sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A LONGA VIAGEM DO MUSEU DO ESPORTE PELO TUNEL DO TEMPO

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


“RECORDAR É VIVER” é termo máximo pela qual tenho admiração e consideração especial. Há alguns anos fui convidado a participar de um portal esportivo aqui de Campina Grande de assuntos do futebol amador e a idéia era relembrar jogadores, dirigentes, clubes, momentos e destaques de nosso futebol amador e então lancei o “Memorias do Esporte Amador”. 

Foi este titulo que dei a coluna e passei a recordar de times de futebol, pessoas e fatos que fizeram o nosso futebol amador e a sua história. Foram alguns artigos e homenagens, algumas me renderam referências, agradecimentos pela lembrança, enfim me recompensaram de forma especial. Tive de sair o site,  optei em segui outros caminhos.

Num determinado sábado manhã enquanto esperava a minha esposa fazer algumas compras na Rua Maciel Pinheiro em nossa cidade, fui ao Calçadão da Cardoso Vieira localizado nas imediações do centro de nossa cidade e ali passei a conversar com alguns amigos. Em dado momento entrou na conversa meu amigo João Mario Correia Costa. Em determinado momento da conversa disse ser saudosista como eu. O papo fluiu e inúmeras recordações surgiram inclusive outros freqüentadores se chegaram e a “saudade” correu solta.

Considero-me saudosista e passei dar importância a este detalhe quando a partir de uma idéia do João Mario sobre o museu do esporte amador de Campina Grande, após ouvir seu sonho de fazer um museu do esporte amador e que “proseando” foi contando suas idéias em dado momento eu disse para o João Mario - João, o seu relato sobre o Museu foi perfeito, me segurou o tempo todo, e lhe disse que iria fazer um virtual pela net e acho que seria o caminho para fazer um diferencial na nossa cidade.

Comentei com o companheiro que seria difícil receber fotos de antigos jogadores e trazer fatos das suas memórias, principalmente os mais antigos atletas de outras era. Mas fui pesquisando com alguns antigos jogadores e tudo o que relembro.

Mesmo sem um grande arquivo, sem anotações e o patrimônio de recordações vem da cabeça, tudo improvisado. Mas, tentei e fui levando e já há alguns tempos apresento recordações no esporte neste espaço na internet. Com  isto por onde sempre surgem saudosistas, que vem conversar e relembrar diferentes assuntos de nossa cidade. Sinto que a idéia do Museu Virtual do Esporte de Campina Grande prosperou e em dias que não registro saudades aqui no site sou chamado atenção.

Alguns amigos me ajudam mandando algumas fotos de  times e de alguns jogadores. Outros me estimulando a passar minhas lembranças para uma revista ou um livro e espero começar a trilhar o caminho para tal brevemente.

Nesta foto Vemos antigos atletas e desportista do passado: Sobral, Sabará, Dinaldo Trezinho, este editor (Jobedis) e Jorio, abaixo: martinho Farias, Marquinhos Katita e Son

Seguidamente vivo emoções por onde ando por diferentes pontos da cidade onde encontro amigos de juventude e  pessoas vindas conversar para relembrar detalhes do esporte do passado de nossa cidade e outras recordações em geral. Em alguns locais são lembrados antigos times e jogadores que fizeram sucessos nos campos de futebol e nas quadras de nossa cidade. Às vezes por e-mail mando para antigos jogadores perguntas para tirar dúvidas sobre assuntos o relacionados a poster que relatei. 
  
Finalmente amigos nas minhas viagens pelo tempo tenho abordado personalidades, figuras folclóricas, artistas, causos, times de futebol, enfim o esporte e algumas outras coisas de nossa Campina Grande, de todos os tempos e que mesmo que alguns não auxiliem nesta difícil tarefa em remeter algumas fotos de suas lembranças, as tradições, não me curvo e não me curvarei e vou continuar a escrever no peito e na raça e me sinto fortalecido pelo que faço.

Um abraço a todos que acessam o Museu

Outras fotos de amigos do passado de nossa cidade: 


               Martinho,  Sabara, katita, Dinaldo Tezinho e Son

                               Nogueira, Son, o, Honorio Pedrosa e Fernando Canguru

                       No ultimo Encontro no campestre


                                  Raul, Tom, Sabará, Macola, Zé preto e João Mario



13 comentários:

Anônimo disse...

Nós só tempos a agradecer essa parceria de ideias e ideais dos colegas João Mário e Jobedis. A criação do “Museu” foi um sucesso, haja visto sua visitação mundo a fora. Conseguiu reunir fatos e fotos dos bons e maravilhosos tempos do futebol de Campina Grande, tornando-se um divulgador de nossas raízes, passado de glorias e felicidades. Enfim, uma leitura obrigatória a todos nós.
Ao nobre editor e João, os meus sinceros agradecimentos.
Sucesso!!!
Vadinho

Hildeman Ribeiro. disse...

Dizem que o passado o tempo leva, acredito que não meu caro Jobedis e, meu estimado ex-colega de banco e de clube (Trezinho) João Mário. Essa idéia de vocês, só veio nos trazer muitas alegrias, meus parabéns.

Roberto Cordeiro Agra disse...

Jobedis , uma sugestão: não sei em que pé está o livro, mas se der tempo, porque não faz o lançamento do mesmo na festa de final do ano do Encontro, festa promovida por Marcílio Souto Soares?

Marcos Aurélio Miranda Leite disse...

Só tem você mesmo.

Carlos Ernesto disse...

Jobão! estou ansioso na espectativa do seu livro! Abraços!

Marcílio Souto Soares disse...

Ficamos a disposição de Jobedis caso queira fazer o lançamento do livro no V ENCONTRO, que para nós, seria uma honra. Este livro sem dúvida, vai ser um grande SUCESSO.

Astrogesildo Moreira disse...

Caleu Jobão, aquele abraçoV

Jardes Caiçara disse...

Jobedis você é o cara, meu amigo....

Marcos Sobreira disse...

Caro Jobedis, não sei se é possivel, mas voce não poderia reprisar as cronicas sobre a historia do futebol de salão de Campina Grande aqui no seu blog? Se for possivel, tenho certeza que os brasileiros que moram fora do Brasil como eu mora na Australia) que conheceram suas cronicas, agradecerão e os que não as conheciam muito aprenderão.

valter Evagelista Andrade disse...

Parabéns pelos seu belos textos a respeito do esporte de Campina Grande que eu adoro. Mostra que vc é um cronista fora de série. Eu não perdia uma crônica sua no Agora Esporte e nos Retalhos de Campina Grande, e me revoltei com sua saida e de seus abalizados textos. Sua ausência foi muito debatido nos meios universitários da época.

Jurandyr de Oliveira Santos disse...

Jobedis
Hoje em dia é o maior cronista esportivo da cidade............. Eu me lembro que antes tinha o Humberto de Campos e adorava ler suas crônicas, assim como lia também o Ole. Acho que foram estes cronsitas me me fizeram abrir os jornais naquela época.
Hoje o Jobão é maravilhoso e este tributoe eu preto a você grandes pesquisador de nossa "Rainha da Borborema"

Clovis Pacheco da Silva disse...

Jobedis

Prezado amigo, não vou comentar sobre o texto, apenas dizer o que eu, como campinagrandense e morando em Vila Mariana em São paulo , sinto orgulho em ter um museu tão legal quanto o MECG da minha cidade.

Carlinha Vidal disse...

Sucesso total... Adoro suas postagens...
Beijos

Postar um comentário