quinta-feira, 14 de novembro de 2013

RELÍQUIAS ESPORTIVAS DE CAMPINA GRANDE

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES 


Voltando ao tempo, mais uma vez, recordamos, portanto, do fundo do baú, estas relíquias de fotografias, exaltando o time e do Campinense  e do Treze da década de 50 (a do Campinense do acervo fotográfico de Renato Ribeiro,  ex - jogador e pai de um dos maiores goleiros de futebol de salão de nossa cidade o Zaquinha)  e o da  equipe do Treze Futebol clube de 1955 do acervo pessoal do  João Mario Correia Costa,  que tem dado uma boa contribuição no resgate de nossa história fotográfica.

Do fundo do baú (mesmo!), estas preciosidades abaixo:





2 comentários:

Anônimo disse...

Eu que sou da turma de 1950, só conheci destes aí o geneton e o ruivo. e olhe que minha infância foi dentro do campo do treze.Zezito

Marcelo Meira Leite disse...

Realmente, um time onde todos jogavam por amor à camisa. Marinho, meu pai, primeiro agachado à esquerda, jogou 15 anos pelo Treze F C Galo da Borborema e pela seleção paraibana, sem ganhar salário. Ainda hoje, tem um livro onde registra todos os jogos do Galo. Pena que, ao contrário do passado, nunca sabemos qual o time que vai começar o campeonato.

Postar um comentário