quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

ÍDOLO DO FUTEBOL DE CAMPINA GRANDE - CHICLETES

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES

José Moraes (Chiclete) era natural da cidade de Esperança e filho de Severino Ramos Moraes e de Maria Nicolau Ramos Moraes. Era casado com Manuela Augusta Valente de Moraes (portuguesa). Dessa união, nasceram três filhos: Katie, Karine e Gibran.

O desportista homenageado destacou-se como um dos mais brilhantes atletas que militou nas hostes esportivas da Paraíba, nos dois clubes de Campina Grande.

Chiclete iniciou sua carreira como atleta amador na modesta equipe da Portuguesa de Desportos do bairro de Cruz das Armas em João Pessoa. Logo “cedo” foi jogar no Auto Esporte Clube, onde mostrou sua habilidade de autentico craque. Daí foi rápida a sua contratação pelo Campinense Clube, onde sua carreira teve sua rápida ascensão chegando a defender esta gloriosa agremiação por vários anos, conquistando vários titulos para o time hexacampeão (conforme fotos abaixo). 

                                               CHICLETES É O CENTRO AVANTE

Os ares benfazejos da Serra da Borborema o projetaram para as grandes praças do futebol, quer Nacional e Internacional. No Brasil soube honrar as cores do Auto Esporte, Campinense Clube, Sport Clube do Recife, Portuguesa de Desportos e o Fluminense e o Treze. Brilhou em grandes equipes européias, começando pelo Vitória de Guimarães no Norte de Portugal. Mais tarde conquistou o bicampeonato português pelo Sporting de Lisboa e a Taça da UEFA, chegando ainda a vestir a camisa do Vitória de Setúbal, Esporte Clube de Marinho Clube e Esportivo de Nazaré.

Poucos foram os jogadores do passado que possuíram tanta técnica e habilidade, como foi esse craque que hoje é lembrado aqui no Cantinho da saudade do MECG. Sim, não tenho dúvida em afirmar que ele foi um dos mais completos atacantes, que eu vi jogar, entre as décadas 60 a 70. Foi um dos melhores centroavantes do nordeste do futebol brasileiro, e não deixou dúvida, pois a facilidade e a habilidade com que ele executava as jogadas em direção ao gol eram incríveis, lançando ou trocando passes com muita perfeição. Com essas qualidades que sempre lhe foram peculiares o levaram às condições de eterno ídolo das torcidas dos times que jogou na sua vida esportiva. Talvez muitos não o conheceram, porém os que chegaram a vê-lo jogar, sabem e reconhecem o grande jogador e o profissional que foi.

Certamente seu nome está escrito com letras douradas no livro que conta a história do futebol da Paraíba. Embora ele tenha vestido outras camisas, sempre com a mesma dedicação. Chiclete depois de brilhar no Campinense passou pela Portuguesa de Desporto, onde, aperfeiçoou suas qualidades, quando chegou ao Futebol de Portugal, já não era mais uma promessa, mas sim um craque formado, que ajudou a equipe portuguesa a conquistar títulos inéditos:

Jogou no Treze

Essa contratação foi mais uma jogada de marketing da diretoria trezeana, para encher os estádios e dar um jeito no time, Chicletes foi à solução, pois vinha de algumas temporadas de sucesso no futebol português e no Fluminense. Jogou pouco tempo no Treze. 

Depois retornou ao futebol português. Foi também jogador e treinador em Vila Real de Trás os Montes, em Portugal. Transferiu-se para a Turquia, onde jogou no Besitas; no Angoulême da França e, em seguida, para o Canadá onde encerrou sua carreira ainda no vigor de sua força física, motivado por uma grave contusão.

Porém ele viu que o futebol já não era mais sua praia, pendurou as chuteiras na hora certa. Parabéns Chicletes, o MECG tem a certeza que a torcida campinense sentiu e sentirá muito a sua falta.

Ao retornar para Campina Grande, ele cursou Direito pela Universidade Regional do Nordeste. Durante muito tempo, foi o superintendente do Estádio Amigão, numa profícua administração ainda hoje lembrada pelos freqüentadores daquela praça esportiva.

Após sua saída da administração do “Amigão”, Chiclete voltou ao convívio da advocacia, defendendo as causas do DETRAN. Em seguida, ocupou cargos de confiança na CIRETRAN em Campina Grande. Faleceu e depois do seu falecimento recebeu o “Titulo de Cidadão Campinense” propositura do vereador  Fernando Carvalho. Muito justa essa homenagem que o povo de Campina Grande lhe concedeu pelos bons ser prestados ao esporte de nossa cidade a esse ex-extraordinário jogador.

Algumas fotos do grande jogador:

                               CHICLETES É O TERCEIRO EMBAIXO




                                                       Chicletes é o sexto no alto

                                                Chicletes e outro brasileiro do Sporting Djalma





FONTE:
GOOGLE

Gabinete do Vereador Fernando Carvalho
Câmara Municipal de Campina Grande

6 comentários:

Osvaldo Pereira Vadinho disse...

Um dos melhores artilheiro que vi jogar.

Zeca E Landa disse...

Este sim! Um goleador!

Glauco Kardec disse...

Merecida Homenagem a este grande Atleta.

Paulo Roberto Figueiredo disse...

Jobedis uma ótima merecida Homenagem um grande e excelente goleador., Chicletes.

Itamar Alves disse...

Este era matador, fazia gols d mais.

Dinaldo Farias disse...

Ele o conheci jogava muito,tinha um irmao,mais novo Everaldo,chiclete tb fazia muitos goals,o mais velho era mais cabeça classudo,o masi novo era trombado

Postar um comentário