quinta-feira, 20 de outubro de 2011

HOMENAGEM AOS GRANDES CRAQUES DO ESPORTE AMADOR

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES



Nossa cidade foi bem representada por nossos jogadores nas ultimas décadas. Vivemos épocas com grandes craques, não que os atuais não mereçam o nosso respeito, mas os anteriores levaram o nome da nossa cidade para grandes clubes de todo país e do mundo. Alguns nos representaram na Europa e outros nos orgulham até hoje com o futebol atual. 

Todas brilharam no amadorismo e representaram bem o nome desta cidade, do interior paraibano. Levaram grande número de torcedores aos Ginásios esportivos e aos estádios espalhados pelos bairros, nas manhãs e tardes domingueiras, para ver de perto seus ídolos enriquecerem os olhos de quem ali estava com seus dribles desconcertantes e suas defesas milagrosas. 

Tivemos muitos jogadores que foram contratados profissionalmente, outros foram e voltaram, por não se adaptarem a vida fora do seu convívio familiar e longe da sua cidade. A grande maioria não teve a oportunidade de se tornar profissional, porém, eram tão bons quanto os outros. 

O Museu Virtual do Esporte Amador de Campina Grande tem a finalidade de resgatar aquele esporte, aguerrido, vibrante, que estava adormecido. Relembrar os velhos craques que brilharam no esporte amador de nossa querida Campina Grande.

A todos estes grandes atletas, que ainda estão vivos, e aos já falecidos, “in memorian”, ficarão registrado aqui no nosso museu, e tenho certeza, em nome de toda a comunidade do Futebol Amador de Campina Grande o nosso respeito e a nossa admiração. 


Inaugurando nosso espaço um grande jogador do passado do nosso amadorismo - Zé Preto. 

QUEM FOI CRAQUE  ZÉ PRETO

Zé Preto foi um dos maiores jogadores que o futebol amador de Campina Grande projetou para o futebol profissional.  Natural de Vertentes, Pernambuco, veio para a Paraíba no distante ano de 1956, com o sonho de jogar futebol profissional.

Começou a jogar em Campina nos times amadores do Oriente em 1959 e no Internacional um clube semi amador que disputava o Campeonato da Cidade. Em seguida foi para o Paulistano que foi o primeiro contrato profissional. No Paulistano disputou o campeonato em 1960, depois se transferiu  para o Campinense onde foi campeão pelo clube até 1965, e conquistou o hexa campeonato pelo time cartola. Em 1966 o Campinense perdeu  o campeonato para o Treze, para ser campeão novamente em 1967. Depois saiu de Campina, então jogou Sampaio Correia do Maranhão, no ABC de Natal, no Leões em Salvador e retornou a Campina jogando ainda três anos pelo Treze , onde encerrou sua carreira.


No Campinense, Zé Lima conseguiu seus principais títulos (Estadual de 1961 a 1965, Torneio Norte-Nordeste de 1963 e Taça Pedro Gondim de 1964), até se transferir para o Leônico da Bahia em 1967, por onde também foi campeão. Entre 1968 e 1969, foi a vez de Zé Lima jogar no Galo da Borborema, período suficiente para mostrar seu bom futebol, porém, infelizmente não conquistou títulos.


Depois  Como técnico, um dos mais vitoriosos.


Algumas fotos do nosso craque






    Zé Preto é o primeiro agachado







                                                                




3 comentários:

Anônimo disse...

Meu caro Jobedis,vi hoje uma foto histórica do Campinense,onde eu estou ao lado do histórico Zé Preto,ou seja,o Zé Lima.Tive o gratoprazer de fazer zaga com o lendário e craque Zé Preeto.Figura de proa,era um verdadeeiro comandante.Fomos Penta hexa campeãos da Paraíba.De-me noticioas do refer4ido colega pos tenho interesse em contatlo;Um abração.Coloque mais fotos históricas do campinense.Ticarlos

davi disse...

Saudoso Oriente da Liberdade, bairro que me criei, grande Zé Preto, zagueirão do Oriente, Campinense e me parece também no treze. Deve morar ainda em Campina Grande, com uma escolinha de futebol.

Anônimo disse...

CRAQUE . Não existe adjetivo melhor.
Marinaldo

Postar um comentário