quinta-feira, 26 de setembro de 2013

CONTE SUA HISTÓRIA - VILA VELHA

 POR : JOSÉ TADEU MELO


Sua historia:Transcorria o ano de 1975 éramos na sua maioria, alunos concluintes do 3º ano cientifico do Colégio Estadual da Prata (O Gigantão), a idade de todos variava entre 18 e 20 anos, nasceu a idéia de formamos um time de pelada, naquela época descalço, escolhemos as cores – amarela e azul- no primeiro momento as duas equipes primeiro e segundo quadro, basicamente formada por moradores dos arredores da vila popular existente em frente ao Colégio Estadual de José Pinheiro, de onde a maioria dos atletas era egressa.

FUNDADORES: TADEU, ADALBERTO GARCIA, ISNALDO CANDIDO, ENEDINO FERREIRA FILHO, LULA CARECA, MARCOS TATU e OUTROS COLEGAS.

Foi-se gradativamente incorporando outros membros aos já existentes, tinha-se como um dos elementos intrínseco e condição para se admitir estes atletas ser estudantes, não era imposição, todavia, dava-se essa conotação em face das amizades que conseguíamos tanto no Colégio Estadual José Pinheiro quanto no Colégio Anita Cabral.

Tivemos inúmeras glorias e conquistas memoráveis, delas podem-se destacar a sempre bem sucedida participação, em campeonatos tais como o CASTELÃO, que congregava equipes dos bairros de Monte Castelo, Zé Pinheiro e Santo Antonio, isto muito bem organizado pelo nosso amigo CHUMBÃO, que pertencia à equipe do PARANÁ FUTEBO CLUBE. Tivemos também participações importantes no famoso torneio da independência que era patrocinado pelo BOTAFOGO do Jeremias. Nos torneios organizados pelo Democrata do Cruzeiro, do Guarani do Alto Branco, do Ipelsa de Bodocongó e tantos outros. 

ALGUMAS FOTOS DE ANTIGOS TIMES DO VILA VELHA




O VILA VELHA cerrou suas portas em meados do ano de 1983, ver-se que da sua data de fundação ao ano de 1983, passara-se aproximadamente oito anos, tempo em que a maioria de seus membros fundadores já havia concluído seus cursos superior e tiveram que ausentar-se de Campina Grande em busca de empregos.

Não podemos esquecer a colaboração efetiva e preponderante daquelas que conduziram nossa agremiação ao longo destes quase oito anos. Sem querer pinçar este ou aquele atleta, mais para prestarmos homenagem aqueles que desde o inicio entenderam e lavaram adiante o lema principal que era o de estudar, mantermos unidos e fazer amizades. As amizades dentro e fora do grupo foram imensas, a maioria delas mantidas até hoje.

Estaríamos negando a importância que teve cada um dos atletas, que ao longo da história desta agremiação, deram sua contribuição para o engrandecimento do esporte amador de nossa cidade. Se não prestássemos aqui e neste momento uma justa homenagem aqueles atletas que já não fazem parte de nosso convívio, e prematuramente foram chamadas para o oriente eterno. Alcides Pereira Leal (TEJO), Marcelino Clementino (SULA), CLOVIS Agra Brandão (professor CLOVIS), Severino Batista (ISTIKIM), José Joventino (ZÉ DE JUVO) e BICÃO.

Devemos até por dever de agradecimento enumerar os colegas que absolveram aquela idéia primeira e conseguiram seu curso de graduação, com as escusas de um eventual esquecimento, segue a relação sem, contudo obedecer qualquer ordem cronológica: Juarez Lourenço, Luiz Adelino, Francisco Aziz, José Tadeu, Adeilton Malaquias, Ariosvaldo Adelino, Rainaldo(Nanau), Gutemberg(Beguinha), Isnaldo Candido(Naldo), Edval Alves de Sousa(Vavá), Clovis Agra Brandão, Enedino Ferreira Filho(Nino), Edson Ribeiro(Bubú), Edvan Ferreira, José Lourenço(Dedé)......

Na certeza de ter dado sua colaboração para o engrandecimento do futebol de pelada de Campina Grande, formando homens e, sobretudo, adquirido grandes amizades, o VILLA VELHA deixou marcante seu valor nas sempre elogiosas palavras ainda hoje recebidas dos inúmeros peladeiros daquela época.

Aos dezoito dias do mês de maio do ano de dois mil e dez.             

Escrito por um dos seus fundadores.

2 comentários:

José Tadeu Melo disse...

O Blog Museu Virtual do Esporte de Campina Grande - sob a batuta do Amigo Jobedis Magno, nos presentou com esta publicação. Nossa gratidão ad eterna.

Jose Tadeu Melo disse...

Amigo Jobedis, curvo-me a Vossa generosidade pela publicação de uma história, não minha, mas de uma geração. Gratidão é a palavra.

Postar um comentário