quinta-feira, 6 de setembro de 2012

7 DE SETEMBRO - UMA SAUDADE QUE NÃO PASSA

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Meu Deus que saudade dos antigos 7 de Setembro! Um passado que ao que parece, nunca passa dentro da gente. Dizem que quando a gente começa a falar do passado é um dos sinais de quem está começando há ficar um pouco velho. Será mesmo? Bem, isso não importa mesmo. Mas deu uma vontade danada de falar do passado, notadamente nesse dia.

Quem será capaz de não sentir saudades das antigas ‘paradas’ dos memoráveis desfiles de sete de setembro ocorriam em décadas passadas na nossa cidade?

Quem por acaso participou como eu conseguirá no dia 7 de Setembro não rememorar intimamente as velhas imagens guardadas na nossa memória, daquele tempo marcado pela alegria e o contentamento embalador dos nossos sonhos mais utópicos, juvenis e mirabolantes?

O 7 de Setembro é muito esperado e famílias inteiras vinham também de todos os bairros e povoados para ver o desfile nas ruas da cidade, ainda com calçamento, os alunos desfilavam altaneiros, embalados no ritmo das bandas, com uniformes impecáveis e cadências cuidadosamente ensaiadas durante dias a fio.

O clima de festa começava algumas semanas antes do desfile, com os ensaios. A aula acabava na hora do recreio e todos os alunos iam marchar, treinando o passo. E a bateria ensaiava o ritmo. Ninguém queria falhar na hora da mudança do ritmo, sempre cadenciado, mudando ao som do apito do professor que ensaiava a bateria.

Grandes desfiles que ficaram para sempre em nós, como verdadeiras cicatrizes em carne viva. Marchas cansativas que adorávamos participar com o sol a pino. Formação marcial, Colorido cívico e emblemático do verde oliva como que a pintar os nossos anseios por dentro. Quanta alegria de se compor a Banda Marcial do velho Colégio. Instrumentos de couro cru. Ensaios prolongados e cansativos pelas ruas. Dobrados, som de cornetas, coreografias apresentações da nossa cultura latente e regional.

Todas às vezes os inspetores dos colégios ajudaram nos desfiles orientando os participantes.  Quase todos os alunos participavam com grande animação, liderados por saudosos professores. Tinha banda que davam verdadeiros shows.

As memórias dos antigos sete de setembro também se mistura no mesmo caldeirão de reminiscências, os educandários, os colegas, os professores, familiares, as ruas com uns coloridos diferentes para aquele dia especial... O zelo e a preocupação do nosso país para com o fardamento e o "despertar" sempre mais cedo.

Antigos setes de setembro, agora são por assim dizer, sonhos espedaçados. Lembranças hidricamente a se derramar nos olhos e nos nossos sentimentos mais sentidos. Saudade apenas. Passado. Eterno retorno das nossas memórias no túnel fantasmagórico do tempo e dos antigos anos em que éramos felizes e não sabíamos. 

O 7 de setembro era uma festa. Glória maior de todos os participantes. Que por menor que fosse o colégio era um acontecimento grandioso. Um momento auspicioso e afirmativo esperado com sofreguidão e entusiasmo o ano inteiro. Meu Deus que saudade dos antigos 7 de Setembro! Um passado que ao que parece, nunca passa dentro da gente.


Era um bonito espetáculo de cores, ritmos e sons. Pena que esse tempo passou, ficou na saudade, lembrado apenas nas fotos em preto e branco e na memória de quem teve a alegria de ter vivido essa época áurea, saudosa.

Grande multidão assistindo o desfile. A pavimentação ainda era de pedras poliédricas.

Fotos de algumas bandas da Época


Vejam só o destaque (foto) do desfile do dia sete de setembro do ano de 1960 na Praça da Bandeira na altura do Colégio Alfredo Dantas, nesta época ainda não existiam os edifícios Rique e Lucas.





Nesta outra foto ja aparece a construção do Edificio Lucas



                                BANDA DO COLÉGIO ESTADUAL DA PRATA



                                                            BANDA DO REDENTORISTA
                                                              DAMAS


  E aí quais as suas lembranças destes dias do passado? E será que alguém conseguirá identificar algumas das pessoas que aparecem nas imagens? (basta clicar em cima para ampliar o tamanho).

 Agora é com vocês.





10 comentários:

Anônimo disse...

Que beleza meu amigo/irmão Jobão.
Olha...sinto saudades de tudo que marcou a minha vida, dia de 07 de setembro até emociona ao lembrar, mas amigo meu, nem começando e nem ficando velho, pois sentimos saudades também saudades até do presente, que não aproveitamos de todo, lembrando o passado e apostando no futuro!!!

Parabéns pela lembrança....
Jonas didi

Anônimo disse...

Grande Jóbedis! Não há o que falar! Só recordar observando os detalhes das fotos e mergulhar em um passado tão puro. Valeu!

Marinaldo
Tucurui - Pa, 06/09/2012

SAULO MARCONI disse...

Olha meu amigo Jobedis, primeiro quero mandar um grande abraço ao Jonas Didi, que foi um goleiro de uma iluminação divina aí sabia o que fazer em baixo do gol. Quanto ao dia 07 de setembro você com muita propiedade fala de uma saudade profunda, é uma saudade como se fosse um grande amor em nossas vidas, pois tive oportunide de desfilar pelo colegio tenente Alfredo Dantas e o Pio onze, e aquilo pra mim era uma festa apoteótica e que mexe muito com meus sentimentos, pois quem vive fora da terrinha fica bem mais sofrido,parabens meu irmão é extraordinario lembrar dessa satisfação coletiva em que vivemos, confesso enchi meus olhos de lagrimas aqui sozinho junto ao computador, estou ficando velho sim, mais o que é bom não tem idade, só que o tempo é um raio e notamos isso quando lembramos que esse filme já passou, Jobedis estou feliz agora nesse momento,abraços a minha terra aos meus parentes e meus amigos comtenporaneos, abraços,
saulo arruda.

saulo arruda.

Jobedis Magno disse...

Amigo Saulo o Jonas Didi não jogava de goleiro era atacantes.
Abração
Jobedis

Anônimo disse...

Parabens Jobedis,
Impossível não ter saudades dos desfiles de 7 de setembro em Campina Grande, onde o civismo parecia que era maior que em todo lugar do País.
Tenho orgulho de ter desfilado pelo GIGANTÃO DA PRATA, bem como ter participado dos jogos estudantís. É sempre uma viagem gratificante ao passado,ler e compartilhar matérias como esta que ora comentamos.
Forte abraço. (NALDINHO) Josinaldo de Sousa.
turma de 1969-GIGANTÃO DA PRATA.
jnalde@bol.com.br

SAULO MARCONI disse...

Jobedis me desculpe a vergonha que agora passei, tenha certeza que foi simplesmente um erro infantil, grotesco, e absurdo, pois como poderia esquecer de um jogador que tratava a bola como se fosse de sua propiedade, com uma categoria esnobi, magro e inteligente, tinha pela frente uma verdadeira chance de continuar o craque que era em qualquer clube profissional, pois atuamos juntos por pouco tempo no Treze Futebol Clube de Salão, e a amostra desse verdadeiro craque, eu não poderia esquecer nunca, mais deu um branco, e com muita humildade peço desculpas, alias tenho até foto com esse grande jogador, que abusava da pelota com muita categoria, espero que não me julgue um velho, apesar de ser um VÈI NOVIN, um grande abraço,
de Goiás para minha Paraiba.
Obs. Ainda bem que o Jobedis escreve e corrige quem escreve.

Carlinhos disse...

Amigo Jobédis:
Pra quem estudou no Colegio Estadual da Prata no tempo do diretor Francisco Aldo, Raimundo Gadelha Fontes e Sargento Paulo organizando os pilotões no dia 7 de setembro, agente não perdia prá ninguem em quantidade de alunos e beleza. Eu ia dormir cedo pensando no desfile, minha mãe emgomava minha roupa kaqui com bastante goma e meu pai se preocupava em engraxar o velho e resistente sapato vulgabrás, deixava um brilho. O desfile passava por todas as ruas e avenidas mais importantes da cidade não eram asfaltadas, todavia o desfile não perdia o brilho, a turma gritava lá vem o Estadual da Prata, o povo ficava doido ai amigo agente caprichava.Primeiro vinham os colegios, com todos os pilotões impecáveis e em seguida fechando com chave de ouro era a vez dos militares.Hoje o sete de setembro é visto mais como um simples feriado antigamente não. Saudações.

Anônimo disse...

Amigo Saulo, elogiável essa sua maneira de se desculpar, amigo, num exercício de memória, até eu aqui na academia esqueço o próximo a ser feito, imagina depois de tantos anos vc ter tido esse pequeno esquecimento que foi benéfico de forma pessoal para mim, pois receber um abraço de um amigo de longas datas é quebrar o gelo, brindar e esquecer as indiferenças..o que nunca tivemos, agradeço suas palavras sobre o que fui e poderia ter sido no futebol.
Forte abraço amigo Saulo, foi por pouco tempo que jogamos juntos... pra felicidades de nossos adversários, kkkkkkkkkkk, meu bom humor é inesgotável, Jonas didi

Anônimo disse...

Grande Jonas Didi, não posso rasgar sêda pra o Pelé, não posso rasgar sêda pra o Nilton Santos a enciclopédia do futebol, não posso rasgar sêda pra quem fêz tudo de acôrdo como mandava o figurino, você fazia o certo então não posso rasgar sêda pra esse jogador que não tomou-se conta que era um verdadeiro craque, estou muito feliz em trocar figurinhas contigo meu mano, e aqui em Goiás estamos apostos, para o chamamento dos amigos e contenporâneos e a você meu irmão não é nada diferente pois se jogassemos mais tempo juntos com certeza teriamos massacrados muitos adversários,kkkkkkkk, abraços,
saulo marconi.
Obs. Assis Paraiba estar morando em Fortaleza o telefone dele é 8830-9068, parece que esta em situação precaria. Quem já faturou petrodolares.

Anônimo disse...

Valeu amigo Saulo,a recíproca é total e verdadeira, viu aí amigo Jobão, vc tb dando oportunidade aos vivenciados amigos... (nada de velho kkkk), a ter um contato depois de muito tempo, gratificante.
Logo que entre em contato com o amigo Assis Paraíba, darei notícias.
abs amigo, tb feliz em ter esse maravilhoso contato que com vc e dizendo, as vezes mesmo tomando conta daquilo que somos, a gente segue outro caminho.
abs Jonas didi

Postar um comentário