quinta-feira, 21 de março de 2013

QUEM FOI CRAQUE - ERANDY

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES

Continuando com a memória do esporte de Campina Grande do passado vamos comentar a vida futebolística de um grande jogador, o inesquecível Erandy Pereira Montenegro, hoje com 67 de idade. Paraibano de Bananeiras, marcou seu nome na história do futebol tanto como jogador, quanto como treinador, função que exerceu até bem pouco tempo. 

Erandy Montenegro, era atacante clássico que marcou na história do futebol amador e profissional do município, de alguns estados do Brasil e até em Portugal onde jogou.

Este grande atleta começou a se destacar no futebol nos clubes amadores de sua cidade natal Bananeiras. Depois veio morar em Campina Grande no final da década de 50. Iniciou sua carreira no futebol de nossa cidade atuando no time juvenil do Campinense onde chegou a ser campeão da cidade conforme fotos abaixo:



Ao se destacar no futebol amador foi chamado para jogar na equipe profissional do Campinense Clube onde atuou por uma temporada onde se sagrou campeão conforme foto abaixo:

A seguir Erandy foi para o Central de Caruaru jogou alguns jogos até ser contratado pelo Santa Cruz de Recife e defendeu essa agremiação profissionalmente. Sempre foi um atacante clássico que não maltratava a pelota tinha uma capacidade técnica excelente, seu posicionamento e finalização eram impressionante, sempre esguio de cabeça erguida comandava o setor ofensivo de alguns times que jogou na sua brilhantes carreira.

Entre as principais glórias, o fato mais lembrado de sua carreira foi o primeiro gol do estádio Castelão, em Fortaleza-CE, quando ele jogava com a camisa do Ceará. Apesar disso, seu vasto currículo.
O Atacante, conseguiu o feito de atuar e virar ídolo de torcidas rivais nos estados do Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. Jogou por Campinense, Santa Cruz, Vasco, Fortaleza,  Ceará, Sporting o (Portugal), América e Alecrim. Parou em 1973.

Depois de pendurar as chuteiras, Erandy saiu das quatro linhas para ficar à beira delas. Começou a nova carreira no Ferroviário-CE. Depois, voltou a fazer ciclos entre rivais. Treinou os três principais times da Paraíba (Campinense, Treze e Botafogo); os três maiores de Fortaleza (Ceará, Fortaleza e Ferroviário), os dois de Mossoró (Potiguar e Baraúnas) e dois dos três grandes de Natal (América e Alecrim). Passou também por Central de Caruaru, Sampaio Corrêa, CSA-AL, Icasa-CE e pelo Santa Cruz-PE, onde já havia atuado como jogador, e se sagrou Campeão Pernambucano em 1990.

Atualmente Erandy não está "parado" é coordenador das divisões de base do ABC F. C de Natal RN.  Apesar disso, tem um blog fala professor e  continua antenado: O ex jogador e treinador estuda  inglês e espanhol. A motivação é lógica: "Copa do Mundo". E não é de hoje que Erandy se preocupa com sua formação. Quando parou de jogar, prestou vestibular para educação física e se formou em uma das principais universidades de Fortaleza.

Eternizado na memória do Castelão

Era uma tarde de domingo na capital alencarina, dia 11 de novembro de 1973, quando o Castelão era inaugurado, em campo, Ceará e Fortaleza faziam o primeiro Clássico-Rei do novo estádio.

Com a camisa 9 alvinegra estava Erandy, assim como os outros homens de frente de ambos os times, afoito para tentar marcar o primeiro gol e ser eternizado na história do gigante. Todos eles, porém, saíram de campo frustrados. O duelo entre alvinegros e tricolores terminou sem gols e lá se passou uma semana de angústia para se saber quem faria o já demorado primeiro gol do Castelão. "Depois da frustração de não marcar contra o Fortaleza, nossa preocupação era que o primeiro gol do estádio não fosse feito por um time de fora", conta. O time de fora era o Vitória-BA, que no outro domingo foi a Fortaleza para encarar o Vozão pela extinta Taça Brasil. E lá a cena se repetiu. Times em campo, todos atentos ao gol esperando o momento máximo do futebol. A torcida do Ceará deve ter ficado impaciente, afinal só aos 22 do segundo tempo, otão falado primeiro gol do Castelão foi marcado. Por Erandy. "Foi um delírio geral no estádio", diz.

Questionado sobre a paixão por algum time, Erandy revela: "não tive tempo de ser torcedor". Ele conta que, como se profissionalizou cedo e andou por vários clubes - inclusive rivais -, não conseguiu levar adiante a simpatia que nutria pelo Vasco da Gama desde criança. "Se é para dizer um time, eu diria o Vasco, que era um time que eu torcia quando criança, mas nunca tive aquela coisa mesmo de torcer, acompanhar. Tive apenas quando joguei lá, mas mesmo assim não é como as outras. Eu tenho inveja das pessoas que torcem com amor para algum time. Sempre morri de inveja. Sempre quis torcer assim. Mas não, sou frio por ser profissional. Ou torço por aquela camisa que estou vestindo".


O Curriculum e algumas fotos do atletas, como treinador e como desportista:



OBS: NESTE TIME DO SANTA CRUZ TINHA 3 JOGADORES DOS TIMES DE  CAMPINA GRANDE  ARAPONGA, JORIO E ERANDY


















Fonte

O Poty - Edição de domingo, 27 de novembro de 2011
http://blogdoerandy.blogspot.com.br/2012/11/erandy-montenegro.html

4 comentários:

Anônimo disse...

De Fernando Cangurú/Franca-SP.
Jobedis, mais uma vez você é feliz em sua homenagem. Tive o prazer de conhecer, conviver e jogar com Erandyr Montenegro no Ferroviário de Fortaleza em 1976. Pessoa íntegra, inteligente, humana e de personalidade firme. Companheiro e amigo para todas as horas. Bom papo e de intelectualidade aprimorada. Fizemos dupla de área no Ferrim, quando ele já estava em final de carreira. Aposentou-se dos gramados como jogador de futebol neste ano de 1976, quando o treinador do Ferroviário era "Vavá peito de aço" Bi Campeão mundial pelo Brasil. Faz muito tempo que não o revê-jo - devido as distâncias que residimos - porém sinto orgulho em fazer parte da sua amizade. Parabéns ao Erandyr pela homenagem e que Deus continue abençoando essa pessoa maravilhosa que ele é. Abraços do amigo Fernando Cangurú.

Jório disse...

Jobão, Erandy hj é supervisor das divisões de base do ABC, e quando ele saiu do Campinense foi para o Central de Caruaru depois para o Santa Cruz onde eu já me encontrava abs.

Anônimo disse...

Jobão amigo meu irmão, merecida homenagem!!!

Erandy..."camisa 9", se sua missão era fazer gols, você entrou para história cumprindo seu papel.

Vim aqui para Fortaleza em 1974, pena não poder ter visto vc fazer o primeiro gol no Castelão, mas quem estava lá, ainda hoje comenta o delírio da torcida, que agradece até hoje.

Jonas didi

Erandy Montenegro disse...

AMIGO jOBEDIS
Quero lhe agradecer pela bela matéria que vc postou sobre mim, com ela, pude dar um passeio da época de Bananeiras até agora
muito obg mesmo

Postar um comentário