seus “craques” participarem de jogos do time.

É quase impossível encontrar alguém que não goste e não guarde profunda admiração pelo médico. Ao ter seu nome pautado para tema desta coluna, toda nossa galera foi unânime, afinal, Dr. Glauco, como é conhecido, carregam na bagagem da vida, inúmeras atividades bem sucedidas, o que lhe rende muitos elogios e grande admiração de quem o conhece.

O clube sobreviveu por muitos anos graças a ele e alguns poucos abnegados. Até lá, nem o presidente sabia o que fazer para gerir o clube. O clube ameniza a agonia do presente com as lembranças do passado. Será difícil mudar o curso da história. Segundo o ex presidente, Menos de 10 abnegados ajudavam o clube.

Para voltar a ser o Everton de seus dias gloriosos, tem que começar do zero. E vale lembrar-se de qualquer detalhe, qualquer fato, para resgatar o valor de um clube que revelou estrelas para o cenário paraibano e nacional.

Com o passar dos anos, Dr. Glauco torna-se uma pessoa muito querida na cidade e  Em Arara onde presta serviços no PSF como medico ( é cidadão da cidade desde 1997 ortogado pela câmara municipal da cidade)  pela sua dedicação profissional, atendendo de forma competente as famílias mais humildes, das quais ele nunca cobrou uma consulta (conforme fota abaixo onde aplica injeções na campAnha de vacinação de idosos). 

Tornou-se o médico onde é tratado como um Lorde, sendo que em seu aniversário os Ararenses fazem uma grande festa onde simplesmente os convidados é quase toda a população da cidade. Segundo informações passadas a mim, por pessoas que viveram na época, as duas grandes festas de Arara é a festa Padroeira e o aniversário do Dr. Glauco Kardec (CONFORME FOTO ABAIXO):



Pessoas como Glauco Kardec hoje em dia no meio esportivo é  difícil de encontrar, pessoas que dedicam parte de sua vida se entregando de corpo e alma as entidades que representam, vestem a camisa e nos momentos difíceis abrem também a carteira, não por egocentrismo e sim por acreditar com pouco de apoio que der pode estar melhorando o esporte na sua comunidade.

Fica aqui, através do museu do Esporte de Campina Grande, minha singela homenagem através de fotos que eternizarão grandes momentos do digno homem, como prova do grandioso ser que tenho a honra de ostentar como irmão e AMIGO.

Grande abraço, e, tenho a certeza, que as minhas palavras são as de muitos que também o admiram e respeitam.

Parabéns por tudo que fez pelo futebol amador de nossa cidade, Campina Grande agradece

 Outras fotos do desportista Glauco Kardec








                               
                                                  Glauco na foto como presidente do Time

GLAUCO NO LANÇAMENTO DO INFORMATIV DA HISTORIA DO EVERTON PELO JOBEDIS


Mozaniel, Nezuca, Wagner, GLAUCO e Jobedis






quarta-feira, 25 de abril de 2012

QUEM ERA CRAQUE - BRÁULIO MAIA

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Recebo umas fotos do amigo Braulio Maia Junior o “Nego Braulio” como era e ainda é chamado pelos amigos e ex companheiros de times e lembro-me do bom futebol amador de Campina Grande em décadas passadas, não é só do Bráulio que dá saudade de ver jogar e sim do grupo de atletas que atuaram ao seu lado e contra, ver nas fotos tantos grandes jogadores bate a saudade, sou saudosista e orgulho-me disso, o passado do bom futebol, reunião de amigos que defendiam suas agremiações com carinho, o bom futebol do passado,  sempre vivi acompanhando varias modalidades mais com destaque o futebol de salão e o futebol de campo onde nosso amigo Bráulio foi um bom volante. No futebol de salão ele foi um zagueiro de raça, rápido na recuperação e sabia sair jogando, vestiu varias camisas em nossa cidade com destaque.

Iniciou sua vida esportiva num time chamado Nona Cruzada( clube de adolescentes) da Igreja de Fátima no bairro  da Palmeira. Jogou no Estrela da Palmeira, no Guarani e na seleção do Estadual da Prata, onde sagrou-se campeão colegial de futebol de salão ( olimpíada do Exercito 1974), além de ser campeão em atletismo na modalidade 800mts e 4 x 400 ( Revezamento). Jogou ainda no time do Estudantes, na seleção da Furne e do exercito.

Ainda no ano de 1974 foi Vice-Campeão da cidade de futebol de salão jogando pelo Clube dos Caçadores, depois foi para o Trezinho e ganhou alguns títulos que ilustraram sua passagem pelo nosso futebol amador e futsal.

Jogador sofre acidente de carro e quase amputa a perna.

Infelizmente uma fatalidade lamentável aconteceu ao atleta e seu amigo Mario Overton (conforme foto), um acidente interrompeu promissora carreira dos jovens  atletas. O Mario infelizmente faleceu e o Bráulio foi levado para Hospital e quase teve que amputar a perna direita.


Bráulio não baixou a cabeça pelo destino e foi a luta, se formou é hoje professor concursado da UFCG. Na sua trajetória na Universidade exerceu diversas funções administrativas com destaque tais como: Foi Prefeito do Campus e atualmente é diretor do CCT. É  candidatíssimo  a ser o futuro reitor da Universidade com apoio de toda comunidade universitária.

Estas fotos a baixos falam por si só, grande abraço meu amigo Braulio Matia Junior o “Nego Braulio.

ALGUMAS FOTOS DO ATLETA E DESPORTISTA BRAULIO PARA ILUSTRAR:

OBS: Para aumentar a foto é só clicar nelas









BRAULIO HOJE







quinta-feira, 19 de abril de 2012

QUEM ERA CRAQUE - SON

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


                SON
Falar o nome Wellison Alves Gomes  pouca gente saberá, mas SON ex-zagueiro do Everton, do Treze Futebol Clube,  daí sim todos saberão, pois marcou época e  fez sua história vestindo não só as camisas citadas  mais as cores do time amador do Boavistense, Desportiva Borborema e da seleção Universitária de Furne.

Son e alguns atletas tornaram a equipe do Everton  do Everton do Bairro do São José uma das melhores equipes de futebol de pelada de todos os tempos  da nossa cidade.

Tudo começou nos campos de pelada de nossa cidade. Seus primeiros passos no futebol foram dados nas peladas no meio da rua. Depois veio seqüência natural das coisas:  Aos 12 anos de idade já chamava atenção de todos. Nas peladas era o primeiro a ser escolhido e, aos 13 anos de idade já jogava entre os adultos. A carreira do jovem jogador foi despertando interesse de todos, mas foi o seu treinador do futebol de salão do Trezinho “Pai Vei” , que o levou para a equipe infantil do Everton Esporte clube, se juntando a outros garotos (conforme fotos):
                                   TIME INFANTIL DO TREZE DE FUTEBOL DE SALÃO
Nesta foto Histórica vemos: Pai Vei, Luciano Sodré, SON, Geraldo Leal, Oto Salgues e Chó. 
Agachados: Marinaldo, Tadeu Feioza, Chiquinho Alegria e Madruga


 Na época existia a forte equipe do AABB, formada pelos jogadores Buel, Nem , Sandova, Tiquinho entre outros. A equipe do Trezinho, deu muitas alegrias aos torcedores da bairro . Foram muitos os pedidos para que o jovem jogador se transferisse para outros times, mas todos em vão.

Em 1971, jogando pelo aspira surgiu como a grande revelação do time. O treinador Fuba confiou no seu futebol e o lançou no time principal. Aos dezoito anos já era um craque cobiçado pelo Sport de Recife  bom futebol de Son despertou a atenção de vários clubes de outros estados, um deles o Sport de Recife . O jogador foi aprovado nos testes, mas foi impossibilitado de ficar na equipe devido a dificuldades da época.), mas o seu pai não o deixou se transferir para o futebol pernambucano.

SON jogava com inteligência. Versátil, atuava em várias posições da defesa, o que facilitava sua escalação para o treinador. Era duro, viril, sem ser violento, ele tomava conta do seu setor jogando sério e sem oferecer muitas oportunidades para os adversários. Tinha um grande senso de antecipação. Por ter uma técnica apurada, ele, numa época em que os zagueiros não passavam da linha intermediária, ia ao ataque e fez alguns gols pelo time. Tudo isto o transformaram em um dos maiores zagueiros e ídolo da história do time do Everton e do Treze Futebol Clube.

Em 1976 surgiu o Desportiva Borborema aqui em Campina Grande , uma equipe que provocou o desmanche de alguns dirigentes do Campinense, pela estrutura oferecida aos atletas, e Son foi um dos contratados juntamente com outros jogadores do Treze entre eles Fernando Canguru, Adelino e Gil Silva. Em virtude de suas boas atuações no novo time o Treze o requisitou de volta, o jovem jogador retornou  para o Treze mas jogou pouco tempo preferindo terminar seus estudos, retornando em seguida para jogar no time do Everton por alguns anos.

 Onde anda?
Son  é casado e mora  no bairro do São José, ainda bate uma bolinha, e continua sendo o mesmo caladão de sempre.   hoje descansa das lidas do futebol no aconchego do seu lar ao lado de seus familiares e trabalhando na Prefeitura  de Campina Grande. 

Grande "Son", obrigado por tudo que demonstrou de positivo na sua vida e como grande atleta. Todos o admiram pelo jeito simples, sincero, honesto e calado de ser.

Algumas fotos do Atleta e desportista:


                                  Everton Bi Campeão Suburbano de 1973
Maribonde, Amigo, SON, Pedro Sandu, JOBEDIS, Chiquinho, João Batista.
Agachados: Lulu Doido, Picolé, Tonheca, Fernando Canguru, Nenê, Evandro e Luizinho Bola Cheia

                         
Tres jogadores considerados idolos do Everton
Jobão, Fernando Canguru e Son

Add caption

                                                           Son na Desportiva Borborema
Sociedade Desportiva Borborema - O Gavião. Equipe de futebol que foi fundada em Campina Grande e que durante sua existência jamais perdeu para o Campinense.
Em pé: Severo, Ari, Som, Jorge Luiz (goleiro), Birungueta e Paulo Marcelo.
Agachados: Gato, ?????, Zé Carlos, Fernando Canguru, Odon e ?????.
Obs. Se estiver errado, corrijam, por favor.