quarta-feira, 19 de setembro de 2012

QUEM FOI CRAQUE - ADILSON BARROS

 POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Nesta longa carreira já tive o prazer de jogar a favor e contra com alguns craques de nossa cidade. Muitos jogadores que fizeram história no esporte de Campina Grande poucos tiveram a felicidade de ser jogar em um time considerado um dos melhores de todo o tempo de nossa cidade,  o time do Everton Esporte Clube entre eles o jovem na época Adilson Barros ou simplesmente Adilson Vein.

Na história do nosso futebol amador de Campina Grande são poucos os jogadores que romperam a barreira do tempo, a longevidade nesta atividade esportiva mesmo no amador ou profissional. O caso de Adilson Barros é um desses exemplos de continuidade ininterrupta de quase 45 anos atuando nas equipes do amador do nosso município e região.

Este nosso homenageado de hoje esse hoje senhor que antes tinha uns cabelos grisalhos e hoje apresenta um visual Black (uns retoques de preto de fumo como os amigos: Toinho Buraco, Antônio Marcos Barbosa, Guarabira, Keka Clemente, Keka das Tintas Lux,  Fernando Canguru, Décio, Glauco Kardec entre outros) conforme foto ao lado.

De fala mansa com sotaque nordestino da gema. Muita conquista esse bom jogador conseguiu jogando por algumas equipes de nossa cidade.

Iniciou sua trajetória ainda pequena O defensor começou jogando nos campinhos de pelada das ruas do bairro da Liberdade onde morava e na Rua Felipe Camarão onde morava sua avó e seus primos e amigos.

Foi convidado para jogar pelo time do Auto Esporte do bairro da Liberdade começando nas equipes aspirantes do alvirrubro treinado pelo saudoso seu Nezinho. Não demorou pra que Adilson logo subisse de categoria fazendo parte do elenco titular, teve boas oportunidades e não decepcionou e fez parte time por algumas temporadas.

Ainda nos anos 70, o lateral esquerdo que gostava de curtir uma de meio campista e fazer lançamentos, foi para o Everton Esporte Clube do Bairro do São José. Atuou na equipe por três anos depois foi jogar no 11 da Vila no começo da década de 80.

Atleta de bom condicionamento físico, grande resistência, muito fôlego e velocidade Edilson foi bem, enquanto defendeu as camisas dos times citados e ficou na mente dos torcedores, que admiravam também sua raça e vontade de ganhar as partidas, além de sua exaustiva marcação e seu incrível poder de recuperação nas jogadas.

Um lateral esquerdo que sabia sair jogando e que tinha um pé esquerdo competente. Esta é a melhor maneira de explicar quem era o lateral esquerdo Adilson Barros, o Adilson Vein.

Segundo meu amigo de infancia Adilson - " Jobão sou nascido e criado praticamente entre o bairro da liberdade (próximo a antiga SANBRA) e o bairro do São José (Rua: Felipe Camarão), meu pai era filho de Dona Ritinha (Figura admirada nesta rua) minha vô, que recebia constantemente minha visita como moleque e daí me juntava com Romero (meu primo), Zé Firmino, os imbigão, Ivam e outros amigos para praticar travessuras diversas e a principal era jogar  pelada com bola dente de leite em vários lugares como: Bacião, dentro do grupo Clementino Procópio (onde estudei o primário até o admissão), perto do SESI, em frente ao IPASE, ao lado do campo do Paulistano (campo da cobra) dentre outros. Fui crescendo e convivendo com a galera do São José através de meu irmão Vicente (esquerdinha), coisa que até hoje, Bará as vezes também me chamava. Com o passar dos tempos participando da vida diária no bairro do São José, com presença inúmeras para assistir filmes no cinema São José, onde a galera prestigiava sem faltar os belos faroeste e o canal 100 com jogos dos melhores times do Brasil, isto tudo sem antes de adentrar ao cinema comprar confeito rasga boca a vô de Elcio.

Considerado um dos bons jogadores de sua posição na história do futebol de pelada de nossa cidade, o lateral esquerdo Adilson jogou em muitos times de nossa cidade entre eles: Auto Esporte, Flay Back, Everton, 11 da Vila, Leonel, Santa Cruz da Castelo Branco,  entre outros conforme fotos abaixo desta homenagem.

No amador time não faltava, e sempre com destaque, nas formações de boas equipes Adilson era sempre lembrado. Bom marcador acabou decidindo por encerrar a carreira nas pelada e continuou só nos rachas de finais de semana , Quatro décadas no futebol amador e agora vive tranquilo, filhos criados, agora aproveita a folga do serviço e nos fins de semana vai até o Clube Campestre no Bola de Ouro, quando pode bater uma peladinha com os amigos dos velhos tempos. Não fechando em definitivo sua trajetória no futebol.

Adilson concluiu o curso de Agronomia, fez  no Mestrado na UFCG, anteriormente UFPB e Trabalha ainda no na universidade. 

Edilson Barros foi mais um dos atletas que marcou época no futebol campinense.

Algumas fotos do Adilson nos times que jogou e nas atividades sociais:


                                                                             FLAY BACK

                                                               FLAY BACK












                                                                           LEONEL



                                  ADILSON, GUARABIRA E DÃO








4 comentários:

Anônimo disse...

Edilson ou Adilson?...tanto faz, é vc amigo, que aqui Jobão presta esta bem merecida homenagem.
Amigo, há muito tempo não vejo você e as vezes penso: não há a miníma razão para que a gente passe tanto tempo sem ver um amigo...isso eu digo de uma forma pessoal ao desabafar um sentimento de amizade que tenho para com meus amigos dessa linda e maravilhosa época, legal e gratificante para nós que moramos distante..além de vc rever através destas fotos aqui postadas tanta gente amiga que aí deixei, mas que o maior prazer é conservá-las até hoje.
Trilhamos caminhos diferentes...saudades,lembranças...mas nunca o esquecimento!
Forte abraço, Jonas didi

Jobedis Magno disse...

Bem lembrado Jonas Didi, devidamente corrigido

Adilson disse...

Jobão, este texto que vc redigiu fugiu um pouco do que lhes foi informado por minha pessoa, eu enviei muitas fotos e um texto meu que informava muita coisa do meu passado como peladeiro, mas como vc falou que tinha perdido o arquivo, foi colocado um adendo dentro do material final que enriqueceu o datalhamento. Embora tivesse muitas fotos, existe um limite da quantidade ser publicada. No geral adorei o muido, e parabenizo este blog pelo alcance de mais de 100.000 acessos, coisa que mostra como é importante seu trabalho como responsavel por tudo que foi publicado até hoje no museu virtual do esporte.
Observação - Jobão, menos, tire o craque e coloque apenas peladeiro. kkkkk
Um Abraço
Adilson (Esquerdinha)

Jobedis Magno disse...

EDILSON O PROBLEMA É QUE VC ESCREVEU UM VERDADEIRO LIVRO E AQUI TEM UM LIMITE DA HISTORIA E DE FOTOS

Postar um comentário