segunda-feira, 7 de maio de 2012

DRAMAS NO ESPORTE DO PASSADO - A MORTE DE UM JOGADOR PELO JUIZ DA PARTIDA

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


 Um nome desconhecido para os desportistas de hoje mas para os que freqüentavam os campos de futebol de pelada na década de 1960, hão de lembrar-se da figura do zagueiro Cabaceiras, titular do Oriente da Liberdade, durante alguns anos e, considerado pela torcida adversária, como um dos jogadores dos mais violentos de seu tempo.

Cabaceiras, de fato, era duro. Nas bolas divididas sempre levava vantagem, mas uma vez topou uma parada inesperada com outro cara que não gostava de levar desaforo pra casa o juiz da partida realizada no Campo do Colégio Estadual da Prata,  também tachado de violento.

O encontro de ambos aconteceu num jogo no campo do estadual da Prata entre Central x Oriente. De um lado Cabaceiras defendendo o Oriente e no meio o Juiz. Num lance de meio de campo, quase perto do túnel à direita da arquibancada, houve um choque entre Cabaceiras e um jogador do time do Central, o juiz marcou falta e o Cabaceiras ameaçou e partiu para bater no juiz que revidou e sacou de uma arma e atirou no Cabaceiras.

Do outro lado, os torcedores presentes bradavam: ali saiu faísca. Vamos ver quem sai inteiro. Cabaceiras não teve a mesma sorte, pois sofrera um tiro na barriga que lhe tirou a vida. O juiz conseguiu fugir depois foi preso e passou algumas anos  preso depois foi solto. 


Este drama eu fui testemunha ocular ainda criança devia ter uns 12 Anos de idade. Uma pena ter acontecido um acontecimento tão tragico no meio esportivo de nossa cidade no passado.

Abaixo a unica foto que consegui do Cabaceiras no Oriente da Liberdade:


Nesta foto esta posando o grande jogador Zé Preto, que esta em baixo sendo o primeiro jogador










2 comentários:

Anônimo disse...

Realmente amigo Jobão, um acontecimento muito triste, que dá um aspecto muito trágico da vida, mas que poderia quem sabe ter sido evitado!
Que esteja o Cabaceiras num bom lugar junto ao nosso Deus.

Amigo Jobão, este jogador em pé o quarto da esquerda para direta, será ou é o Soares, que jogou no Treze? este em pé o primeiro a esquerda tenho uma lembrança dele, quem deve conhecer e tenho quase uma certeza é meu irmão Chicão, pois ele jogou no Oriente nessa época.

É amigo, uma postagem que mesmo nesse sentido, não alegre, faz parte do passado onde deixa marcas sem saudades diante do acontecimento.

Jonas didi

JOÃO MARIO disse...

Jóbedis,após esse incidente, a diretoria do Colegio Estadual vetou por um bom tempo a realização de jogos e o Estudantes que tinha autorização para jogar todos os domingos pela manhã conseguiu através do pai de Marcus Vinicius, que era diretor da Textil autorização para realizarmos nossos jogos no tradicional campo do TEXTIL , que era o time que representava a fábrica. O campo situava-se onde fica hoje parte do Conjunto dos Professores e depois ficamos jogando no campo da FURNE, atual UEPB onde o Estudantes jogou até encerrar o seu ciclo esportivo

Postar um comentário