terça-feira, 6 de setembro de 2011

Memória Esportiva - Aniversario do Treze FC



POR:  JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES






A edição desta semana do Museu Virtual do Esporte Amador CG é para parabenizar um clube que é um símbolo da nossa cidade - O Treze Futebol Clube, que comemora nesta terça feira dia 7 de setembro de 2011, 86 anos de sua fundação. Ao longo das últimas oito décadas e meia, o ”Galo da Borborema” se consolidou como um dos mais importantes times do futebol do Nordeste. Quem poderia imaginar que aquela associação modesta, idealizada por Antonio Fernandes Bioca e 12 amigos iria sobreviver todos esses anos?
O Galo da Borborema desde sua fundação mostrou ser um clube voltado à massa popular, com uma torcida fanática e apaixonada. O time enfrentou todas as adversidades, marcou seu nome, alternou períodos, viveu e venceu. Acompanhou a transformação da cidade e do mundo no mais avançado século de todos os tempos, vendo o crescimento do homem através da tecnologia. Conquistou grandes vitórias e grandes títulos, tendo jogadores formados em seus quadros ou que vestiram a sua camisa, brilhando pelos campos espalhados pelo Brasil e do mundo. O tempo foi passando e o Treze foi se superando, muitas vezes com dificuldade ele sobreviveu.

O Treze Futebol Clube tem uma história que orgulha os seus torcedores e a cidade de Campina Grande.  Neste espaço pretendo recordar personagens da história do famoso “Galo da Borborema”, como grandes jogadores que passaram pelo Galo e grandes dirigentes que ficaram marcantes na vida do Clube. Esta coluna visa em primeira linha despertar recordações, mas também desta forma contribuir para a preservação da memória do grande time.

Com muito respeito e reconhecimento, a todos aqueles que trabalharam e que ainda trabalham pelo clube, aos diretores do passado e aos atuais dirigentes, aos funcionários aposentados e os da ativa, aos ídolos antigos e a todos os jogadores que pelo Treze  passaram, aos treinadores, auxiliares, massagistas, médicos, roupeiros, aos gandulas, as lavadeiras, cozinheiras, faxineiras, aos vigias do campo,  aos porteiros e aos maqueiros, aos cronistas esportivos dos jornais, rádio e televisão, destacando sempre o Treze Futebol Clube. Aos inúmeros torcedores que desse mundo já partiram, aos dirigentes e políticos que entenderam que o 
Treze é um patrimônio da cidade, e finalmente a todos que de alguma forma apoiaram,  apóiam, respeitam e admiram o glorioso Galo da Borborema. Um clube de expressão,  que superou o tempo com tradição, com garra e com determinação. Um clube vitorioso e que sobreviveu algumas derrota e que enfrentou fortes adversidades.

Hoje nos seus 86 anos, pouca coisa se compara ao futebol de alguns anos atrás. Vivemos uma realidade diferente, tempos em que o investimento e supervalorização passaram a ser fatores marcantes no futebol.  Hoje os Treze não têm mais um simples time de futebol, mas um patrimônio da cidade. Tem um campo moderno e aconchegante, um dos maiores motivos de orgulho dos torcedores que o ajudaram a construir.

Os dirigentes e jogadores não precisam mais correr atrás de campo e descobrir onde será o treino, o Treze tem um centro de treinamentos “modelo” dentro da cidade, também um dos seus grandes orgulhos. Lá se foi o tempo em que tinha uma torcida eufórica e barulhenta, hoje tem muito mais que isso, tem uma grande nação, responsável também por grandes feitos e grandes realizações do  clube, aliás, vale destacar que a torcida é fantástica.

Grandes  jogadores, dirigentes e treinadores

Ao longo de 85 anos, grandes times foram formados no Treze FC e extraordinários jogadores defenderam a camisa preta e branca. O clube sempre foi um celeiro de craques, revelando para o futebol Brasileiro uma gama de jogadores de excelente nível técnico. O time do Treze teve gerações fantásticas. Na década de 50 (Quem é desse tempo não esquece) o clube criou mitos entre os quais o goleiro Harry Carrey,  e o zagueiros Uray.  O pouco que sei do antigo Treze Futebol Clube é o que me foi contado episódicas vezes por irmãos e amigos  mais velhos. Sobre o  goleiro Harry Carrey todos que o viram jogar afirmam que foi o maior de todos, um verdadeiro fenômeno, ágil, elegante e agarrava tudo. São poucos os da nova geração que têm conhecimento de quem tenha sido esta figura que marcou época no futebol campinense. O máximo que sabem é que foi o maior goleiro do Treze. Outro mito é o zagueiro Uray, que até hoje é lembrado como símbolo da garra e da virilidade do futebol paraibano, conquistou vários títulos  profissionais pelo time.
O Treze tinha tambem na sua zaga com Arrupiado e Zé Pequeno, um meio-campo formado por João Luiz e Ruivo. Este abastecia o ataque e tornava os atacantes artilheiros nas vezes que jogassem. Um grande ataque com o ponteiro Marinho  com seu futebol alegre e eficiente, partindo com a bola dominada, rápido, pra frente, vigoroso, decidido, incomparável nessa característica. Tinha tabem o "genial goleador" Mario Buchudo e os lendários Araújo e Josias . Esse era o ataque dos sonhos que fez história na década de 50. Desequilibravam qualquer zaga. Teve tambem o habilidoso Nego Bé (jogou no Santos com Pelé) o ponteiro esquerdo Hercílio de chute forte, drible simples e vistoso, a criação repentina.

Outros craques

Quem esquece craques como: O grande ponteiro Gilvam, a  dupla Bola Sete e Pedro Neguinho; o rápido Rui; os  artilheiros Saquinho,  Delgado  e Santos que jogava simples e objetivo na direção do gol. O Galo teve artilheiros de campeonatos brasileiros e paraibanos, grandes goleiros, zagueiros lendários e inclusive, jogadores que chegaram a atuar pela Seleção Brasileira de Futebol - o  Rinaldo, que saiu do PV para fazer fama no Palmeiras e logo em seguida na Seleção Brasileira, grande jogador. Tinha o  Germano, que foi um dos volantes mais técnicos que passaram pelo futebol paraibano. Desarmava como poucos e jogava de cabeça erguida.  RAUL BETANCOURT meia esquerda dos bons. Quem  o viu jogar vestindo a camisa do Galo atesta que o uruguaio Raul Betancourt, foi um dos grandes jogadores de fora que  atuou no futebol paraibano. Armador cerebral, Betancourt dava o tom do jogo, dosava o ritmo do time e, além disso, liderava a equipe, pela seriedade e serenidade. Atuou pelo Treze nos anos 60. O grande Soares meia esquerda dos bons. Miruca grande ponteiro que depois brilhou no São Paulo, O Assis Paraíba jogador de elegância e precisão, um leve toque por baixo da bola, que caia dentro do gol. Os goleadores João Paulo ( Raçudo, catimbeiro e muito habilidoso, João Paulo chegou no PV na decada de 70 e logo se tornou artilheiro e  ídolo da torcida) e  Adelino - o Leão do Galo, os grandalhões Fernando Canguru e Joãozinho Paulista, que fizeram belos gols de cabeça. Os bons laterais Som e Heliomar, entre outros. Da era contemporânea o principal sem dúvida nenhuma foi o artilheiro Rocha, que ajudou o Treze a conquistar o título em 1989, e firmou-se como o principal artilheiro de estaduais deste mesmo ano. Bem depois, vieram outros bons jogadores, como os goleiros Azul e Erico, Beto, Wagner Diniz, Allison. Do time atual o melhor jogador para mim é o baixinho Cléo. Apesar de baixinho sempre dar trabalho aos zagueiros adversários. É tanto que balançou as redes adversárias muitas vezes pelo galo), entre outros.

Foram personagens de momentos únicos que andavam quase esquecidos, principalmente nestes tempos onde se fala tanto em atacantes e esquemas de ataque mais ofensivo nos clubes. Verdadeiros heróis no ato de jogar bola  ou impedir a bola de entrar no gol,  surgiram ao longo da história do Galo da Borborema.

Grandes Treinadores

Dos treinadores, eu era muito miúdo, mas lembro-me muito bem do  Alvaro Barbosa, uma simpatia para a criançada. Mas no aspecto desportivo, o melhor. Tenho lido e ouvido na rádio muitas histórias contadas a seu respeito. Não vou aqui reproduzir nenhuma, vou só dizer ele era o treinador principal, treinador de goleiro, preparador físico, psicólogo, olheiro, e ainda transportava o saco das bolas nos treinamentos. Mas também passaram outros grandes treinadores como: Eurivaldo Guerra (Vavá), Janos, Manoel Veiga (Mané),  Astrogildo Nery (Astrô), Pedrinho Rodrigues e Audírio Nogueira.  No seculo atual quem realmente mostrou trabalho foram o Mauricio Simões e Marcelo Vilar.  Houve também aqueles treinadores que tiveram seus 90 minutos de fama, para, depois, serem esquecidos pela história.

Grandes dirigentes:

Hermínio Soares de Carvalho, Otacílio Timóteo de Souza,  Raimundo de Melo Luz, João Lyra Braga, Genésio Soares de Carvalho, Dr. Sebastião Pedrosa,  Dr. Raiff Ramalho, José de Almeida Torreão, Dr. Edvaldo de Souza do Ó, Dr. José Cavalcanti de Figueiredo, Almiro Cavalcante, Cristóvão Victor dos Santos, Mariano Torreão Vilarim, Dr. José de Araújo Agra, Evandro Sabino, Evaldo Sabino, Flávio Almeida, Olavo Rodrigues, Petrônio Gadelha, Marcelo Nóbrega entre  outros.

Obs:Essas fotos abaixos algumas forma me mandado pelo amigo e colaborador  João Mario Correia Costa do acervo do desportista Renato Ribeiro,  outras fazem parte do meu arquivo pessoal. Algumas estão sem a devida identificação do fotografo e de atletas. Quem souber o nome de alguns sem a identificação e até mesmo a época em que foi feito o registro deixe um comentário na postagem.Alguns dos grandes times







FONTE: 
Esta matéria ja foi publicada por mim no RHCG em 2010

15 comentários:

Cesar Cardoso Filho disse...

Parabéns Jobedis pelo seu texto e pela preocupação do resgate do esporte amador de nossa querida campina Grande e de belas páginas do aniversario do grande Treze e seu passado glorioso.

Carla Suely da Silveira disse...

Parabéns a todos nos trezeanos e ao Jobedis pela iniciativa,uma ótima reportagem de resgate do grande Galo da Borborema e do nosso esporte do passado. Não tive a oportunidade de assistir o Treze em campo pois fui embora muito cedo de Campina Grande mas como meu pai era trezeano passei a ser tambem e não me arrependi, mas como torcedora do Treze já ouvi muitas historias deste time. Os nossos torcedores da serra têm muito a agradecer, por ter feito esta pequena história.

Paulo Henriques Cunha disse...

Parabens,jobedis, excelente a materia sobre o Treze que eu vi jogar assim que me tornei seu torcedor nos anos 70 e de quem meu pai era fã, continue publicando materias do nosso futebol do nosso passado e todos os craques que brilharam na nossa Campina Grande.

Cassandra Maria de Araujo disse...

PARABÊNS JOBEDIS E A TODOS NÓS, UMA AGREMIAÇÃO QUE NASCEU DA FÊ, CONFIANÇA E AMOR DE ALGUNS ABNEGADOS, PASSOU PELOS 13 E SE TORNOU A MAIOR TORCIDA DO estado da Paraiba E UMA DAS MAIORES EQUIPES DO NORDESTE. PARABENS GALA DA BORBOREMA

Dinaldo Farias disse...

Ótimo texto Jobedis. Acompanho sempre os seus comeentários e suas historias deste o tempo do Agora esportes. As vezes quis comentar algo, mas sempre na correria, deixava para outro dia. Hoje fiz questão de parar um pouco para elogiar o seu trabalho, a clareza com que expõe suas idéias, o amor que demonstra ao nosso esporte do passado. Parabéns a você e ao nosso Treze Futebol Clube (também é o meu único time – Eternamente seri Galoda Borborema)
Um abraço.. Nos vemos na Serrinha no fim do ano.


Adriano Castro

Rinaldo Luiz da Silveira Filho disse...

hoje é o dia de celebrarmos mais um aniversário dessa agremiação que tem o poder de mexer com nossas emoções, nos levando, de um dia ao outro, da tristeza à alegria; do desânimo à euforia; do descrédito à indescritível espera pela Estrela Dourada… Parabéns, Galo da Borborema, por mais esse aniversário! Se seremos campeões nacionais da série D infelizmente não sei… Só sei que continuará a ser ser amado por muitos e muitos de nós e por muitos outros que, diante de suas glórias passadas, aprenderam e te amar. Parabéns, também, a todos nós, trezeanos, afinal, em muito colaboramos com a grandeza dessa potência tão idolatrada por todos!

P.S.: Parabéns, também, para a vc Jobedis pelos seu belos resgate.

Paulo de Tarso Xavier disse...

Jobedis

Parabéns por esse resgate da história do nosso Treze, e o incentivo a nos lembrar dele nesse dia. O Galo da Borborema tem uma história muito bonita, e tivemos um crescimento significativo nesses anos, poucos clubes chegarão aonde o Treze chegou em 86 anos. Imagina onde podemos chegar até o centenário?

Luís Amaral de Lima e Silva disse...

É um prazer enorme poder olhar este glorioso time que fez e faz parte de minha vida e de tantos canpinenses que vivem fora desta terra, meus parabens Jobedis e um forte abraço a esta turma maravilhosa da gloriosa Rainha da Borborema.

Sydeni Alves Granjeiro disse...

Parabéns pelo resgate da história de um clube que é o orgulho de um povo e de uma cidade. Espero que não pare, pois há muitas histórias ainda a serem resgatadas e contadas para as gerações presentes e futuras. Parabéns e continuem assim.

Tina Rocha Dias disse...

É com grande satisfação que pude apreciar e matar um pouco da saudade deste distintivo do Galo da Borborema que nunca será esquecido no meu coração. Graças a DEUS vi meu pai vestir esta camisa, assim (mais conhecido como Rocha). E isto está gravado... muito legal..

Anônimo disse...

Parabéns a Jobedis meu amigo/irmão pelo resgate da história do glorioso Galo da Borborema. Parabéns ao Treze Futebol Clube, paixão da minha adolescência e da minha vida. Sou um privilegiado de fazer parte de sua história e me sinto honrado com isso. Quem nasce trezeano ou se torna trezeano não tem palavras para descrever tamanha alegria. Aos trezeanos meu fraterno abraço e ao Treze Futebol Clube minha eterna gratidão. Saudades. Fernando Cangurú.

Sâmia Fernandes disse...

SÂMIA DE SOUSA FERNANDES

Parabéns ao GALO pelos seus 86 anos de tradição no futebol de Campina Grande. Adorei a matéria, gostei muito de saber um pouco mais da história do clube que amo. Tenho o maior orgulho em dizer que sou TREZEANA, graças ao meu querido pai, que infelizmente não está mais entre nós e era um torcedor fanático, um dos maiores que ja conheci, e me ensinou a ter paixão e amor pelo TREZE.
Tenho certeza que ainda vou ter muitas alegrias e com o TREZE FUTEBOL CLUBE.
GALLOOOOOO...SEMPRE!!!

Marcos Soares disse...

Amigo Jóbedis,
Parabéns pelo trabalho que você realiza no resgate histórico do futebol profissional e amador de Campina Grande.
Escolhi a data de hoje por simbolizar o aniversário do Treze Futebol Clube, agremiação que mais conquistas e glórias trouxe para o futebol paraibano.
Galo da Borborema: orgulho da Paraíba.
Felicito-o mais uma vez e incentivo-o a continuar com sua brilhante pesquisa em nome do futebol da Rainha da Borborema..
Parabéns Galo.
Parabéns Jóbedis
Abraços fraternos e dálhe GALO!!!!
Marcos Soares

Jonas Didi disse...

Amigo Jobedis Magno, antes de mais nada parabéns pela matéria, ontem a noite me lembrei muito e viajei no tempo, recordei através de muitas imagens e histórias, o Treze fez efaz parte de minha vida junto a muitos familiares meus, em destaque ...minha querida Mãe e irmã Vanilda, saudades, e por que não citar meu irmão Batista e olha eu que iniciei em futebol de campo no Galinho...valeu amigão, forte abraço. Galôôo...

Jurayanne disse...

Hoje é necessário Parabenizar em dobro!! Ao Treze pela sua linda história nesses 86 anos e ao Jobão que vem com brilhantismo nos fazendo conhecer um pouco mais sobre o Futebol Paraibano. Parabéns aos dois e muito Sucesso.

Postar um comentário