segunda-feira, 16 de setembro de 2013

O FUTEBOL DE PELADA PEDE SOCORRO

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES

A cada ano que passa,  vemos as áreas de lazer de Campina Grande sumirem e junto com elas os campos de futebol de pelada de nossa cidade.

Quantos passeios fizemos aos bairros distantes do nosso para lá disputar uma partida, um torneio, ou mesmo só para assistir aos grandes craques da várzea? Quantos domingos, sábados e feriados passamos nestes espaços curtindo as virtudes e defeitos de grandes craques e pernas de pau de plantão?

As área mais degradadas da nossa cidade já foram  aa mais efervescente esportivamente. Todas os bairros e comunidade timham nos campinhos uma forma de  lazer que infelizmente se extinguiram e perderam seu dinamismo.

Os campos de futebol de pelada  que existiam aos montes em nossa cidade simplesmente desapareceram. Em sua maioria deram lugar a conjuntos habitacionais, construídos sem a menor infra-estrutura de lazer.

A cada conjuntos habitacionais erguido perdíamos um campo de pelada, ou até mesmo mais de um. Espaços de compartilhamento, solidariedade e lazer, simplesmente desapareceram.

Só na área do bairro da Liberdade, posso lembrar de pelo varios campos: O campo do Botafogo, Comercio, Auto Esporte, Oriente, Flay Back entre outros. Ficaram os pequenos e descartáveis campos de futebol soçaity, bem menores e, muito pior do que isso, para jogar tem de pagar.

o maior bairro de Campina Grande as Malvinas, oito campos de futebol de pelada serão tomados pela construção civil, isso significa que boa parte dos atletas de fim de semana ficaram sem praticar seu esporte favorito, sem falar nos comerciantes que aproveitam com a realização desses jogos de pelada para complementar sua renda familiar. Então entendemos que todos nós cidadãos perdemos com isso.

O futebol de pelada de nossa cidade de hoje é o retrato de um passado distante. Outrora eram comuns vários campinhos de terra espalhados pelos quatro cantos da cidade. Campo de terra batida, sem alambrado, bola indo pro meio do mato e jogadores atuando descalços.

O progresso chegou, as construções foram ocupando estes espaços, que aos poucos foram extintos. Hoje é difícil encontrar um “pedaço” de terra para a garotada correr atrás da bola. Quem quiser mesmo é só nos campos de alguns clube, particulares  ou um pertencente ao município no Complexo Plinio Lemos.

Não é de hoje que o futebol de pelada “mexia” com os antigos desportistas e atletas de nossa cidade. Com algum clube dos bairros e comunidades, sempre montando equipes para disputar partidas, torneios e os campeonatos promovidos pela Liga Campinense de futebol.  Mas o futebol de pelada de nossa cidade do passado deixou saudades e Lorão também teve o seu “momento jogador”, época que era um zagueiro que chegava junto e levantava poeira.  Recordo dos grandes duelos que travei contra o Lerão, antigo beque central de quase dois metros de comprimento do time do Comercio da Liberdade, um marcador que não tinha moleza e bola perdida.

Por isso fazemos um apelo ao nosso Prefeito e ao secretario de esporte de Campina Grande que eles olhem com mais atenção para o futebol amador, pois foi do futebol amador que surgiram muitos dos craques de futebol da nossa cidade.

Para matar saudade, aí vão alguns times de nossa cidade que deixaram saudades:















Um comentário:

Jonas Didi disse...

Jobão, amigo meu irmão, lamentável, mas diante do que vivemos nesse tempo,
vamos sim, procurar fixar o olhar no lado belo em tudo que passamos.
Há tanta coisa para ser contemplada e apreciada, e temos vc aqui para nos dar
essa alegria de rever esses times...que jogando contra qualquer um deles, temos histórias
pra contar...e todos eles também...é claro.

Jonas didi...que mesmo com uma saudade danada de boa, tudo que passei nesse tempo,
vem sim me alegrar...ao recordar, abs forte!

Postar um comentário