domingo, 25 de março de 2012

GRANDE DESPORTISTA DE CAMPINA GRANDE - BIU O FEI

POR: JOBEDIS MAGNO DE BRITO NEVES



Amigos, o Museu Virtual do Esporte de Campina Grande procura enaltecer pessoas que tiveram grande importância dentro do esporte de nossa cidade, na minha ótica, faço de coração, pois muitas vezes acompanhei de perto a maioria das história destas pessoas e nada mais justo de se fazer as homenagens, não importando o tamanho de sua contribuição ao nosso esporte, de atleta, dirigente ou abnegado todos tem sua importância no contexto esportivo e merecedores de elogios.



Digo isto porque o esporte às vezes se torna ingrato, principalmente com o passar dos anos deixamos de lembrar de muitos ex atletas ou dos desportistas que tiveram papel importante na história de nossa cidade. Falo isto em nome de uma pessoa de uma pessoa sem grandes pretensões, mas, de grande valor para o futebol de Campina Grande. Tanto esforço no passado para erguer o futebol amador de sua cidade (especialmente no Treze Futebol Clube.


Muitos atletas de futebol de nossa cidade nas décadas de 60 e 70, necessariamente passaram por Severino Alexandrino. Naquele tempo não existiam as atuais escolinhas. Severino Alexandrino ou simplesmente “Biu, o Feio” como o chamávamos, obviamente sem que ele soubesse, é uma dessas pessoas que se tornaram esquecidas.

Biu na sua simplicidade conseguia vislumbrar grandes craques. Nas divisões de base do Treze, foram seus pupilos, entre outros: Assis Paraíba, José Pequeno, Josa, Sandoval, Eliomar, Pompéia, Duda Carrapato, Cicita, Zeno, Carioca, Messias, Cicita, Peba, Ivan Lopes, Gil Paraíba, Chiquinho Alegria, Massagana, Galeguinho, Jeová, Gilmar, Nenê Cara de Rato, Batista, Som, Fernando Canguru, Carlinhos Pezão, Armando, Jairo, Mineirinho, Paulo Cezar, Fio (Celso), Dedé Lima, Edimael, Ricardinho. Quase todos os acima citados tiveram sucesso como jogador de futebol profissional e hoje são nomes conhecidos nos meios futebolísticos, especialmente da grande torcida trezeana. 

Gostaria de registrar outros ex-atletas de Biu que optaram por outras profissões: Gago, Martinho, Valdinho Carapuça, Evandro, Jobedis, Cho, Wagner, Neném, Bráulio, Juarez, Mano Manchete, Petrônio, Valdir Picanha, Simonal, Larry entre tantos outros, 

É comum encontrar Biu nas arquibancadas do velho PV de guerra ou do Amigão, esquecido de todos, assistindo partidas do Galo da Borborema, costumeiramente. O ex atleta e hoje professor da UFCG  Bráulio Maia Junior (hoje diretor do CCT e canditado a Reitor) tirou duas fotos do mesmo,tendo uma em companhia do atleta falecido Josa e enviou por e mail para o museu, confoeme fotos abaixo. 

Hoje é muito difícil aparecer outro desportista como Biu, pois ele era treinador das divisões de base, conselheiro para muitos jogadores da época na equipe do Treze,  ele foi: Roupeiro, massagista, cozinheiro, roupeiro e zelador do velho e teve uma época que era a pessoa que respondia tudo no Treze. 

Para minha surpresa soube que o Biu não é aposentado, por falta de uma declaração do Treze do tempo que passou servindo a galera alvinegra. Gente vai corrigir este descaso por quem tanto fez pela nação alvinegra. 

fotos de Biu:




Fonte pesquisada:



COLUNA DO INTERNAUTA

06/11
Caçador de talentos “Biu, o Feio”


Por Braúlio Maia Júnior* 



http://www.agoraesportes.com.br/html/noticia.asp?not=5272 






5 comentários:

Carlos Santos Silva disse...

Bela homenagem ao Biu, realmente grande abnegado do Treze, nos velhos tempos do bom futebol em nosso Estado, mas continuem com as homenagens, queria se possivel uma homenagem ao pequeno/grande jogador falecido Valnir do Campinense do passado, que tanto nos abrilhantou com sua velocidade imbativel no ataque da raposa, aliás porque não enviam os nomes destes craques a galeria do milton neves.com, seria uma singela homenagem, e quem dera o nosso Estado, pudesse retornar a glória do futebol que maravilhosamente vivi.Torcida não falta, lembro-me como era gratificante as tardes de Domingo no velho estadio Plinio Lemos, e hoje, ao invés de belas jogadas, um chamdo Museu abandonado, esquecido e lembrado apenas para alguns, que lastima

lambreta disse...

Quer dizer que BIU, não trabalhou no Treze. É por isso que sou raposeiro.

Jonas Didi disse...

Amigo Jobão,

Mais do que justa esta homenagem, apenas asssino em baixo, por ter conhecido o Biu
e dizer que sua simplicidade marca o valor de uma grande homem que ele é.

Iniciei praticamente em campos oficiais de futebol no Galinho, onde joguei ao lado
de Sandoval e o inesquecível Josa e outros que no momento minha mémoria falha,
mas não esqueçe alguns com pequenos detalhes, citando por exemplo os gêmeos
que jogavam na época de nomes Walter e ? , estudei com eles no Gigantão da Prata.

Mas Biu, não posso nunca esquecer aquela sua maneira simples e fácil de nos orientar
antes das partidas, calma e serenidade, mas de olhos bem abertos para descobrir tantos
talentos e o resultado tá ai, nesta relação que nosso amigo Jobão enumera.

Gostaria que se amigo Sandoval tivesse acesso aqui, registrasse a foto que estamos juntos
ao Josa e outros no Galinho, pra mim particularmente um registro mágico e memóravel.

Biu amigo, muito tempo que não lhe vejo, mas aqui deixo meu depoimento com muitas
saudades desse tempo que tive o grande prazer de estar ao seu lado e tanto outros amigos.

Peço ao amigo Braúlio, que dê um grande abraço em Biu aí quando com ele se encontrar.

Biu, discorrer de mais elogios a vc, não precisa, pois um homem íntegro não precisa mostrar
aquilo que fez ou faz, ele se faz notar. (e nem caberia nesta página).

Jonas didi

Jobedis Magno disse...

Amigo Lambreta a mesma coisa o Campinense fez com massagista Adalberto Lima. Uma lastima

Anônimo disse...

Jobedis,
Biu foi de tudo um pouco no Treze.Zelador,jogador,roupeiro,garimpeiro de jovens talentos(que você acima enumerou vários) e treinador. E em assim sendo, nada mais justo à concessão dessa declaração para que ele viesse a ter direito uma aposentadoria condizente pelo trabalho prestado ao Treze. Conheci Bui na década de 70 quando por lá passei e muitos outros também viram e presenciaram sua dedicação ao que fazia.
Biu um grande abraço!
Vadinho

Postar um comentário