terça-feira, 21 de janeiro de 2014

NOSSOS ÍDOLOS MERECEM SER HOMENAGEADOS

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES

Neste final de ano tive o prazer de reencontrar pessoas amigas e antigos jogadores de futebol de nossa cidade do passado e tive  a honra de conversar um pouco com: Sabará, Raul de Melo, Chininha,  João Mario, Zé Guedes, Hidelman (antigo peladeiro de nossa cidade, que não tive o prazer de   vê-lo jogar com a camisa de alguns times do bairro do São José e do Treze Futebol Clube (conforme foto abaixo:
Depois de várias indagações  e muita conversa, fiquei mostrando a importância da criação do Museu Virtual do Esporte de Campina Grande, porque foi uma forma encontrada de reverenciar e homenagear desportistas e jogadores que contribuíram muito para o esporte de nossa cidade no passado.
Ninguém vive de passado, mas um blog como este voltado a homenagear os craques do passado é uma forma de compreender o aconteceu no passado e até mesmo o que pode vir ser no futuro.
Entendo que muita gente precisa ser homenageada. Quem sabe os nossos vereadores, que estão em início de legislatura, não olhem apenas para si e resolvam reverenciar ex-atletas das mais diversas modalidades. Quem sabe o prefeito Romero Rodrigues, que é também um homem do esporte – aliás, já jogou no futebol amador– também participe e apóie eventos dessa natureza.
Ao longo de minha carreira esportiva em diversas equipes de futebol de salão e de campo, viajando para muitas cidades da Paraíba e do Brasil, vi nas sedes de alguns clubes homenagens aos seus ídolos do passado.
Em relação ao futebol de nossa cidade (Treze e Campinense), o reconhecimento parece ser pífio, tanto que vi poucos ex-jogadores da equipe sendo homenageados pelos clubes. Quem sabe os atuais dirigentes promovam um grande evento, que institua uma medalha de honra ou um troféu para homenagear aqueles que honraram as tradicionais camisas.
No passado o Treze conquistou o cobiçado Torneio  Pernambuco/Paraíba em 1961 e o Paraibano invicto de 1966, título que inveja todos os times paraibanos – Um dos principais título da história do Galo da Borborema (estará completando mais de 50 anos). Para quem se recorda, os campeões daquele ano foram recebidos por milhares de pessoas nas ruas da cidade e também no Estádio Presidente Vargas como verdadeiros heróis.
TREZE CAMPEÃO INVICTO DE 1966
O Campinense também conquistou diversos títulos importantes e foi hexa campeão paraibano (título inédito). Fica então a sugestão para os dirigentes dos dois times de nossa cidade, vereadores e também ao prefeito Romero Rodrigues, que comecem a pensar e programar um grande evento que reúna aqui na cidade, os heróis daquelas conquistas ainda vivos.


5 comentários:

Anônimo disse...

Jobão amigo meu irmão,

Relembrar o que nos deu muita alegria...sempre é, e será um ótima recordação!!!
Forte abraço, Jonas didi

Anônimo disse...

Amigo Jobedis!!!
Concordo plenamente com vc pois ,homenagens devem ser feitas ainda em vida e não
quando o homenageado não mais aqui se encontrar. Tomara que despertem e tomem
uma atitude.
Abração, Eneida Donato.

Anônimo disse...

O penta campeonato do campinense, foi roubado. O Treze era campeão pelo empate e terminou o primeiro tempo ganhando de 1 x 0 gol de luiz garapereiro (cearense). O Juiz também cearense , o Sr Louralber Monteiro ajudou o campinense, e a diretoria do treze comprou alguns jogadores do treze no vestiário. no segundo tempo o campinense com 10 homens, pois zé preto foi expulso aos 20 minutos do primeiro tempo virou o Jogo. Eu ví , porque estava lá .....

Anônimo disse...

Jobedis
As suas homenagens mostram a pujança do futebol de campina Grande. São verdadeiros craques! Parabéns!!!!!!
Marinaldo

Hildeman disse...

Amigo Jobedis, falar de craques do passado é muito fácil, difícil e encontrar craques hoje com a elegância de jogar e a disciplina daquela época. Tive o prazer de ver por muito tempo o Germano jogar, jamais vi em minha vida um craque igual a êle. Certa vêz em um treino do Treze, o Técnico era o saudoso Astrogildo, êle havia comandado o treino da seguinte maneira, a defesa titular contra o ataque titular, o Rinaldo, grande meia esquerda que passou pelo Treze, como tb pela Seleção Brasileira, êle dominou a bola em frente de Germano dentro da grande área, o Rinaldo deu um chapeu por cima da cabeça de Germano, trazendo a bola pelos calcanhares e cobrindo Germano e, concluindo com um golaço. Germando ficou maravilhoso com a jogada do colega e foi elogiar o Rinaldo. Após o treino, a torcida falou para o Rinaldo que havia gostado da jogada, êle porém disse, Jamais farei isso outra vêz com Germano, êle é o meu ídolo, quem merece aplausos ê ele pela a sua educação..Quanto a outros craques do Treze, destaque para o Fraga, veio do Nautico ainda muito moço, não pertencia ao quadro titular daquela agremiação, chegou a título de empréstimo (diziam que o Nautico emprestou êle por motivo de sua cor) naquela época ainda existia recismo no Timbú Pernambucano, isto é , não era do quadro principal, jogadores de cor escura. O Fraga chegou, ganhou simpatia dos Trezeanos e ganhou a titularidade da posiçao, foi um grande craque que passou pelo Galo da Borborema. Finalizando, são inumeros os jogadores craques que passaram pelo o meu Treze. Sou do tempo de Hary Carey, Félix e Urai, Germano, Milton Negrinho, Bola Sete, Pedro Negrinho, Mário, Marinho, Ruivo, Delgado e, tantos outros que nos encheram de alegrias no velho Estadio Getúlio Vargas.

Postar um comentário