segunda-feira, 30 de julho de 2012

QUEM ERA CRAQUE - CHININHA

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES


Como é bom recordar a presença no elenco de nosso time Everton Esporte Clube de uma peça importante da sua história, o lépido meio atacante Chininha, onde tive oportunidade de atuar junto por algumas temporadas no elenco do rubro verde. Sua presença em momentos alternados deixou sua marca positiva na memória do torcedor.

Pois é amigos esta personalidade e grande  amigo que estou homenageando é o hoje aposentado engenheiro agrônomo Eudes Cipriano o popular Chininha. Vamos fazer um pequeno histórico de sua vida esportiva.

No inicio da década de 60 aparecia um moreninho jogando pela meia direita de alguns times do bairro do São José entre eles o São Jose, o Juventus, a Portuguesa e o Everton com muito destaque. Jogador de muita categoria, ele formou com Sabará, Naninho, Paulo Buchudo e Wallace o ataque do Everton na sua estréia pelos campos de pelada com força e coragem. 

Se havia uma coisa em que o jogador China era bom, era em correr. Atleta rápido passava entre os zagueiros adversários com incrível facilidade. Furava as defesas rivais com muita tranqüilidade e penetrava em quase todos os bloqueios defensivos que os técnicos retranqueiros preparavam para pará-lo.

Apesar da baixa estatura Chininha tinha disposição para enfrentar os zagueiros. Veloz e habilidoso usava essas virtudes para penetrar com facilidade nas áreas adversária para as finalizações, que, na maioria das vezes, resultavam em gol. Chininha era pequeno no tamanho, mas gigante na atuação.

Era meia direita e defendeu a camisa de algumas times do bairro do São Jose e foi um dos fundadores do grande Everton Esporte Clube e foi com as cores do rubro verde com unhas e dentes na década de 60 e começo da de 70. Atuou pela equipe com destaque e foi um dos principais personagens de uma parte da história durante o Campeonato Suburbanos de 1971, quando o nosso Everton foi o campeão da cidade em um campeonato com mais de 60 times inscritos. China chegou a atuar ao lado de craques do passado como que marcaram época na formação do clube do bairro do São José e que permanecem guardados até hoje na memória dos torcedores.

Chininha não foi beneficiado pela natureza no aspecto físico. Em compensação tinha malícia, sutileza e inteligência para se livrar da marcação e surgir sempre no lugar certo para fazer o gol ou um lançamento para os companheiros. A pequena estatura não preocupava. Ali no meio, entre a defesa e o ataque, esse detalhe não tinha tanta influência. 

      
Hoje está aposentado mora em Natal. Era um dos grandes colaboradores do time e vem sempre rever os amigos e familiares.

Algumas fotos do amigo e desportista Eudes Cipriano o popular Chininha.



Juventus  
                                                 
  CHINA É PENULTIMO AGACHADO


Primeiro jogo do Everton em 18.06.1966
                         CHINA É O SEGUNDO AGACHADO


       Edvaldo Morais



                                    CHINA SENTADO EM FRENTE DAS GARRAFAS





                                        CHININHA E AMIGOS NO CALÇADÃO
  

6 comentários:

Anônimo disse...

Chininha, que bom ver você aqui sendo homenageado, e como você merece, amigo Jobão em sua narrativa deixa bem claro aquilo que de maravilhoso vc foi nesta época de ouro do futebol amador de nossa terra. Vendo suas fotos a agente fica mais feliz ainda porque tem a oportunidade de rever mais pessoas queridas, umas que já se encontram mais aqui e outras que em encontros realizados têm a prazer de abraçar o amigo.
Minha admiração por vc, teve início a partir do meu irmão Zé Gomes, seu grande amigo, falava só coisas boas a seu respeito, quando cheguei no Everton só fui constatar a grande pessoa que é você.
Tempão que não vejo o amigo...mas, amigos verdadeiros podem passar longos períodos sem se falar, jamais iremos questionar essa amizade, quando nos encontrarmos, o tempo e a distância vão parecer que foi ontem. A vida é corrida, mas teremos para sempre esta amizade.

Saudades...lembranças boas..Jonas didi, abração.

Anônimo disse...

Corrigindo...

"pessoas queridas, umas que já "não" se encontram mais aqui"

Mas que todos estejam junto ao nosso Deus...

Jonas didi, abs

Anônimo disse...

Aí, Cipriano!
Muito boa essa lembrança do Jóbedes, certamente mais um dos seus pupilos, que foram tantos a aprender com você as coisas do futebol, a habilidade e a seriedade com que você o encarava, bem como a sabedoria no enfrentamento às adversidades que a vida apresenta.
Para mim foi gratificante ter compartilhado com você tantos bons momentos no futebol e fora dele, e continuar privando da sua amizade.
Um abração, Cabo Véi!
Tom

Anônimo disse...

Ah! China, um dos fora de series com quem tive a satisfação de jogar.Dentro de campo tinha uma leitura ampla das partidas. Orientava, criava jogadas e era um exímio passador de bolas.Graças a essas habilidades, fiz muitos gols com suas assistências. Teve uma participação importante na história do futebol amador do bairro do São José.Uma ótima pessoa como amigo e companheiro de todas às horas.Eudes,foi uma enorme satisfação ter participado dessa época tão salutar e divertida em sua companhia.
Jóbedis, homenagem justíssima ao Cabo.
Vadinho

JOÃO MARIO disse...

Tive a oportunidade de jogar contra China. Habilidoso, rápido inteligente e fez parte dos grandes peladeiros da nossa cidade.
Sempre nos encontramos e batemos um bom papo revivendo bons momentos daqueles tempos.
A proveito para perguntar a China, se o "badalado" campeonato de botão já começou ! Vai fazer um ano que ele e Chico (Sassá) preparam os times e o campo e até agora nada !
Acho que estão preparando para a COPA DE 2014...kkkkkkk!
Homenagem merecida, parabéns amigo CHINA !

hildeman. disse...

Para falar em Chininha, lembro-me bem com muita saudades de nosso velho bairro de São José e, como bambém, de Zé Negrinho, aquele que com muito carinho o chamava ( de que mais Chininha) China com muita habilidade conhecia a esfera de couro, por sinal não era êle que conhecia e, sim a esfera de couro era que conhecia êle

. Eu era teu fã rapaz.

Postar um comentário