sábado, 5 de novembro de 2011

A HISTÓRIA DO VOLEYBOL EM CAMPINA GRANDE (SEGUNDA PARTE)

POR: DANUNZIO GOMES



Durante esse período de 1942 e 1945, não tenho nenhuma notícia de voleibol em Campina Grande, se existia alguma  manifestação eu não sei , como não conheço alguém vivo, desse tempo que possa   falar  sobre o assunto.

No meio do ano de 1946, mais ou menos, eu e mais esse bando que vou citar adiante, reconhecendo pela foto,  ensaiamos fazer um campinho de voleibol,  no terreno do fundo do  Clube Juventude do São José, que foi fundado pelo meu Pai e outros companheiros dele,  que eu acho que você não conheceu,  mas,  Abel Costa (pai de João Mario e Luciano) sim, que eram parentes.

Passamos várias semanas carregando terra, barro e entulho para tapar o buraco, que, no local era um barreiro, até que concluímos , num mais de meio dia de um domingo, quando jogamos, até não sei que horas, com uma bola velha de futebol e uma rede que não sei como apareceu.

O bando que falei era , na foto  1 abaixo já bastante estragada.   Em pé:  Antonio Borges da Costa, Toinho Borges,  Luis Bonga, Sargento Dimas, do Exercito,  que foi dono da  Sorveteria Pinguim, da rua Maciel Pinheiro, Amadis, meu irmão, que morreu aos 22 anos, Rafael Guedes e com a cabeça encoberta, João Jorge Gabriel. Agachados: Zé Borges, irmão de Toinho Borges,  o de boina Preta, Anibal que matutei muito para lembrar o nome,  Pelópidas de Almeida Barreto, encoberto com o pedaço da foto arrancada, Eu D´Annunzio, Zé Bento e Davi Jorge Gabriel semi-deitado, como eu.  Depois disso , ou no meio,  a gente jogava no Grupo Escolar Clementino Procópio na Rua Felipe Camarão no Bairro do São José.

Tenho outra  foto, onde em uma eu reconheço  Assis, Zé Barroso, Ivon e Zé Coura.


Assim, passamos algum tempo jogando no nosso campinho, todo domingo pela manhã, quando apareceu  Assis, gerente do Cinema São José, que construiu um campo,  nos fundos do cinema. Assis era de João Pessoa e adorava voleibol, que havia jogado quando passou pelo Exército e tinha jogado pelo Cabo Branco ou Astreia, não lembro bem e fez um convite para uma fusão, porque o quorum era fraco nos dois e naquele tempo só se jogava se tivesse seis de cada lado e nos domingos de manhã, antes da missa das 11 da Catedral, onde a gente ia paquerar as meninas Concordamos e ficamos jogando no campo do Cinema, como era conhecido, onde depois Assis fundou o ATLÉTICO SÃO JOSÉ,  time de voleibol, constituído, que durou um bocado de tempo , quando aqueles que não tinham vocação, dos dois grupos, iam se afastando, ou sendo afastados, para dar lugar a alguns  já mais sabidos no vôlei, como Sebastião Maciel, João Ribeiro psiquiatra, então estudante, Marcelo e João Figueiredo, Dinival França, Boanerges Emerenciano, Adjanites e Adailton, irmãos, grandes levantadores, Moscoso , Ioge e o próprio Assis  que jogava muito bem.

Assim, se passaram os anos de 1946 e 1947. Em 1948 fui convocado para o Exército, tendo ainda jogado pelo Atlético e em uma das vezes, num campinho no fundo de uma casa na rua da Floresta de João Amaral, da Sapataria Amaral, contra o time Floresta Volei Clube, que foi arrumado para bater o nosso. Ai que ganhei e ainda tenho guardada a primeira medalha, no jogo realizado  dia 21 de março de 1948, CONFORME A FOTO.
com o time: Ioge, Assis e Eu, em pé. Agachados Moscoso, Dinival e Adjanites. Moscoso era um cortador que ficou famoso por  umas  cortadas malucas, que, normalmente quando batia na bola,  em vez de descer ela subia passando a mais de 2 metros do fundo do campo,  e a turma gritava : M o s c o s o !!!  Nesse jogo, como se vê, pela arrumação, eu fui cortador,  quando eu  era levantador.  Naquele tempo se jogava três cortadores e três levantadores , diferente de hoje que são 5 e 1.

Nesse ano foi, foi colocada a iluminação do campo do cinema São José , para jogos e treinos noturnos. Não existia nenhum patrocínio, era tudo feito mediante cota com os sócios. Lembro-me  que a cota foi de 20  cruzeiros, para a iluminação, que eu paguei, mas, depois fui ressarcido, quando me afastei.

A festa de inauguração da iluminação da quadra, realizada em 7/7/1948, tem uma foto que vai nesse bolo de fotos, onde se vê Sebastião Maciel, orador, Assis, João Figueiredo e outros que não consegui reconhecer. Eu não estava presente.

Daí pra frente  não me lembro se existiu campeonato ou torneios de voleibol. Sei que joguei várias vezes pelo time do Exército, III do 15º RI quando havia solenidades militares e jogos organizados com times da Cidade. Me lembro que Marcelo Figueiredo, que também tinha jogado pelo Atlético e servia ao Exército, jogava.

Aqui acaba a primeira fase do voleibol que eu conheci em Campina Grande.  No começo de fevereiro de 1949, fui  escalado , após uma seleção rigorosa, para fazer o Curso de Educação Física da Escola de Educação Física do Exercito, na Fortaleza de São João , Urca, Rio de Janeiro. Curso Superior, equiparado a licenciado em Ed. Física, cujo registro  de Professor de Educação Física, foi feito no MEC em 1956.

Regressando do curso em 50, fiquei servindo em Recife, até quando fiz concurso para o SENAI  e voltei para  Campina Grande em 1952.
Vou falar do voleibol de Campina Grande a partir de 1952,  a seguir:
                     

O VOLEIBOL DE CAMPINA A PARTIR DE 1952, QUANDO  VOLTEI E FIQUEI ATÉ 13 DE AGOSTO DE 1966,   VINDO  PARA O RECIFE, ONDE PERMANEÇO ATÉ AGORA 2011.Nas proximas paginas aguardem!!!!!!!!!!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário