sexta-feira, 15 de junho de 2012

QUEM FOI CRAQUE - HERMANI

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Na década de 60 aqui em Campina Grande vários atletas daquele tempo era bonito de se ver jogar, mais tinha um zagueiro central que tratava a bola com fino trato, sempre de cabeça erguida, não errava passe, não dava pancadas, organizava sua equipe, dribrava muito bem e digamos aquele que dava o padrão de jogo que quando a bola passava nos seus pés, com certeza saia uma bela jogada.

Hoje reverencio meu irmão Hérmani Mauricio de Brito Neves, que completa neste sabado (16/06)  mais um ano de vida  e que ficou conhecido na década de 60 em nossa cidade como um dos grandes craques do  futebol de salão.

Quero aproveitar este meu espaço no museu do esporte de Campina Grande para lhe prestar uma homenagem e lhe desejar meus votos de feliz aniversário de uma forma especial, contando e mostrando seu passado de atleta e desportista do presente.

Sempre quando um amigo nosso faz aniversario desejamos mandar aquele lindo presente para ele, aquele presente que fará com que ele lembre-se de nós para o resto da vida, uma coisa que envelheça ao lado dele relembrado sempre o nosso feliz passado, onde éramos unidos, onde aprontávamos juntos, onde tomávamos broncas juntos, onde jogávamos juntos, onde brigávamos por determinada coisa e etc.

Depois de jogar por alguns clubes do bairro do São José como o Cacareco e o  Furacão,  Hermani foi convidado para reforçar o time do Bolonha de futebol de salão de nossa cidade na década de 60.

Acredito que a transição futebol espetáculo a futebol força foi uns dos aspectos que mudaram a fisionomia do jogador de futebol de salão na nossa cidade, pois na década de 60 até a metade de 70 o futebol de salão de nossa cidade era repleto de craques tanto nos pequenos como nos grandes times.

Como dizia meu amigo e também saudoso grande goleiro Tom em uma história em anexo a este documento que o Hermani foi uns dos maiores zagueiro da história do nosso futebol de salão, e eu tive a felicidade atuar ao seu lado no meu começo de carreira com apenas 16 anos, aprendi a olhar meu companheiro de zaga atuar (conforme foto), foi um jogador com uma enorme categoria técnica sabia se impor dentro da partida,  seus amigos e adversários o respeitavam, ele fez parte daquela geração de grandes atletas  nos anos 60 de nossa cidade que deixaram saudade.

Os mais novos não o viram este fabuloso atleta atuar, mais eu vi e tive a felicidade de atuar ao seu lado no titulo de campeão de um torneio realizado na quadra do Treze com times de futebol de salão do bairro do São José e depois pela equipe de futebol de salão do Treze no torneio inicio de futebol de salão ganho pelo time nosso time e de ser vice campeão pelo mesmo time no campeonato da cidade de 1966. Conforme fotos abaixo.

Pelas suas boas atuações acabou recebendo pela sua qualidade mostrada nas peladas de clube varias proposta para vestir camisas de equipes de nome do nosso futebol amador e não resistiu um convite para defender as cores do AABB (mas por algumas divergências na convivência, desistiu de ficar) ainda participou da seleção do Colégio Estadual da Prata nos jogos Colegiais erguendo o campeonato uma verdadeira seleção que tinha atletas do quilate de Tom, Hermani, Aldanir, Tonheca, Leucio e o Chico Cateta, considerado uma seleção de ouro e com isso se tornou destaque da competição. 

Não só no futebol de campo teve destaque, participou do Cacareco, Estudantes e outros times do Bairro também fez parte de varias equipe de futsal da cidade sempre mostrando qualidade.

Hermani teve uma curta passagem pelo esporte de nossa cidade, mais deixou sua marca que mantém até hoje, que é seriedade, competência, dinamismo e nos só temos que agradecer a esse desportista, pois no seu pequeno estágio que esteve conosco nos ajudou e deu sua parcela de participação para o crescimento de nosso esporte. E as pessoas com qual teve maior convivência lembram-se dele com muito carinho, e a mim ficou a lembrança de um grande jogador o qual me espelhei para iniciar minha carreira.

Hermani hoje descansa das lidas do futebol no aconchego do seu lar ao lado de  sua esposa Mary Mendonça e seus familiares e ainda trabalhando como engenheiro do DER da Paraiba. Grande "Dr: Libra", obrigado por tudo que demonstrou de positivo na sua vida e como grande atleta 

Parabéns pelo seu aniversário e muitas felicidades de quem convive comvocê como eu e nossos familiares e amigos.

Algumas fotos do ex-atletas e desportista ontem e hoje:


OBS: : NESTA FOTO ESTA FALTANDO O GOLEIRO E UM ZAGUEIRO





     TIME DE FUTEBOL DE SALÃO DO TREZE VICE CAMPEÃO DE 1966
PAI VEI, HERMANI, HUMBERTO DE CAMPOS, BOLINHA, BETINHO E ALBERTO.
AGACHADOS: LEUCIO, ALOISIOM, TONECA E JOBEDIS
  
                                                     TIME DOS DIARIOS ASSOCIADOS
NA FOTO VEMOS: MARCONES, MUCIO, ZITO PALMEIRA, HUMBERTO DE CAMPOS
MARCOS. AGACHADOS: LUIS RODRIGUES, TONHECA, CHICO CATETA, HERMANI E ROBERTO FELIX

ALGUNS TEMPO ATRÁS TINHA RECEBIDO UM EMAIL DO GRANDE TOM SOBRE OS CRAQUES DO FUTEBOL DE SALÃO DO PASSADO

Caro Jóbedes,
Admirador que já sou da sua brilhante idéia de criar esse Museu Virtual, senti a necessidade de narrar-lhe a história da equipe de futebol de salão adulto que representou o Colégio Estadual da Prata na primeira versão dos Jogos Colegiais de Campina Grande. Fica ao seu critério decidir se é digna de constar do seu Blog.

Tendo tido as oportunidades de jogar no bom time do GM, com Alírio, Benivaldo, Edson e Charles; no grandioso Estudantes, com Erção (ou Moreira, o nosso Chico Cateta), João Mário, Sebastião e Pibo; no espetacular Campinense e posteriormente na AABB, com Toinho, Cil, Marcílio e Alexandre, não posso, no entanto, esquecer aquela equipe de jovens que encantou a torcida naquele ano.

Cursando então o 3º ano científico e por ser detentor da maior experiência no grupo, fui escolhido pelo Grêmio Estudantil do Colégio para selecionar e dirigir o time de futebol de salão adulto.

Aí foi fácil: Aldani ( que além da grande habilidade contava com um canhonaço no pé direito), HérmanI (que seria o que na época era denominado de “parado”, ou seja, o defensor fixo, mas que de parado não tinha nada, bailava por toda a quadra e que, me perdoe o meu amigo Jóbedes, foi sem dúvida o melhor jogador da família Brito Neves), Lêucio (exímio driblador e artilheiro) e Chico Cateta, o Moreira (que entre outras façanhas já executava, com perfeição, a hoje marcante jogada de Falcão denominada de lambreta), tendo ainda para revesamento Bolinha (que naquele ano havia sido considerado o craque do campeonato oficial da cidade, mas que não demonstrou qualquer constrangimento em perder a posição para o genial Hérmani e Tonheca.

Foi um verdadeiro arraso, ganhamos todos os jogos de goleada, com direito a verdadeiros shows dessa rapaziada.

Mas vale o registro do jogo mais apertado que tivemos, contra o Colégio de Pocinhos, grande surpresa dos jogos, tendo inclusive eliminado o Pio XI, inicialmente considerado como o único que seria capaz de nos dar algum trabalho.

Este jogo, realizado no Ginásio do Clube do Trabalhador, com as arquibancadas repletas de praticamente só torcedores do nosso time, teve fatos interessantes:

Mal o jogo começou, foi-me atrasada uma bola rasteira, bem devagar. Sem olhar para ela, já fiquei observando para quem a lançaria de prima. Só não vi que ela me passou por baixo das pernas e mal tinha ultrapassado, vagarosamente, a linha de gol. Que vexame! Com o Ginásio repleto.

Sendo o capitão da equipe, solicitei tempo e conversei com o grupo, no sentido de tranquilizá-lo, que se eles jogassem o bom futebol de sempre, logo viraríamos o jogo. Mas não foi bem assim. O goleirinho (o diminutivo deve-se apenas a sua estatura) adversário, Maurício, deu de pegar tudo. Não passava nada. Terminamos o primeiro tempo perdendo de 1 x 0. No intervalo repeti várias vezes para manterem a calma, que quando entrasse a primeira bola, seria “caminho de roça”. Mas, faltando dez minutos para terminar o jogo, o placar ainda era o mesmo. Foi aí que Lêucio recebeu a bola quase em cima da risca da área, com dois defensores à sua frente, os quais driblou sem sequer tocar na bola, só com dribles de corpo. Foi um para um lado, o outro pro outro e, cara a cara com o goleiro, ele deu um bico lá no canto. Literalmente, a quadra veio abaixo. Ele foi cercado pela torcida invasora, dando-lhe muito trabalho para que se desvencilhasse e corresse para me abraçar em comemoração. Aquele abraço valeu mais que o troféu posteriormente recebido por mim. E não deu outra: com o caminho aberto, chegamos a 5 x 1, nos poucos minutos restantes.   

O jogo semi-final foi contra o SENAI. Aí, quando já estávamos na quadra, o Saudosíssimo Prof. Estênio, como sempre zeloso pela instituição a que com tanta proficiência dedicou toda uma vida profissional, pediu-me, com a discrição que o caracterizava, para não dar uma goleada muito grande no seu time. Não podendo deixar de atender a tão ilustre personagem da história da cidade que, humildemente, nos abordava daquela forma, conversei com os meninos, pedindo para maneirar. Eles concordaram, até o baile começar. Era impossível conter aquele esquadrão. Perdoe-nos, Dr. Estênio! E que Deus o enleve ainda mais do que certamente já o fez!

A final, contra o Colégio Anita Cabral, do meu amigo Gordo Val, foi graça: 8 x 1. E eles vibraram mais com o gol de honra que nós ao conquistarmos o tão sonhado título. Não à toa, o time se autodenominou de “Seleção de Ouro”.   

ABRAÇÃO TOM





14 comentários:

Anônimo disse...

Amigo Jobão, que linda a sua homenagem.
No início da sua narrativa você já resume o que foi esse grande atleta...uma pena eu não ter tido a oportunidade de ver o amigo Hermani jogar, sempre ouvi muitos comentários que ele jogava muito, e aqui eu tenho comprovadamente diante desta bela postagem o prazer de conhecer esse amigo nesta fase de vida esportiva e pessoal.
Parabéns amigo, não só pelo seu aniversário agora neste sábado (16.06), mais também pelo que você foi como um grande craque de bola e a pessoa humana que és.
Que Deus te acompanhe sempre e ilumine teus caminhos junto aos seu familiares.
Quando uma pessoa é do bem, espalha tudo isto aqui registrado pelo seu irmão Jobão.

Forte abraço, Jonas didi

Manoel Cicero Sila disse...

A família Brito Neves deu ao esporte de nossa cidade jogadores de indiscutível categoria, como Nilson, Hermani, Jobedis, Glauco e Pedrinho. Todos eram bons e jogadores.
Nilson fou o Primeiro grande craque da família e um dos artlheiros do primeiro clube do Estudantes, era Hábil, líder, goleador, driblador, temível para os goleiros da epoca!
Hermani tudo ja foi dito na homenagem do museu
Jobedis o jobão era um jogador valente e jogava bem tanto no salão como no campo. No futebol de salão chutava bem com qualquer dos pés e era uma verdadeira bomba, no futebol de campo jogava em qualquer posição tornando-se uma grande opção dos treinadores, como zageueiro era um leão e no ataque era um goleador oportunista e esperto.
Galuco e Pedrinho era apenas um feijão com arroz

JOÃO MARIO disse...

Considero Hermany, um dos maiores zagueiros do FUTSAL que vi jogar,não só de CG mas da Paraíba. Grande marcador, e parecia adivinhar onde o atacante iria sair para o drible, pois a sua antecipação da jogada era certa !
Parabéns Hermany, voce merece !

Osvaldo Pereira (Vadinho) disse...

Jóbedis, mais uma brilhante e merecida homenagem. Sua narrativa com o complemento de Tom, disseram tudo...

Tadeu Guedes (Tadeu de Erinete) disse...

Eu sempre estava surpreso por tu não ter colocado ainda o nome de teu irmão na lista dos craques, este era o file do futebol classico.

Dão Barreto disse...

Mais um brilhante trabalho Jóbedis. O mundo conhecerá todos os craques que passaram por Campina Grande.

Fernando Canguru disse...

Parabéns pelo seu aniversário. Muita luz divina em sua vida. Que Deus continue lhe abençoando e cobrindo-lhe de sucessos. Abraços, Fernando Cangurú.

Glauco disse...

Hermani,
Aproveitando a homenagem que Jobão fez para você, contando sua trajetória de atleta( só que nos rachas de dentro na quadra do treze, era muito difícil meu time perder para o seu e o de Jobedis kkkkkk), quero te desejar meu irmão, um feliz aniversário para essa figura tão receptiva, humana e de tamanho coração, que é você!
Um forte abraço!

Salete Martins disse...

Hermani,
Hoje é um dia especial!!!
Que esta data seja comemorada com paz e saúde ao lado dos que te cercam. Felicidades hoje e sempre, te desejo sinceramente!
Aproveitando o ensejo, saudar o blog pela bonita homenagem como atleta de futebol de salão destacável!
Abraços de sua cunhada!

Jobinho Vidal disse...

Linda Homenagem a Tio Hermani, Realmente ele merece, grande homem.. Meu Tio e Padrinho, verdadeiramente um 2ª Pai. Felicidades e PARABÉNS MEU PAI, PELA LINDA HOMENAGEM;

Marcílio Soares disse...

Inicialmente, PARABÉNS duplamente para ERMANI pelo seu Aniversário, e a Jobão por essa bela homenagem ao aniversariante.
Bem, (recordar é bom demais) lembro-me quando ainda menino, estava iniciando nas peladas, pelo anos idos 65/66, eu frequentava o Colégio Estadual da Prata, que também estava entrando como estudante do Gigantão, e nós GURIS, jogávamos nas peladinhas por trás das traves do campo grande, eram 5 contra 5 nesses campinhos. E lembro-me bem, que tinha a turma dos mais velhos que também jogavam nesses campinhos. As vezes me metia pra jogar entre eles, foi onde aprendi um pouco entre esses peladeiros, mas tinha um que me chamava muito atenção, por sua habilidade, seus dribles e jogadas maravilhosas, estou me referindo a HERMANI, jogava muito. Ver HERMANI jogar era muito bom, sabia que ali ia acontecer belas jogadas, assim também no Futebol de Salão. Foi sem dúvida, um grande CRAQUE. HERMANI sempre foi um bom amigo para todos, e faz muito tempo que não o vejo, mas nesta lacuna da ausência, sei que prevalece a amizade que construimos na época das peladas de adolecentes.
Mais uma vez, PARABÉNS HERMANI, que DEUS te dê muitas felicidades em sua vida.

Orlando Mendonça Leite disse...

FAMILIA BRITO NEVES REALMENTE TEVE DOIS DOS MELHORES ZAGUEIROS DO FUTEBOL DE SALÃO DE NOSSA CIDADE DE TODOS OS TEMPOS, DE ESTILOS DIFERENTES, UM ERA AGUERRIDO E NÃO ABRIA NEM PARA UM TREM O JOBAO E O OUTRO HERMANI ERA CLASSICO. ESTÃO NA RELAÇÃO DOS MAIORES JOGADORES DE NOSSA CIDADE COM CERTEZA.

Jose Bonifacio disse...

CONCORDO COM O AMIGO E ENDOSSO SUAS PALAVRAS

Carlos Artur Silva (Calu) disse...

Realmente em qualqyer seleção que se faça dos grandes jogadores de futebol de salão de Campina Grande de todos os tempo estes dois irmão o Jobao e o Hermani estram nela com certeza eram craques mesmo

Postar um comentário