terça-feira, 6 de dezembro de 2011

CANTINHO DA SAUDADE - CACHEPINHA

 POR :JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES




Edricio Moreira, acho que ninguém conhece. Mas se falarmos em Cachepinha, grande parte da galera desportista da cidade de decadas passadas certamente se lembrará do personagem. Um dos mais interessantes figuras  da nossa terra


Cachepinha era  uma figura extremamente popular. Violeiro e cantor  por vários anos um dos maiores torcedores do time do Everton do Bairro do São Jose Clube e também de outros clubes de futebol da cidade, inclusive do Treze. Ele não jogava bola, dizem que ele quando era menino jogava, e bem, como jogador de linha. Encerrou a carreira cedo pois o celeiro de craques que tinha o São José ficava defícil ele conseguir uma vaga nos times de lá. Mas, como tocava e cantava muito bem alegrava as rodas de biritas depois dos jogos dos times do bairro com toda a sua irreverência e o seu “bom-humor”. 


Nas muitas viagens que fizemos juntos nos jogos do nosso time, uma ficou na memória. Em Serra Branca, após o jogo, fomos recepcionados pela turma local em um restaurante onde havia um cara que estava tocando violão. Lá pelas tantas, depois de algumas cervejas, Cachepinha pediu permissão ao tocador, tomou posse do violão e deu um show, um verdadeiro show, cantando músicas de todos os seus ritmos. A turma adorou tanto que o cara que tocava violão ficou esquecido em um canto. O velho Cachepa era um bom cantor. E nosso amigo também, claro!

 Assim FOI NOSSO AMIGO CACHEPINHA. Enquanto em algum lugar houver uma lembrança do som,  da sua voz, do seu rosto, ele estará entre nós OS AMIGOS DO BAIRRO DO São José. 


Algumas fotos do Cachepinha em encontros com amigos:



Na foto vemos: Pedrinho Feitosa, Sassá, Pirrita, Chininha, Glauco, Edesio Rocha e Odon. Em pé Tom, Cachepinha, Jobedis e Naldo


3 comentários:

Gerado disse...

Cachepinha ao ao partir deixou uma lacuna nos encontros que tinhamos todos fins de anos com os amigos do São José, que não terá quem o substitue. Um grande amigo.
Geraldo

Anônimo disse...

O Cachepa, ainda garoto, demonstrava grande habilidade com a bola, configurando-se como excelente driblador. arrasava nos rachas que fazíamos no quintal de sua residência.
Até que um dia, em racha nos "Coqueiros", Ele estava arrasando com os seus dribles e Dinhão, zagueiro adversário, com toda a sua delicadeza peculiar, deu-lhe um tranca que o jogou longe. Na época, além de muito criança, era apenas um graveto. Depois disso ele nunca mais pegou em bola,sequer em rachas com outras crianças do seu tope.
Tom.

h.ildeman disse...

Quero apenas endossar todo comentário sincero e de coração o que o Tom registrou, são muitas suadades que guardo no coração dêsse amiguinho de infância, que Deus te abençoe e, o guarde junto a êle.

Postar um comentário