terça-feira, 3 de janeiro de 2012

QUEM ERA CRAQUE - LUIZINHO BOLA CHEIA

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES




Manoel Luis Melo (Luizinho Bola Cheia), Nasceu no bairro do São José em Campina Grande – Paraíba, ali Luizinho deu os primeiros passes e dribles de sua careira no futebol. Aos 12 anos de idade já chamava atenção de todos. Nas peladas era o primeiro a ser escolhido e, aos 15 anos de idade já jogava entre os adultos do time de pelada o Cacareco conforme foto abaixo deste texto. 


A carreira do jovem jogador foi despertando interesse de todos, foi chamado para a equipe de base do Treze Futebol Clube e, se juntando a outros garotos do bairro. Na época existia a forte equipe do Campinense Clube o Raposinha. A equipe do Trezinho. 


O velho Gorila como antigamente era chamado, deu muitas alegrias aos torcedores da cidade. Foram muitos os pedidos para que o jovem jogador se transferisse para outros times, mas todos em vão. Mas foi para o Trezinho com pois uma nova equipe foi formada para representar a cidade em competições regionais. Nascia um grande time formado por uma seleção de bons jogadores e comandado por Uray e depois por outros treinadores. Foi aí que Luizinho e os demais craques da época se juntaram numa mesma equipe. O sucesso foi inevitável. Uma grande massa de torcedores foi conquistada e os jogadores idolatrados por todos.



LUIZINHO BOLA CHEIA - Ele foi um lateral-esquerdo forte como um touro,  um verdadeiro tanque. No pique como zagueiro, com os adversários, sempre levava a melhor. Batia com os dois pés com muita maestria. Foi para o juvenil do Treze, onde se profissionalizou e jogou por alguns anos. Saiu do clube trezeano e começou a conhecer o Brasil. Jogou em vários clubes do Nordeste. Foi Bi-Campeão Suburbano. No final da carreira, assumiu por diversas vezes a presidência do clube. Hoje é professor da UFCG e trabalha com garotos de escolinhas de futebol. 

ALGUMAS FOTOS DE LUIZINHO:



Luizinho foi encorporado na equipe de profissionais. do Treze conforme fotos abaixo:




Depois Luizinho rodou o Brasil (passou em 16 times profissionais do futebol nordestino onde foi campeão em varias equipes no Piauí, na Paraíba, em Manaus, em Alagoas, no Maranhão, no Rio Grande do Norte, foi campeão do Norte e Nordeste pelo Sampaio Correia em 1972.). Até se aposentar e se preparou para isto e não abandonou os estudos. Se formou em Educação Fisica.


Luizinho ainda teve tempo de jogar alguns jogos pelo grande time do Everton e se sagrar Bi-Campeão suburbano da cidade, um campeonato que contava com 60 times, conforme foto abaixo:


Algumas fotos de Luizinho como atleta e como treinador;








Hoje é Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba, o autor é licenciado em Educação Física pela UFRN – onde também atuou como monitor da cadeira Futebol I e II, Pós-graduado em Metodologia do Ensino Superior pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Bacharel em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação da Furne (atual UEPB), e, ainda, técnico de Futebol pela Escola de Educação Física do Exército (Turma Pioneira), do Rio de Janeiro. Foi coordenador e professor do curso de Educação Física da UNIR, onde lecionou as disciplinas Futebol de Campo I e II, e Medidas de Avaliação em Educação Física na graduação.

Atualmente professor de Educação Física (adjunto IV – retide) da UFPB III, campus de Bananeiras, o autor tem publicados 08 livros sobre futebol, a saber: Futebol Arte de um Nômade, A Difícil Missão de Comandar, Aprenda a Jogar Futebol (em parceria com Nilton Santos), Futebol com Humor, Futebol para Todos, Vocabulário Popular e Humor do Futebol, Futebol Também se Aprende na Escola, A Abecedário do Futebol, e, A Importância das Escolinhas de Futebol na Formação do Jovem Atleta de Campina Grande – PB.




Algumas fotos de Luizinho Bola Cheia





 



Alguns recortes de jornais




SE QUIZEREM SABER OUTRAS COISAS DO LUIZINHO É SO ACESSAR O LINK ABAIXO
http://www.luizinhobolacheia.com/?p=8


9 comentários:

Germano Ramalho disse...

Conheci Luizinho Bola Cheia na condição de jornalista esportivo alí pelos idos de 1970 em Campina Grande onde atuei na maioria das empresas de comunicação de rádio, TV e Jornais. Admiro o 'Bola Cheia' pelo espirito guerreiro, que não somente ocupou espaços nos campos de futebol, mas demostrando uma visão da sua própria importancia e do meio profissional onde se inseriu, fez prevalecer todas as experiencias adquiridas e abraçou-se com uma das mais belas carreiras que um profissional do futebol poderia criar para escrever a sua própria história.Luizinho enfrentando todas as barreiras possiveis, arregaçou as mangas e foi a luta e venceu. É um exemplo para tantos que pensam ainda que a profissão se resume a temporalidade de um contrato de jogador e que após os trinta e cinco anos de idade tudo se acabou. Puro engano. Luizinho prova exatamente o contrário.Luizinho preeche algumas caracterísitcas que se parecem com o meu perfil de profissional e cidadão e quando é preciso dizer nao se intimida com tamanho nem cargo. Isso o tornou incoveniente para muitos incompetentes que tentam vencer pelo dinheiro e pelo poder. Eu também me tornei incoveniente para figurões que saber muito bem explorar você quanto aos intereses daqueles e quando não servimos mais nos remetem a lata como se lixo fossemos. Luizinho tem vencido pela graça de Deus e eu que o conheci e acompanhei de perto o seu trabalho como jogador de futebol profissional, posso dizer que sua trajetória enquanto jogador e agora como acadêmico na mesma aréa de atuação onde vivo,se pontua por uma coragem e uma determinção espetaculares, conseguindo alcançar os seus objetivos com sucesso pela garra e persevernça em concretizar suas metas. Mesmo com toda modernidade das profissões nos dias de hoje, a experiência de Luizinho Bola Cheia deve ser difundida com o objetivo de suas narrações através das publicações de sua autoria possam servir para evitar que muitos jovens sem a epistemologia principalmente da vida, ainda continue a pensar que o futebol é como uma varinha de condão cujos resultados se consegue como num passe de mágica. Luizinho merece todo o nosso respeito, consideração e apreço e o estímulo para continuar sua trajetória corajosa e sem perder a jocosidade de suas ironias que incomodam aqueles que não sabem viver. Luizinho encontrou um bela forma de viver e assimilou com profundidade as lições do mestre Paulo Freire. A vida é um eterno processo de ensino e aprendizado.

Germano Ramalho
Professor da UEPB (Campus V)
Doutorando em Educação na UFPB (Joao Pessoa)

Anônimo disse...

Fui criança junto com Luizinho e batemos muitos rachas principalmente no "campo" do IPASE, onde ele sempre arrasava. Devido aos já mais de 40 anos em que resido no Recife, não acompanhei a sua brilhante carreira pós futebol, que só nos enche de alegria e admiração. Valeu, Velho "Gorila". Parabéns e vá em frente!
Tom.

Gas Nobre disse...

Obrigado Jobedis! Graças ao seu blog, estou revivendo os tempos de amador, quando morava em
Campina Grande. Jogava no juvenil do Corinthians de Casa de Pedra, até 17 anos. Quando entrei na POLI,
em 1970. Fazia parte do grupo de Wagner, Marcílio, Pitú, Benício, nêgo Gilson, etc. Ainda jogo minha bolinha
na AABB Cuiabá.
- Faço parte do seu blog, nas fotos das peladas do Colégio Estadual da Prata e na foto em que fomos jogar em
Paulo Afonso. Estou na foto, ao lado de Wagner, com uma fita, prendendo os cabelos. Na época, eu era o ponta
direita.
Um abração. Venesiano (gás)

JOÃO MARIO disse...

Muita justa esse resgate da trajetoria do amigo Luizinho.Lutador perseguiu com unhas e dentes o seu objetivo,que era terminar um curso superior e saiu mais uma vez vitorioso.
Dentro de campo dispensa comentarios, pois por onde passou foi titular e muitas vezes campeão !
Parabens amigo Luizinho (velho Gorila!)

carlinhos disse...

Justa homenagem a Luizinho Bola Cheia, não tenho muita aproximação com o mesmo, mais quando garoto se falava muito em Gorila, nos campos de peladas de Campina Grande, principalmente no Trezinho e no bairro do São José. Você foi um baluarte nos esportes amadores da nossa cidade. Você merece. Um grande abraço

Edvaldo Bezerra de Melo RELATOR disse...

Luizinho muita surpresa ao assistir o programa do Faustão, e ouvir Faustão pronunciar seu nome anunciando o seu livro dos craques Paraibanos que serviram na seleção brasileira de futebol...
Mas, primeiro deixa-me apresentar, fomos companheiro jogando no Trezinho, vc vai lembrar logo de mim sou o ponta direita que fomos campeões de um torneio realizado na Cidade de Campina Grande, e tínhamos como Técnico o famoso Paraguai Raul Bitencut...
Meu apelido colocado por Miruca, é de Pataca, sempre quando sinto saudade do futebol relembro em uma foto tirado com todo time quando da final do torneio, onde fomos campeões, inclusive vc está na foto, lateral esquerdo bola cheia, o grande exigente da embaixada de quando o jovem jogador se apresentava para treinar na sua escolinha de futebol...
Estou morando na Cidade de Buíque Pernambuco desde 1992, sempre vou a Campinha Grande, da próxima vez quero me encontrar com vc, deixa seu telefone na sua resposta deste comentário, veja o meu e-mail, sadabi.rei@hotmail.com, e tenho o blog http://relatoredvaldo.blogspot.com

Anônimo disse...

Jobedis mas do justa a homenagem prestada ao nosso amigo de infancia Luisinho Bola Cheia ,Atleta de Futebol do Cacareco ,Everton onde foi Tri Campeao Suburbano na pelada ate treze onde se sagrou bi campeao da Taça Cidade de Campina Formado Jornalismo em 79,Doutorado e Mestrado em Futebol,2007e2011 respectivamente. Descobridor de Talentos (Marcelinho,Fabio Bilica e Hulk entre outros. Trabalhei na AGAP ,renumerado, atendendo aos amadores onde o mesmo realizou grande trabalho .Autor de 11 Livros sobre Futebol.Justissima Homenagem ao luisinho Bola Cheia. ABRAÇOS DR GLAUCO.

Edvaldo Bezerra de Melo - RELATOR disse...

Amigo Luizinho se ler este comentário se comunique comigo...

Anônimo disse...

SR.LUIZINHO BOLA CHIA
MEU NOME É ANDRÉ LUIZ MELLO DA SILVA
SO SEU PRIMO AQUI DO RIO DE JANEIRO
SOU FILHO DE MARIA DA GUIA MELLO.
MEU NOME FOI EM SUA OMENAGEM!
QUERENDO MANTER CONTATO MEU EMAIL É
andrelmellorj@hotmail.com
GRANDE ABRAÇO.

Postar um comentário