sexta-feira, 23 de agosto de 2013

QUEM ERA CRAQUE - PETRÔNIO

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Hoje o BlogMuseu do Esporte/CG” vai prestar uma pequena homenagem a um grande jogador e grande ser humano. Posto sempre aqui quase que restritamente coisas do nosso esporte antigo, como formações de grandes clubes e biografias dos craques do passado. Nesta edição volto para homenagear mais um craque do passado não só dentro dos quatros linhas, mas também fora, pela sua educação, respeito e consideração aos seus companheiros de time e de trabalho, falamos de Petrônio Pereira de Oliveira ou simplesmente Petrônio.


Uma homenagem mais do que merecida a uma pessoa que soube nos seus mais de 35 anos de atividades esportivas como jogador de futsal e de campo, conquistar o respeito e a amizade de seus companheiros de equipe por onde passou e de seus adversários.

Eu posso falar do Petrônio como atleta, pessoa e amigo, pois compartilhamos os campos de futebol, quadras de futsal, contra e a favor. Jogou nos eguintes times:  Auto Esporte, Trezinho, rápida passagem no Estudantes e alguns jogos no time principal do Treze. Salão: BradescoTrabalho: Banco Mineiro do Oeste, Bradesco, Paraiban. Atualmente Petscap

Petrônio quando menino era acostumado a jogar bola na rua e no campinho perto de casa no bairro da Liberdade em Campina Grande. Com os pés sempre maltratados por causa do esporte, o nosso homenageado já sabia o que queria desde criança. Como a maioria dos garotos apaixonados por futebol, seu sonho sempre foi ser um grande jogador de futebol. Foi um dos fundadors do Auto Esporte da Liberdade, time que jogou por muitos anos (Foto abaixo):
Aos 18 anos de idade, Petrônio recebeu o convite de um olheiro para jogar no time de base do Treze Futebol Clube. O jovem, é claro, não hesitou para decidir ir e tentar a carreira nas categorias de base do Galo da Borborema, o seu primeiro clube na carreira no futebol amador e por onde permaneceu durante alguns anos. Fotos com as camisa do Trezinho:



Como jogador era um zagueiro que sabia sair jogando e que tinha um pé esquerdo competente. Esta é a melhor maneira de explicar quem era o nosso amigo.   Talentoso, respeitado por companheiros e adversários. Quem vê um Treze e um Campinense hoje, às vezes nem imagina que os dois times já tiveram muitos craques surgidos nas peladas de nossa cidade. Craques e enfrentava qualquer adversário de igual para igual. 

Petrônio jogou futebol, não se profissionalizou, por que não quis, mas esteve perto. Na época, além de jogar futebol, era bancário, ganhava um bom salário, onde trabalhou durante 30 anos até aposentar-se. Entre tantas histórias, também jogou futebol de salão, que era originalmente meia esquerda, atuou também como lateral, mas se formou mesmo foi como quarto zagueiro. Mantém a humildade ao dizer que respeitava qualquer outro jogador dentro de campo.

Os anos passavam e Petrônio continuava a demonstrar grande vitalidade que fazia inveja a muitos garotos. Jogar futebol sempre foi sua grande paixão e grande prova disso é que, dedicou-se jogar um Racha no Clube Campestre o “Racha dos Teimosos da qual também fiz parte. O racha era aos domingos pela manhã ai sim, resolveu pendurar as chuteiras do amador e assim o fez.

 Encerrou sua trajetória no amador com estas grandes conquistas e sempre demonstrando ser um grande desportista, deixando sempre um belo exemplo aos jovens que iniciavam a carreira, Petrônio foi exemplo de disciplina, da fibra, da raça, da amizade e pela compreensão pelas jornadas ingratas que o futebol proporciona a todos aqueles que se entregam de corpo e alma na pratica sadia e salutar do esporte.

Para Petrônio, O Museu do Esporte/CG relembrar o passado, não pode ser visto como saudosismo, e sim, mostrar ídolos que muita gente não viu atuar ou até mesmo desconhece.

Amigo Petrônio você com a sua luta incansável pela realização de seus sonhos mostraram que é possível alcançar os nossos objetivos, desde que sejamos humildes, perseverantes, honestos, éticos, e acreditemos em nosso potencial, seja ele qual for. Isso vale para tudo na vida. Que devemos sempre respeitar os valores que nos foram passados pelos nossos pais; que devemos sempre valorizar a nossa família e os nossos amigos, e acima de tudo, jamais esquecer ou ter vergonha de nossas origens.

Petrônio hoje descansa das lidas do futebol no aconchego do seu lar ao lado de seus familiares e dirigindo  sua firma Petrônio Scap.

Grande "Petrônio", obrigado por tudo que demonstrou de positivo na sua vida e como grande atleta.

Algumas fotos do no seu tempo de atleta:






Adicionar legenda






10 comentários:

Francisco Emmanuel França disse...

Jobao

Parabéns pelo trabalho que tem feito engrandecendo e levando nossa cidade para o mundo. Gostaria de estender a todos os ex jogadores já homenageados aqui no Museu do Esporte de Campina Grande que jogaram com ou contra você. Pena que o futebol pelada não seja esporte olímpico, pois certamente teríamos pelo menos um campeão olímpico em Campina Grande o time do Everton o PAPA TITULO, pense num time bom da porrAQ

Wilson Reis Feitoza disse...

Taí uma homenagem em forma de crônica na qual abaixo assino. Concordo com tudo. O Museu esta se tornando uma coisa melhor que qualquer instituição. Jobedis demonstra grande historiador. Ele preservou e difunde a memória do futebol de nossa cidade ao mundo. Que criem um museu vivo onde se produza e não um depósito de papeis. Vc merece nota millllllllllllllllllllll
Jobão

Anônimo disse...

Jobedis. Parabéns!!!
Uma justa homenagem a um grade ser humano!
Petrônio sempre foi a nossa segurança na zaga do Auto Esporte. Clássico, firme e leal.
Marinaldo

Anônimo disse...

Jobão amigo meu irmão,merecida sim esta homenagem, craque de bola foi sim...jogando pelo Raposinha, tive a oportunidade de enfrentá-lo várias vezes, justamente contra esses times aqui postado.
Ah..Jobão nesse meu álbum em seu poder tem uma foto em eu estou jogando contra Petrônio, se vc postar seria uma maneira pessoal de curtir essa boa lembrança.
Petrônio, vc foi um dos grandes craques desse tempo maravilhoso...leal e muito clássico na sua maneira de jogar.
Valeu Jobão, parabéns,

Jonas didi......forte abraço Petrônio...

Anônimo disse...

Um dos zagueiros diferenciado à época. Impulsão, altura alinhados a uma ótima habilidade. Marcou sua passagem com grandes atuações nos clubes que defendeu. Principalmente o seu Auto Esporte e Trezinho. Grande amigo, excepcional profissional e um zeloso pai de família.
Enfim um vencedor. Justa e merecida homenagem.
Vadinho

Sergio Pinto disse...

Jobedis
Obrigado por trazer-me informações sobre o pessoal do Auto Esporte da Liberdade!

Petrônio foi meu chefe de expediente no Bradesco, foi o responsável pela minha admissão, lembro-me que tinha 1 ano que jogava no AUTO ESPORTE, nunca morei na liberdade, mas o AUTO ESPORTE FOI O ÚNICO TIME QUE JOGUEI CALÇADO . Petrônio é um jogador elegante, dedicado, e de muita personalidade, eu sou seu admirador. Obrigado por tudo PETRÔNIO por ter confiado em mim, um pobre rapaz da favela do Olegário Maciel - Monte Santo.

Jaildo Figueredo disse...

Sobre as qualidades de Petrônio na lida com a bola e seu caráter como pessoa somos todos unânimes, era fino no trato com os colegas, mesmo nos instantes dos mal estares comuns ao convívio de pessoas e não guardava ressentimento; em regra era muito mais um pacificador, raramente estava envolvido em discussões. Era um zagueiro a que todos os atacantes rendiam muito respeito, leal, muito técnico, detentor de uma visão de espaço invejável, raramente sendo superado numa disputa de bola, mesmo também porque seu porte física lhe era grande aliado.
Parabéns Jobedis

Hildeman disse...

Quando vou a Campina, tenho como obrigação sempre uma porta a visitar," Petronio Scap ", sim, meu grande amigo Petronio, desde o Tempo do Banco Mineiro do Oeste, incorporado posterioremente pelo Bradesco. Lembro-me bem, num dia de Sábado, houve provas para admitir funcionários, sendo o Eudes (Dim) na época Chefe de Expediente e , eu, sub chefe para vistoriar as provas e admiti-los, foi quando o Eudes disse a mim, Radman, (era meu apelido que Gerci Barbosa botou em mim)aí tem um candidato muito bom de bola e uma boa caligrafia, as suas respostas estão boas e com uma boa disertação. É aquele alí, chama-se Petronio, tenho boas informações dêle. Eu falei para o Eudes, o cara é êsse. Petronio, foi admitido com muito sucesso em todas as carteiras que passava. Quando eu fui transferido para Alagoas, o Petronio ficou na minha carteira, como Chefe de Expediente. Teno por essa figura uma grande estima, aprendi a amar a sua familia, como se fôsse à minha. Toda vêz que o visito, sou recebido sempre com muitas alegriase atençaõ pelo o ex-colega. No futebol, sempre foi um grande craque respeitado pelos os colegas. Comparo muito as jogadas do Petronio naquela épóca , com as de Renato do Flamengo, hoje no Santos. Sempre falo ao neto essa comparação. Meu amigo até a próxima visita aCampina Grande, se Deus quizer.

Anônimo disse...

GRANDE PETRÔNIO, ZAGUEIRO DE MUITA CATEGORIA, PENA QUE OS FÃS JA DISSERAM TODAS AS QUALIDADES DELE, VALEU JOBÃO BELA HOMENAGEM. AINDA TEM UM CAUSO: ARUMEI UMA NAMORADA NO GRESSE FUI DEIXA~LA EM CASA QUANDO CHEGUEI LA ERA A IRMÃ DA NOIVA DE PETRONIO, VALEU AMIGO PETRONIO IRMÃO DO VELHO TADEU, UM GRANDE ABRAÇO DO AMIGO ESPEDITO VILAR

Anônimo disse...

Jobedis, Parabéns!

De tantas homenagens feitas por este museu do esporte de Campina Grande.Esta é mais uma excelente. Todos os depoimentos feitos são puros e verdadeiros. Para não ser repetitivo gostaria de registrar a lealdade de Petrônio teve dentro e fora de campo. O futebol dispensa comentários.

Wallace

Postar um comentário