quinta-feira, 3 de maio de 2012

MEMÓRIAS DO ESPORTE DE CAMPINA GRANDE - SANTA CRUZ DA ESTAÇÃO VELHA

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES



O baú de recordações do Museu do Esporte de Campina Grande desta semana faz este registro com muita satisfação, pois o futebol naquela época, sem dinheiro e só com a vontade dos atletas, dirigentes, árbitros e demais pessoas de apoio dava uma lição muito grande de cidadania e solidariedade. Naquela época, esporte era esporte. Bem diferente de hoje, transformado numa máquina para enriquecer meia dúzia de pessoas.

Dando seqüência à divulgação dos times que fizeram história no futebol de pelada em Campina Grande no passado, destacamos a equipe da Santa Cruz do Bairro da Estação Velha, fundada na década de 60. Esta foto foi fornecida pelo amigo e ex jogador Zé Guedes.


para aumentar as fotos é só clicar nelas


 Reunindo atletas da própria comunidade e de outros bairros da cidade.  Os jogos do time eram sempre sucesso de público, não só no seu estádio, mas também nos campos de futebol dos bairros. O público era maior ainda quando o confronto era contra o Santos da mesma comunidade devido a rivalidade existente.

O time foi extinto por falta de apoio. Um antigo que nos cedeu à foto disse que até os antigos jogadores pensam um dia montar novamente a equipe, mas que sempre esbarra na falta de apoio, já que para estruturar e manter um time é necessária certa estrutura que demanda gastos significativos.

2 comentários:

Anônimo disse...

Amigos meus, o que o esporte faz é isso...
boas amizades que duram para o resto da vida.
Pois mesmo todos nós já praticamente aposentados, estamos ainda trabalhando a nossa memória numa interação que só traz alegria, muitas lembranças e saudades de um tempo bom que não tem volta, mas que não será esquecido, e você amigo Jobão...é o responsável, que eu diga, obrigado!!!

Jonas didi

Anônimo disse...

Santa Cruz da Estação Velha, um dos muitos times de “peladas” existente na década de 60. Nesta equipe se destacavam, Catóca e Doca, o primeiro pelo refinado “trato” com a bola., o segundo, pelo vigor físico, era madeira de dar em “doido”.
Jobedis, de parabéns por mais um resgate do nosso futebol amador.
Do amigo
Vadinho

Postar um comentário