segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

CANTINHO DA SAUDADE - ZEZINHO IBIAPINO

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES

Morreu nesta segunda-feira (03/02/12014) em Campina Grande, o ex-jogador e técnico de Campinense e Treze, Zezinho Ibiapino, de 83 anos. O meio-campista foi um dos maiores ídolos do futebol nordestino nas décadas de 50, 60 e 70. Natural de Mossoró-RN, Ibianino se transferiu para o Treze, e posteriormente para o Campinense, onde atuou por várias temporadas. Teve ainda passagens pelo Vasco, Ceará e Náutico.

José Ibiapino Filho lutava contra um câncer na garganta há anos. O velório acontece na rua Campos Sales, 196, no bairro de José Pinheiro. De acordo com familiares, o sepultamento será nesta terça-feira por volta das 10h no cemitério de José Pinheiro.
Foi no Treze, que Ibiapino iniciou história no futebol paraibano como jogador e técnico. Após passagem pelo ABC, o jogador chegou para o Alvinegro em 1952 conforme foto abaixo:


 Em 59, Zezinho se transferiu para o rival Campinense. No Rubro-negro, o meio-campista liderou a histórica sequência do hexacampeonato, sendo o artilheiro rubro-negro em 1960, com 18 gols. 
Já em 1967, Ibiapino seguiu para o Treze, onde conquistou mais uma taça do Campeonato Paraibano, dessa vez de maneira invicta. Como técnico, Zezinho Ibiapino comandou a Raposa em mais cinco títulos estaduais nas décadas de 1970 e 1980.
Atualmente o seu neto, Rafael Ibiapino, é jogador do Campinense. Mas está emprestado ao Corinthians do Rio Grande do Norte.
ALGUMAS FOTOS E HOMENAGENS AO GRANDE IBIAPINO





Campeão invicto pelo Treze em 1966



5 comentários:

Anônimo disse...

Pêsames a família, por mim e por meu irmão, Humberto de Campos, que eram amigos. O Nordeste perdeu um grande jogador.

Osvaldo Pereira Vadinho disse...

Uma despedida é necessária antes de podermos nos encontrar outra vez.
Que nossas despedidas sejam um eterno reencontro. Zezinho deixou um vasto legado ao futebol de CG e onde só fez amigos. Que Deus o tenho em bom lugar.

Adauto Barros disse...

Valeu Jobão, muito justa a homenagem.

José Tadeu Melo disse...

José Tadeu Melo Justa homenagem amigo Jobedis Magno, ao meu amigo Ibiapino, papo do dia-a-dia.

Anônimo disse...

Este é o nosso caminho, inevitável. Que possamos viver como ele na sua simplicidade, humildade, e humanidade. Que Deus lhe abençoe.

Sds/Zezito

Postar um comentário