sábado, 27 de outubro de 2012

DE VOLTA PARA A SAUDADE - BAIRRO DO SÃO JOSÉ

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES

A HISTÓRIA DO BAIRRO DO SÃO JOSÉ




A história do bairro não existe em livro foi só registrada em pequenas citações em livros sobre a cidade de Campina Grande, mas existiu e existe na memória daqueles que, ao longo dos anos foram os responsáveis pela construção do nosso bairro. Este livro que estou terminando onde são relatadas com precisão, como se tivesse acabado de acontecer, com datas, nomes e números de ruas, estas pessoas revelaram que um século de história não podem ser apagado com construções de prédios ou com a falta de estrutura básica como educação, saúde, transporte e, principalmente segurança.

Detalhes, fatos pitorescos, segredos, momentos únicos e acontecimentos importantes são lembranças que permanecem para sempre na vida dos nossos pais, avôs e bisavôs e da nossa galera. São eles que nos contavam como eram as ruas, os meios de transporte, as brincadeiras que hoje já não existem mais, o cinema, os bate papos, a paquera nas ruas, o trabalho, as indústrias que chegavam ao bairro... Em cada canto do bairro do São José, transformações gigantescas arquitetônicas, populacionais, financeiras e culturais – que ocorreram durante o primeiro século. Entrada de imigrantes nordestinos. A fundação da Igreja da Guia, do Cinema tradicional como o Cine São José, comércio nas ruas, os pioneiros moradores e as personalidades que viveram ou que ainda vivem no local.

Talvez não haja em Campina Grande um bairro mais amado por seus moradores do que o São José. Moradores que se orgulham de seu passado, suas tradições, seu folclore, enfim, sua história. As manifestações de carinho surgem por meio de palavras ou se concretizam em olhares e gestos. O grande time do Everton seus grandes jogadores, a Igreja da Guia, O Clube São José, O Clube Social o Juventude, o Parque Infantil, o Grupo Escolar Clementino Procópio, o Campo do Treze,  tudo é motivo de orgulho para seus moradores. 

Essas e outras histórias estão presentes no livro. Histórias e personagens do primeiro bairro operário de Campina Grande. Através de depoimentos de alguns antigos do local, o autor registrou fatos, lugares, pessoas, ruas e eventos que marcaram sua história.  Com a ajuda de um computador, relacionei todos esses elementos com a história do surgimento do bairro e com o próprio conceito de bairro operário. Parte de minha família residiu e ainda reside no Bairro do São José por mais de 77 anos, o que facilitou a descoberta e o contato com os personagens mais significativos do bairro.

Na organização da série, os temas foram dispostos, em primeiro lugar, de acordo com sua sucessão na história do bairro, por isso enfoquei primeiramente a Estrada de Ferro e o Algodão; em segundo lugar em função do significado do ponto de vista natural/religioso, explorando, no caso, a Igreja de N.S. da Guia e as ruas que a circulavam. E em terceiro, optei pelos temas de peso social como o Cine São José, o Clube Juventude, primitivos moradores, personalidades, filhos ilustres, a fábrica de tecidos “O Cotonifício Campinense, o Campo do Treze, os coqueiros de Zé Rodrigues, as Comunidades das Embiras e São Joaquim e finalmente os seus times de futebol”. A abertura da série é uma matéria sobre a fundação do bairro de modo geral e a de conclusão versa sobre as perspectivas para a melhoria do local.

Neste livro estão presentes não apenas algumas entrevistas, mas, momentos importantes da História do Bairro do São José relatados e testemunhados por nomes tão diversos quanto os caminhos percorridos e traçados por personagens.

Além da história comum, cada um dos participantes contribuiu para comunidade com as suas biografias e suas experiências, que são sempre únicas e originais, pois a história de cada um tem a mesma importância para todos, já que constitui a base para poder viver e agir em sociedade e construir conjuntamente as ações comunitárias.

Esse livro também tem a intenção de incitar à continuação do envolvimento das pessoas nesta história, do seu aprofundamento e da sua atualização.

Registros Fotográficos - Velhas fotografias do bairro e de antigos moradores


ANTIGA IGREJA DA GUIA

.CINE SÃO JOSÉ





AS GARÇONETES DA FESTA DA GUIA E MORADORES







9 comentários:

Anônimo disse...

Jobão, meu amigo de fé camarada, amigo de tantas jornadas...ler seu livro, será com certeza, apreciar momentos lindos e que sentimos saudades para vivermos eternamente o presente!!!

Forte abraço desse seu amigo,
Jonas didi

Ramiro Lorenzo disse...

jOBEDIS
Fiquei com lágrimas nos olhos ao ler seu post. Realmente emocionante.
Parabéns pelo resgate DO BAIRRO ONDE VC NASCEU tão valioso para vocês.
Sugiro inclusive que vocês podem transformar seu licro eem poster neste museu todos os antigos moradores vão adorar e axessar mais ainda seu Blog
Abraço
Lorenzo

Camila Navarro disse...

Concordo com Lorenzo: essa preciosidade deveria virar um livro! Uma história assim, emocionante e tão rica em detalhes, não pode se perder.

Luciana Figueredo disse...

Jobedis
que post lindo, me do bairro do São José sera muito familiar. Tenho certeza que seu avô, onde estiver, está feliz com a homenagem.

Ana Marinho disse...

Jobão
só agora consegui ler seu post! Uma delícia, depois de um dia de tanto trabalho! Parabéns pelo texto emocionante e pela preciosidade. E olha, acho que merece uma edição em livro, viu?
Por último, muitíssimo obrigada pela referência ao meu post!

Helio Barbosa disse...

Jobedis
Antes de lhe dar parabéns pela feitura de seu site, quero externar a minha surpresa em ter como amigo um lider da sua estatura e carisma, continue demonstrando o seu valor e dando continuidade aos seus projetos. Deus lhe ilumminará em sua caminhada...

Janio Morais disse...

Parabens pelo site e por todo trabalho que tem feito em seu bairro, continue firme,que Deus abençoe!

Valeria Mendonça disse...

Parabéns por estar se empenhando em resgatar o nosso bairro,fico muito feliz com o seu projeto..
Continue asiim !! que Deus te abençoe

Anônimo disse...

Parabéns pelo livro. Espero que seja publicado!
Fui muitas vêzes às festas dêsse bairro quando era jóvem. E tive algunas namoradas que viviam aí. kkk
Lendo o seu relato imaginei que os meninos que viviam no São José se divertiram mais que nós, os que vivimos no Centro. Que inveja!

Postar um comentário